Página 28 do Diário Oficial do Estado de Roraima (DOERR) de 7 de Março de 1997

Diário Oficial do Estado de Roraima
há 24 anos
Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

í

O àaRaato de rendi pesaoa jurídica e •

íagúa*de competêncá. O» iaapoalos diferidos ato muiiiriuaedui aabre ai

t CARTO* aans. As iraaliavas de attnMMas ojae viajorara a parar do

alo BO •BGDBBBSnlO dO

A «aaraa, de acordo com Art. 14 da Lei4239/63 da 27.0f.t3 c art. 22 de DL 7» d* 11.0*69) e por e«*r situada n área de aroaçao da SVTMM tem mi Mim iscai rangeste ao àapòatb de renda de 30% do lucro da aptoracto. O awanii do a*annvo t lagjstrado *m nMiajjansIs à Reserva de Capaal

Estio atuahxados pelas variações monetárias e/ou i

i e juro* •corridos até a data do

t aos serviços prtatado* ato

i dos serviços locais coaspoenvee d*

de agaçôes, mutauf de

As cobranças dos

ato baseadas na duração dt sacio,

* nos serviços

. As receitas ptoveuieutes de cartCes/fichas

o ato de suas

i teprescuuui os juros auferidos e os ganho i/perdu com apBcacae» e i financeiros depois dos ajustes saflacãoaatfos, medidos pala variação nananal da UMC. As despesas financeiras representam os juros incorridos e os ganbotiperdas com empresámos e faianciamentos após os ajustes ssflacionérios medido* pett variação nominal da UMC. Consequentemente, as variações monetária» anvas e passivas sio consideradas até a

' ->d»UMC. - -,-.--. -* -;

A Teaún» mantém, juntamente com outras empresas do Sistema Tetorás, uma Entidade para • admsàstrar os todos de pensão e outros heneflcios de sposentadoria para os seus empregados (vide nota 23). Os custos sio determinados atuarieknente e contarfflwidos pdo regime de

fados nos Lucros

A TeMma provisionou participaçio de empregsdoj nos lucroJ com base no artigo S* da Medida Provisória n* 980, de 25 de Abril de 1995 e reedições posteriores e de coofbraàdade com a Resolução n* 10, de 30 de maio de 1995, do CCE - Coaseno de Coordenação e Controle das Empresas Estatais. O valor provisionado está.sujeito á «provação do CCE e <"

GeraL

O sacro por mil açOes foi calculado com base ao numero de «coes era circulação na dau dei • • • *- do halanco patrknomaL r

4 -RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA DOS SERVIÇOS DE TELECOMUNICAÇÕES



  
ws* 

ItfS 

NACIONAL 

W.7J» 

T.SS4 

LOCAL 

2.495 

" ? ' ' £«06 

INTERURBANO 

«.244 

5i49» 

INTERNACIONAL 
    

OMOEM NACIONAL 

«?a
*7» 

. .-.*?*
5*6 

CELULAR 

.-  

14(41 
  
M2* 

1*7* 

OUTRAS
RECEITA OPERACIONAL BRUTA 

2X141 

112*7 

IMPOSTOS SOBRE A RECETTA BRUTA 

S.493 

1.259 

OUTRAS DEOUCOeS DA RECEITA BRUTA 

0 

0 

RECEITA OPERACIONAL LÍQUIDA 

I7;7S* 

».»*» 

5. OUTRAS aUrcajTAS»a»iYSASC4«RACN)NA18ljQU»AS



  
t*M 
  

TRBUTOS (EXCETO IMPOSTO DE RENDA E CSSL) 

?6* 

ms
?4! 

SERVKOS TÉCNICOS E ADMINISTRATIVOS 

27 

14 

J*0VlSAOPAItAO3NT1NGfiNCtAS 
  
0 

MULTAS 

»
1.*** 
  

DESPESAS RECUPERADAS 
  
«*
12 

OUTRAS RECBrrASVDESPBSAS 

«
77 

-102 
  
LM 

4*5 

i.RECEITAS (DESPESAS) fOUlvCXKAl LÍQUIDAS

jK&M*-±iim**iÊ****:* &*;.*. *

JSL

w

•jtOHTASnrMNCEBtAS

JSL

w

713 _M

iBESPESASPaXANCEBUS

VssanV«^^h^a>*LAhtnanMMBinM^I*4ba^nnn^aamBnsfeaMUkuuaa

V«jlW*^awit(R^^*»^ala^PV«^»B» f^RtlIFtp...

•mmmm TOJAL_

i-W^t. 7. RJX»|TAS(Pa*HraAflrUOOPs^^

•ã>aB9L IXTTTTI' ' }M'"fy-V

i" 'muapa pespe3AsreuNa«»ASN.oPBRAaoNAB

OÃjtãÕf^WRTMNABAIXÃpE ATTWPKRMAMBWTE

HUMW

OUTIUtEaDrTAS/rJESPBSASNAOOPERACJONAB

i

JOTABOLUCRO ^v

B. DaTK)aTroDERira>AECONTmiBWlC^

AT< o ánposto de landa « a

Os atara as dakraaçaa

1200/91, «uma**

(r*eaiu)trtatari*éai

.•WSfrysar-j; y-fo.j

n iml w>< JBL.

JBL.

ccwrRmtBÇAojociALSOwouxao

mã*

agOSTODE RENDA ^TSsf

m

PREJUÍZOS DE ANOS ANTERIORES REGISTRADOS

IMPOSTOS DlHaUUUS LÍQUIDOS

dás:.

M^.AU^ATRntrjnaupos

DEC PATJTO ANTECIPADO LRENDA

TOTAL BA BiaPISÃffSCnTArrRIBOTARlÃTZ

O quadro a seguir é uma reconemscio da despesa (ou receaa) trssutaria

*'

calculado peta astacacao da aHquoU tributária total de 30,56 (48,I*K em I99S1

I»M

na»

LUCRO ANTES DOS TRIBUTOS NAS «JB4

BCMONSTRACOCS CONTAREIS

BCSPESA TWB.NA ALlQUOTA COMBINADA

m/CSSL •L*M

ADKOES PERMANENTES

44

CUSTOS E DESPESAS NAO DEDUTÍVEIS 41

AJUSTES P/DiMIN INVESTIM. AVAL PY P.UOUIDO

DOAÇÕES E SUBVENÇÕES P/ INVESTIMENTOS 0

OUTRAS ADIÇÕES

J

.

EXCLUSÕES PERMANENTES 177

JUROS S/OBRAS EM ANDAMENTO - NAO

OPERACIONAL 0

OUTRAS EXCLUSÕES

177 ..-• : • EttlTOS MUD-ALIO TRIBUTOS DIFERIDOS

INCENTIVOS DEC DE PACTOS. ANTECIPADOS

INCENTIVOS PISCAIS

PREJUÍZOS DE ANOS ANTER. REGISTRADOS 22*

DtSPBSAmBCBITA TMBVTOS. CONF.

, - - .••-•:. ;

nKÉMMsnAçQirs rOTÀntKI

-1522

__—l_. ,

A alfqaou tributária total é assim composta:

WH

TAXANCS»CNAL

CSSL

TCSSL TAXA El^nVA(«HDBXmVEL DELA >«ESMÃ)

TAXAISOMMlU.

ik'/tH»ril :

OJaaliEÇZEai

[ TOTALCQSiaBUBotmpjtcaau l*jJnm»Mtvf

9. CAIXA E EWrVALENTES A CAIXA

I9M

tf»

CAIXA

.0

CONTAS BANCARIAS

2J7

APUCACOES JUNTO AO BACENE BANCO BRASIL 4.227

1 TOTAL

*4

ia, CONTAS A REÇUER DE SERVIÇOS (VALORES LÍQUIDOS)

IMS

tm

VALORES NAO FATURADOS Q

1.442

VA^RSpATlJRAbrir^ • '

M

ii^SSm&Sc^uàaióMktwnooaA

UM

wmi