Página IV da Executivo Caderno 1 do Diário Oficial do Estado de São Paulo (DOSP) de 13 de Junho de 2012

Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

os últimos anos, a inovação tor-USP e indústria

nou-se tema recorrente no am N biente empresarial. No entanto,

essa presença não tem revelado

resultados práticos. ?Isso se deve

se unem

a uma razão muito simples: a inovação não é apenas um exercício

de vontade. É uma decisão econômica, limitada por uma série de

fatores, em especial econômicos,

pela inovação

estruturais e regulatórios. Não

temos ainda essa cultura?, afirma

o diretor do Decomtec (Departamento de Competitividade e Tecnologia) da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp),

José Ricardo Roriz Coelho.

Marco Antônio Zago:

Parceria leva à criação

?Proximidade da

de três programas universidade com o

setor produtivo?

direcionados à

capacitação das empresas

para a gestão de projetos

Parceria entre a Universidade

de São Paulo (USP) e a indústria

paulista tem como intuito a

mudança dessa situação. A iniciativa da Fiesp, do Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp)

e do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai-SP),

além da própria USP, por intermédio da Agência USP de Inovação, de 400 empresas em dez regiões estratégicas uma demanda, quase de sobrevivência, pela visa à melhoria da capacidade de do setor; e o Curso de Aperfeiçoamento de inovação, ou seja, pelo desenvolvimento de gestão da inovação nas empresas e Gestão da Inovação nas Empresas, em par- produtos com valores agregados, que as ao aumento dos investimentos em ceria com a Agência USP de Inovação tornam hábeis a essa competição. O empre-

pesquisas para isso. Tecnológica, que oferecerá 500 vagas a sário brasileiro sabe que, se ele não se enga-

Abrange três programas, lan- empresários de todas as áreas. jar num processo inovativo, dificilmente vai

çados no último 31 de maio, dire- Segundo o diretor do Decomtec, é a ganhar essa competição?, afirma.

cionados a empresários: o Progra- primeira parceria ampla da Fiesp voltada Para o pró-reitor de pesquisa da USP, ma de Extensão Tecnológica, à questão da inovação. E um passo fun- Marco Antônio Zago, mais importante do desenvolvido em conjunto com o damental. ?A inovação, antes de tudo, é que o produto lançado é o modelo de proxi-Ciesp e o Senai SP, para atender a o resultado de alianças entre tecnologias, midade da universidade com o setor produ-240 empresas de pequeno e médio pessoas e centros de pesquisas, para se tivo. ?Nós não podemos perder a noção de portes, em seis localidades; o conhecer cada vez mais as exigências do qual é de fato a nossa missão central, que

Programa Núcleo de Apoio à Ges- consumidor?, explica. é a formação de pessoas, de técnicos, de

tão da Inovação de Petróleo e Gás Ele considera que as empresas enfren- pessoas de nível superior com qualidade, (Nagi), parceria entre a USP, Senai tam, hoje, uma dificuldade muito grande capazes de atuar eventualmente no setor SP e Fiesp, que prevê a capacitação de competição internacional. ?Por isso, há acadêmico, mas principalmente no setor

Parque Tecnológico

de Sorocaba: impulso

para a inovação

Sorocaba ganha

Parque Tecnológico

São Paulo tem um novo parque tec- está localizado numa área de 1,2 milhão de das indústrias. ?É um espaço que está

2

nológico. Trata-se do Parque Tecnológico m , na zona industrial norte da cidade. O se abrindo para fazer com que Sorocaba Alexandre Beldi Netto, em Sorocaba, cujo objetivo é que o Parque de Sorocaba tam- tenha um setor produtivo mais elevado, núcleo central foi inaugurado durante o bém venha a exercer papel fundamental na com pesquisa de alta tecnologia, produtos

primeiro dia da Conferência Internacional preservação ambiental da região. de maior valor agregado e funcionários

de Inovação em Parques Tecnológicos Para tanto, está associado ao parque mais bem remunerados?, avalia.

(Conintec 2012). O novo espaço conta com municipal da biodiversidade, que além de Ele informa que dez universidades, além

2 2

11 mil m , divididos entre o centro admi- dispor de mais de 600 mil m para preser- de outros centros de pesquisa, como o FIT nistrativo, a incubadora de empresas de vação de mananciais, flora e fauna, trabalha ? Instituto de Tecnologia, irão integrá-lo. base tecnológica, laboratórios, auditório e na realização de pesquisas ambientais. São elas: PUC-SP, Fatec-Sorocaba, UFSCarhall de eventos. Até o momento, o Governo O primeiro vice-diretor do Centro das Sorocaba, Facens, Uniso, Unesp, USP, FEI, do Estado investiu R$ 13 milhões na obra. Indústrias do Estado de São Paulo (Ciesp) Mauá e Unicamp.

Construído com o objetivo de incen- Sorocaba, Erly Domingues de Syllos, defi- Syllos, que também é presidente do tivar o desenvolvimento tecnológico na ne o novo local como um tripé que une o Conselho da Inova, empresa responsável região e ampliar a interação entre univer- conhecimento das universidades ao apoio pela gestão do Parque, considera que no sidades, institutos de pesquisas e órgãos do do poder público, tanto na esfera muni- Brasil ainda não é forte a cultura de inovasetor público e privado, o empreendimento cipal, como na estadual, e a necessidade ção e de parques tecnológicos, com vistas

Roriz Coelho: ?Inovação é decisão econômica?

produtivo. Isso é fundamental para os dias de hoje?, afirma. E conclui: ?Estamos nos comprometendo com isso. Estamos passando das palavras aos atos?.

Núcleos locais ? As realizações envolvem a formação de núcleos locais de assessoria e capacitação dos empresários que, além de difundir conhecimento acumulado sobre o tema, apoiarão processos de busca de informações, de financiamentos, e de análise, estruturação e implantação de projetos.

O Programa de Extensão Tecnológica, que tem como público-alvo microempresas, além das de pequeno e médio portes, já foi iniciado e se estende até o fim de 2013, com workshops, atividades de capacitação em promoção e gestão de inovação, elaborações e implantações de projetos.

O Nagi é voltado especificamente à cadeia de petróleo e gás e tem como metas a sensibilização de 400 empresas e o desenvolvimento de cem diagnósticos e 80 planos de inovação, em 24 meses, a partir deste mês.

O curso de aperfeiçoamento de gestão será realizado na Universidade de São Paulo, sob a coordenação da Agência USP de Inovação, como extensão, e dará direito a certificado. Segundo o diretor da agência, Vanderlei Bagnato, seu objetivo principal é a capacitação de profissionais da indústria para a identificação e aproveitamento de oportunidades para a realização de projetos de inovação. Semipresencial, o curso terá 250 horas de atividades e aulas com especialistas do ramo.

Simone de Marco

Da Agência Imprensa Oficial

a transformar conhecimento em produtos para a sociedade. ?Essa cultura está muito presente na Europa, mas aqui é um processo novo, e Sorocaba está se colocando como um dos polos pioneiros?, comenta.

De acordo com dados da Ciesp, o município tem mais de 1,8 mil empresas e, a região, aproximadamente, 3 mil. Dessas, mais de 90% são micro e pequenas empresas. Syllos garante que o Ciesp será o porta-voz dessa maioria na gestão do Parque Tecnológico. ?Boa parte delas não terá como instalar um centro de pesquisa lá dentro, então, a gente encaminhará as suas demandas?, concluiu.

Da Agência Imprensa Oficial