Página 3906 da Seção I do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 14 de Fevereiro de 2020

Diário de Justiça do Estado de Goiás
mês passado

Gabinete do Desembargador Diác. Delintro Belo de Almeida Filho

TRIPLA APELAÇÃO CÍVEL Nº 0270823.11.2015.8.09.0051

Comarca de Goiânia

4ª Câmara Cível

1º Apelante: GILBERTO SILVA

2ª Apelante: CLÍNICA AMPARHO RAOA LTDA ME

3ª Apelante: EDIVÂNIA ALVES DE SOUZA

1ª/2ª Apelada: EDIVÂNIA ALVES DE SOUZA

os

GILBERTO SILVA E OUTRO

3 Apelados:

Relator: Desembargador Diác. DELINTRO BELO DE ALMEIDA FILHO

VOTO

1. Trata-se de TRIPLA APELAÇÃO CÍVEL , a primeira interposta por GILBERTO SILVA , a segunda pela CLÍNICA AMPARHO RAOA LTDA ME e a terceira por EDIVÂNIA ALVES DE SOUZA , nos autos da AÇÃO DE INDENIZAÇÃO POR DANOS MATERIAIS, MORAIS E ESTÉTICOS ajuizada pela 3ª Apelante em desfavor do 1o e

o

2 Apelantes, contra sentença prolatada pelo MM. Juiz de Direito da 28ª Vara Cível da comarca de Goiânia, Dr. Sandro Cássio de Melo Fagundes, que julgou parcialmente procedentes os pedidos iniciais, nos seguintes termos, verbis:

“(…) Ante o exposto, julgo parcialmente procedente o pedido formulado na petição inicial, para:

1 – condenar os (as) requeridos (as) a pagarem à requerente R$ 40,00 (relativo às despesas com fotocópia do prontuário médico), que será atualizado monetariamente pelo INPC, a partir do respectivo desembolso (indicado no recibo de fls. 113 dos autos físicos), e acrescidos de juros de mora de 1% ao mês, a partir da citação;

2 – condenar os (as) requeridos (as) a pagarem à requerente o valor referente a (s) cirurgia (s) plástica (s) necessária (s) à reparação/amenização das cicatrizes no abdômen da requerente, cujo montante deve ser apurado em sede de liquidação de sentença, nos termos do artigo 510 do CPC/2015;

3 – condenar os (as) requeridos (as) a pagarem à requerente, a título de indenização por danos estéticos, a quantia de R$ 20.000,00, que deverá ser atualizada monetariamente pelo INPC e acrescidos de juros de mora de 1% ao mês, a partir da presente data;

4 – condenar os (as) requeridos (as) a pagarem à requerente, a título de indenização por danos morais, a quantia de R$ 20.000,00, que deverá ser atualizada monetariamente pelo INPC e acrescida de juros de mora de 1%