Página 12 da Regular do Diário Oficial dos Municípios de Santa Catarina (DOM-SC) de 1 de Novembro de 2017

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

Alto Bela Vista

Prefeitura

LEI MUNICIPAL Nº 744, DE 16 DE OUTUBRO DE 2017

Publicação Nº 1417021

“DISPÕE SOBRE AS DIRETRIZES PARA A ELABORAÇÃO DA LEI ORÇAMENTÁRIA PARA O EXERCÍCIO DE 2018 E DÁ OUTRAS PROVIDÊNCIAS”

CATIA TESSMANN REICHERT, Prefeita Municipal de Alto Bela Vista – Estado de Santa Catarina, no uso de suas atribuições conferidas por Lei, faz saber a todos os habitantes do Município que a Câmara Municipal de Vereadores aprovou e ele sanciona a seguinte Lei: Art. 1º - O Orçamento do Município de Alto Bela Vista/SC, para o exercício de 2018, em cumprimento ao disposto no artigo 165, § 2º, da Constituição Federal, no artigo 130, § 2.º I, II e III, da Lei Orgânica do Município e no artigo 4º da Lei Complementar Federal nº 101, de 04 de maio de 2000, será elaborado e executado observando as diretrizes, objetivos, prioridades e metas estabelecidas nesta lei, compreendendo: I – as metas fiscais; II – as prioridades e metas da administração municipal extraída do Plano Plurianual para 2018/2021; III – a estrutura e organização dos orçamentos; IV – as diretrizes para a elaboração e a execução dos orçamentos do Município e suas alterações; V – as disposições sobre dívida pública municipal; VI – as disposições sobre despesas com pessoal e seus encargos e das políticas de recursos humanos da administração municipal; VII – as disposições sobre alterações na legislação tributária; e VII – as disposições gerais. I – DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA MUNICIPAL Art. 2° - As metas fiscais de receitas, despesas, resultado primário, nominal e montante da dívida pública para os exercícios de 2018, 2019 e 2020, de que trata o art. 4° da Lei Complementar n° 101/2000, são identificadas nos seguintes Demonstrativos, Anexos e Relatórios desta lei: a) Demonstrativo I – Anexo de Metas Fiscais – Metas Anuais; b) Demonstrativo II – Anexo de Metas Fiscais – Avaliação do Cumprimento das metas Fiscais do Exercício Anterior; c) Demonstrativo III – Das Metas Fiscais Comparadas com as Fixadas nos Três Exercícios Anteriores; d) Demonstrativo IV – Evolução do Patrimônio Liquido; e) Demonstrativo V – Origem e Aplicação dos Recursos obtidos com a Alienação de Ativos (LRF, art. 4º, §2º, inciso III); f) Demonstrativo VI – Receitas e Despesas Previdenciárias do RPPS; g) Demonstrativo VII – Estimativa e Compensação da Renúncia de Receita; h) Anexo I - Relatório das Metas e Prioridades das Despesas por Programas; i) Anexo II – Demonstrativo de Riscos Fiscais e Providências; j) Anexo IV – Demonstrativo das Metas Físicas e Fiscais por Ações; k) Anexo V - Demonstrativo da Origem e Destinação dos Recursos Previstos para 2018; l) Anexo VII – Meta Fiscal – Montante da Divida; m) Anexo VIII – Meta Fiscal – Resultado Nominal; n) Anexo IX – Meta Fiscal – Resultado Primário; o) Anexo X - Metodologia e Memória de Cálculo das metas Anuais para as Receitas – Total das Receitas; p) Anexo XI - Demonstrativo da memória de Cálculo das metas Fiscais de Despesas – por programa; q) Anexo XII - Demonstrativo da memória de Cálculo das metas Fiscais de Despesas – total de despesas;

r) Anexo XIII - Metodologia e Memória de Cálculo das Principais Fontes de Receita; s) Anexo XIV - Metodologia e Memória de Cálculo das Principais Fontes de Despesas; II – DAS PRIORIDADES E METAS DA ADMINISTRAÇÃO PARA 2018 Art. 3º - As prioridades e metas da Administração Municipal para o exercício financeiro de 2018 são aquelas definidas e demonstradas nos ANEXOS I e IV de que trata o artigo 2° desta lei. Art. 4º - Na elaboração da proposta orçamentária para 2018, o Poder Executivo poderá aumentar ou diminuir as metas físicas e financeiras estabelecidas nesta lei e identificadas no Anexo I e IV, a fim de compatibilizar a despesa orçada à receita prevista, de forma a preservar a suficiência de caixa. Parágrafo Único: Fica o chefe do poder executivo, autorizado a alterar, mediante decreto, os quantitativos físicos e financeiros. III – DA ESTRUTURA E ORGANIZAÇÃO DOS ORÇAMENTOS

Art. 5º - Para efeito desta Lei, entende-se por: I – Programa, o instrumento de organização da ação governamental visando à concretização dos objetivos pretendidos; II – Ação, um instrumento de programação para alcançar o objetivo de um programa, denominado por projeto, atividade ou operação especial; III – Atividade, um instrumento de programação para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações que se realizam de modo contínuo e permanente, das quais resulta em produto necessário à manutenção da atuação governamental; IV – Projeto, um instrumento de programação para alcançar o objetivo de um programa, envolvendo um conjunto de operações, limitadas no tempo, das quais resulta um produto que concorre para a expansão ou aperfeiçoamento da atuação governamental; V – Operação especial, as despesas que não contribuem para a manutenção, expansão ou aperfeiçoamento das atuações de governo, das quais não resulta um produto, e não gera contraprestação direta sob a forma de bens e serviços; VI – Unidade orçamentária, o menor nível da classificação institucional, agrupada em órgãos orçamentários, entendidos estes como os de maior nível da classificação institucional; VII – receita ordinária, aquelas previstas para ingressarem no caixa da unidade gestora de forma regular, seja pela competência de tributar e arrecadar, seja por determinação constitucional no partilhamento dos tributos de competência de outras esferas de governo; VIII – execução física, a autorização para que o contratado realize a obra, forneça o bem ou preste o serviço; IX – execução orçamentária, o empenho e a liquidação da despesa, inclusive sua inscrição em restos a pagar; X – execução financeira, o pagamento da despesa, inclusive dos restos a pagar já inscritos. Parágrafo 1° - Cada programa identificará as ações necessárias para atingir os seus objetivos, sob a forma de projetos, atividades ou operações especiais, e estas com identificação da Classificação Institucional, Funcional Programática, Categoria Econômica, Diagnóstico Situacional do Programa, Diretrizes, Objetivos, Metas Físicas e indicação das fontes de financiamento na forma da Portaria da STN 163/2001. Parágrafo 2° - A categoria de programação de trata o artigo 167, VI da Constituição Federal, serão identificadas por projetos, atividades ou operações especiais. Art. 6° - O orçamento para o exercício financeiro de 2018 abrangerá os Poderes Legislativo e Executivo, seus Fundos e Fundações, e será estruturado em conformidade com a configuração Organizacional da Prefeitura. Art. 7º - A Lei Orçamentária para 2018 evidenciará as Receitas e