Página 60 da Seção 3 do Diário Oficial da União (DOU) de 30 de Outubro de 2014

Diário Oficial da União
há 7 anos
Por que esse conteúdo está aqui?
O Jusbrasil não cria, edita ou altera o conteúdo exibido. Replicamos somente informações que foram veiculadas pelos órgãos oficiais.Toda informação aqui divulgada é pública e pode ser encontrada, também, nos sites que publicam originalmente esses diários.

cação Intercultural: a Antropologia na formação de professores. Educação, Sociedade & Culturas, n. 12, 1999. 123-162. 35 - WEBER, Max. Ensaios de sociologia. Rio de Janeiro, Ed. Guanabara, 1982. 36 - ZALUAR, Alba. A máquina e a revolta. São Paulo, Brasiliense, 1985. Faculdade: FCH; Área: Ciência Política/Teoria Política Contemporânea PONTOS: 01 - Estado e Sociedade Civil no mundo contemporâneo; 02A teoria das elites: limites e persistências; 03 -Marxismo e política contemporânea. 04 - Pluralismo e teoria democrática. 05 - Neo-institucionalismo. 06 - Republicanismo cívico. 07 - Política e Escolha Racional. 08 - Representação e Participação Política. 09 - Relações Política e Economia. 10 - Mudanças contemporâneas na esfera política. BIBLIOGRAFIA: 1 - BOBBIO, N. O futuro da democracia. SP, Paz e Terra 2000. 2 - BORÓN, A. (org.). Filosofia política contemporânea. Controvérsias sobre civilização, império e cidadania. Buenos Aires/São Paulo: Clacso/USP, 2006. 3 -COUTINHO, C. N. Marxismo e política - a dualidade de poderes e outros ensaios. São Paulo: Cortez, 2008. 4 - DAHL, R. A. Poliarquia: participação e oposição. São Paulo: USP, 1997. 5 - FERES JÚNIOR, J.; POGREBINSCHI, T. Teoria Política Contemporânea. Rio de Janeiro: Elsevier, 2010. 6 - GRAMSCI, A. Cadernos do cárcere. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000, Vol.3. 7 - HIRST, P. A democracia representativa e seus limites. Rio de Janeiro: Zahar Editores, 1992. 8 - MILLS, C. W. A elite do poder. Rio de Janeiro: Zahar, 1968. 9 - PUTNAM, R. D. Comunidade e democracia: a experiência da Itália moderna. Rio de Janeiro: Fundação Getúlio Vargas, 1997. 10 - RAWLS, John. Uma Teoria da Justiça. São Paulo: Martins Fontes, 2002.11 - SARTORI, Giovanni (1994). A Teoria Democrática Revisitada (Vols. I e II). São Paulo: Ática, 1994. 12 - ZIZEK, Slavoj. Um mapa da ideologia. Rio de Janeiro: Contraponto, 1996. Faculdade: FCH; Área: Geografia Física: Cartografia e Caracterização do Meio Físico. PONTOS: 01 - Fundamentos e características da Cartografia Sistemática. 02 - O planisfério e os sistemas de coordenadas: orientação e georeferenciamento. 03 - Projeções cartográficas e superfícies de projeção: classificação, processo de escolha e sua importância na representação espacial. 04 - O significado, as possibilidades e as limitações da escala. 05 - A história da cartografia: a importância da informação espacial. 06 - O uso de cartas topográficas e fotografias aéreas para caracterização do meio físico. 07 - Representações cartográficas: tipos, características e seus usos na Geografia. 08 - A importância da semiologia gráfica para a representação espacial. 09 - A Alfabetização cartográfica: a representação especial e a construção da noção de espaço. 10 - Da cartografia analógica à cartografia digital: processos e ferramentas para o ensino de geografia. BIBLIOGRAFIA: 01 - ALMEIDA, Rosangela Doin de. Do desenho do mapa: iniciação cartográfica na escola. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2010. 115pp. 02 - ALMEIDA, Rosangela Doin de (organização). Novos rumos da cartografia escolar: currículo, linguagem e tecnologia. São Paulo: Contexto, 2011. 192p. 03 - ALMEIDA, Rosangela Doin de (organização). Cartografia escolar. São Paulo: Contexto, 2007. 224p. 04 - ARCHELA, Rosely Sampaio. Cartografia contemporânea e novas tecnologias. In: ARCHELA, Rosely Sampaio; FRESCA, Tania M.; SALVI, Rosana F. Novas tecnologias. Londrina: Editora da EUL, 2001, pp.41-56. (Série Geografia em Movimento 1) Cascavel: Edunioeste, 2010. 209pp. 05 - CASTRO, José Flávio Morais. História da Cartográfica e Cartografia Sistemática. Editora Puc-Minas, 2012. 104p. 06 - CRAMPTON, Jeremy W. Mapping: a critical introduction to cartography and GIS. Malden, MS: Wiley-Blackwell, 2010. 217p. 07 - DENT, Borden D. et al. Cartography: thematic map design. 6th ed. Boston: McGraw-Hill Higher Education , 2009. 336p. 08 - DUARTE, Paulo Araújo. Cartografia temática. Florianópolis: UFSC, 1991. 145p. 09 - DUARTE, Paulo Araújo. Fundamentos de cartografia. 3. Florianópolis: Ed. UFSC, 2006. 208p. 10 - FITZ, Paulo Roberto. Cartografia básica. São Paulo: Oficina de Textos, 2008. 143 p. 11 - FLORENZANO, Tereza Gallotti. Imagens de satélites para estudos ambientais. São Paulo: Oficina dos Textos, 2002. 12 - FRANCISCHETT, MAFALDA NESI. A cartografia no ensino de geografia: abordagens metodológicas para o entendimento da representação. 13 -GRANELL-PÉREZ, Maria Del Carmen. Trabalhando Geografia com as cartas topográficas. Ijuí: Editora da Unijuí, 2001. 14 - HARLEY, Jonh Brian. Tha new nature of maps: essas in the history of cartography. Baltimore, Md: Jonhs Hopkins University Press, 2001. 331p. 15 - IBGE. Noções básicas de Cartografia. Rio de Janeiro: IBGE/Departamento de Cartografia, 1999. 130p. 16 - JOLY, FERNAND. A cartografia. 9. Campinas, SP: Papirus, 2007. 136p. 17 -MARTINELLI, MARCELLO. Curso de cartografia temática. São Paulo: Contexto, 1991. 180p. 18 - MARTINELLI, MARCELLO. Mapas da geografia e cartografia temática. 4. ed. São Paulo: Contexto, 2007. 112pp.19MENEZES, Paulo Márcio Leal de e FERNANDE, Manoel do Couto. Roteiro de Cartografia. São Paulo: Oficina de Textos, 2013. 288,p 20 - NOGUEIRA, Ruth E. Cartografia: representação, comunicação e visualização de dados espaciais. 2ª Edição Revisada. Florianópolis: Editora da USC, 2008. 21 - OLIVEIRA, Cêurio de. Dicionário Cartográfico. 4º Edição. Rio de Janeiro: IBGE, 1993. 22 - OLIVEIRA, Cêurio. Curso de cartografia moderna. 2. Rio de Janeiro: IBGE, 1993. 152p. 23 - PARANHOS FILHO, Antonio Conceição; LASTORIA, Giancarlo e TORRES, Thais Gisele. Sensoriamento remoto ambiental aplicado: introdução às geotcnologias. Campo Grande: Editora da UFMS, 2008, 198p. 24 - SILVA, Ardemirio de Barros. Sistema de informações geo-referenciadas: conceitos e fundamentos. Campinas: Editora da Unicamp, 2003. 25 -SILVA, Jorge Xavier da e ZAIDAN, Ricardo Tavares (org.). Geoprocessamento & Meio Ambiente. Rio de Janeiro : Bertrand Brasil, 2011. 328p. 26 - SLOCUM, T.A. et al.. Thematic cartography and geovisualization. 3rd ed. Upper Saddle River, NJ: Prentice-Hall, 2009. 561p. 27 - SOUZA, José Gilberto de e KATUTA, Ângela Massumi. Geografia e conhecimentos cartográficos: a cartografia no movimento de renovação da Geografia brasileira e a importância do uso de mapas. São Paulo: Editora UNESP, 2001. 28 - Robinson, Arthur Howard et al.. Elements of cartography. 6th ed. New York, NY: John Wiley, 1995. 674p. 29 - VENTURI, Luis Antonio Bittar (org.). Praticando Geografia: técnicas de campo e laboratório. São Paulo: Oficina dos Textos, 2005. 30 - ZACHARIAS, Andréa Aparecida. A representação gráfica das unidades de paisagem no zoneamento ambiental. São Paulo: Editora da Unesp, 2010. 212p. Faculdade: FCH; Área: Geografia Humana: Espaço, Fronteira e Política. PONTOS: 01 - Fronteira, território e globalização; 02 - Fronteira: Estado, economia e sociedade; 03 - Geografia política e geopolítica; 04 - Fronteiras Sul-Americanas; 05 - Concepções de fronteira na Geografia contemporânea; 06 - A dimensão da cultura na análise do espaço geográfico; 07 - O Estado e as políticas territoriais; 08 - Etnia, raça e política; 09 - Identidade, hibridismo e alteridade; 10 - Regionalização do espaço mundial contemporâneo. BIBLIOGRAFIA: 01 - ALBUQUERQUE, José Lindomar Coelho. A dinâmica das fronteiras: os brasiguaios entre o Brasil e o Paraguai. São Paulo: Annablume, 2010. 02 - BOURDIEU, Pierre. O poder simbólico. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2000. 03 - CANCLINI, N. Culturas Híbridas: estratégias para entrar e sair da Modernidade. São Paulo: Edusp, 1997. 04 - CASTRO, Iná Elias. Geografia e política. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2005. 05 - CLAVAL, Paul. A geografia cultural. Florianóplis: UFSC, 1999. 06 - CORREA, Roberto Lobato; ROSENDAHL, Zeny. Introdução à Geografia Cultural. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2003. 07 - COSTA, Wanderley M. da. Geografia Política e geopolítica: discursos sobre o território e o poder. São Paulo: EDUSP, 2008. 08 - FOUCHER, Michel. L'invention des frontières. Paris: F.E.D.N., 1986. 09 - GIDDENS, Anthony. A Constituição da Sociedade. 2ª. ed. São Paulo: Martins Fontes, 2003. 10 -HAESBAERT, Rogério. (org.) Globalização e fragmentação no mundo contemporâneo. Niterói: EdUff, 1998.11HAESBAERT, Rogério. O mito da desterritorialização: do fim dos territórios à multiterritorialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2004. 12 - HAESBAERT, Rogério; PORTO-GONÇALVES, Carlos Walter. A nova (des) ordem mundial. São Paulo: Editora UNESP, 2006. 13 - HALL, Stuart. Da Diáspora - Identidades e Mediações Culturais. Belo Horizonte: UFMG, 2003. 14 - HARVEY, David. A produção capitalista do espaço. São Paulo: Annablume, 2005. 15 - HARVEY, David. Condição pós-moderna. São Paulo: Ed. Loyola, 1993. 16 - HISSA, Cássio E. V. A mobilidade das fronteiras: inserções da Geografia na crise da modernidade. Belo Horizonte: Ed. da UFMG, 2006. 17 - MARTINS, José de Souza. Fronteira: a degradação do Outro nos confins do humano. São Paulo: Hucitec, 1997. 18 - MASSEY, Doreen. Pelo espaço: uma nova política da espacialidade. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2008. 19 - MOREIRA, Ruy. Para onde vai o pensamento geográfico? Por uma epistemologia crítica. São Paulo: Contexto, 2006. 20 - POULANTZAS, N. O Estado, o Poder, o Socialismo. Rio de Janeiro: Graal, 1980. 21 - RAFFESTIN, Claude. Por uma geografia do poder. São Paulo: Ática, 1993. 22 - SANTOS, Milton. A natureza do Espaço. Técnica e Tempo. Razão e Emoção. São Paulo: Hucitec, 1997. 23 - SANTOS, Milton. Por uma outra globalização. São Paulo: Record, 2000. 24 - SANTOS, Baventura de Souza (org.). A globalização e as ciências sociais. São Paulo: Cortez, 2002. 25 -SERPA, Angelo (Org.). Espaços culturais: vivências, imaginações e representações. Salvador: EDUFBA, 2008. 26 - SILVEIRA, Maria Laura (org.). Continente em chamas: globalização e território na América Latina. Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 2005. 27 -SOUZA, Marcelo Lopes. Os conceitos fundamentais da pesquisa sócio-espacial. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2013. Faculdade: FCH;Área: História Cultural/Estágio Supervisionado em História. PONTOS: 01 - História cultural e interdisciplinaridade; 02 - História cultural: teoria e pesquisa; 03 - Micro-história e historiografia; 04 -Diversidade Cultural e ensino de história; 05 - Estágio Supervisionado: espaço de conhecimento e pesquisa; 06 - História cultural e ensino de história; 07 - História cultural: identidades e representações; 08 - Estágio supervisionado e formação docente; 09 - História cultural e história do tempo presente; 10 -O Patrimônio cultural no campo da história. BIBLIOGRAFIA: 01 - ABREU, Martha; SOIHET, Rachel; GONTIJO, Rebeca (orgs.). Cultura política e leituras do passado: historiografia e ensino de história. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2007. 02 - ABREU, Martha; SOIHET, Rachel (orgs.). Ensino de história: conceitos, temáticas e metodologia. 2 ed. Rio de Janeiro: Casa da Palavra, 2009. 03 - ALMEIDA, Carla Maria Carvalho de; OLIVEIRA, Mônica Ribeiro (orgs.). Exercícios de microhistória. Rio de Janeiro: FGV, 2009. 04 - BURKE, Peter. Variedades de história cultural. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2000. 05 -O que é história cultural? Rio de Janeiro: Zahar, 2005. 06 - História e teoria social. 2ª. ed. São Paulo: Edunesp, 2012. 07 - CALDERANO, Maria da Assunção. (org.) Estágio Curricular: concepções, reflexões teórico-práticas e proposições. Juiz de Fora, MG: Editora da UFJF, 2012. 08 - CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (orgs.). Novos domínios da história. Rio de Janeiro: Campus, 2011. 09 -CHARTIER, Roger. À beira da falésia: a história entre certezas e inquietude. Porto Alegre: Edufrgs, 2002. 10 - A história cultural: entre práticas e representações. 2 ed. Lisboa: Difel, 2002. 11 -CHAUVEAU, A. & TÉTART, P. Questões para a história do presente. São Paulo: EDUSC, 1999. 12 - DOSSE, François. A história em migalhas: dos annales à nova história. Bauru: Edusc, 2003. 13 -GINZBURG, Carlo. Mitos, emblemas, sinais: morfologia e história. São Paulo: Cia das Letras, 1989. 14 - HARTOG, François. Regimes de historicidade: presentismo e experiência do tempo. Belo Horizonte: Autêntica, 2013. 15 - HUNT, Lynn. A Nova História Cultural. São Paulo: Martins Fontes, 1992. 16 - LE GOFF, Jacques. (org.). A história nova. São Paulo: Martins Fontes, 1990. 17 - História e Memória. 2ª. ed. Campinas: Edunicamp, 1992. 18 - PERROT, Michelle. Os excluídos da história: operários, mulheres, prisioneiros. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1988. 19 - PIMENTA, Selma Garrido; LIMA, Maria Socorro Lucena. Estágio e Docência. 2 ed. São Paulo: Cortez, 2004. 20 - PIMENTA, Selma Garrido. O Estágio na formação de professores. 9 ed. São Paulo: Cortez, 2010. 21 - RICOEUR, Paul. A memória, a história, o esquecimento. Campinas: Editora UNICAMP, 2007. 22 - RIOUX, Jean-Pierre & SIRINELLI, Jean-François. (org.). Para uma História Cultural. Lisboa: Editorial Estampa, 1998 Faculdade: FCH; Área: Psicologia: Grupos e Psicodiagnóstico em diferentes contextos. PONTOS: 1 - Avaliação, diagnóstico e desafios atuais em Psicologia: aplicação do psicodiagnóstico no contexto da saúde, jurídico-forense, educacional, organizacional, comunitário. 2 -A elaboração de documentos decorrentes do processo de avaliação diagnóstica: aspectos teóricos e éticos. 3 - Psicodiagnóstico: Bases epistemológicas, históricas e conceituais; 4 - A atuação do psicólogo no psicodiagnóstico do adolescente, do adulto e do idoso. 5 - Técnicas de entrevista individual e grupal e suas contribuições para o psicodiagnóstico.6-Opsicodiagnóstico em diferentes contextos: problematizações. 7 - O trabalho com grupos nas instituições. 8 - O ensino do psicodiagnóstico: limites e possibilidades. 9 - Os testes psicológicos no Psicodiagnóstico: a importância para a formação profissional. 10 - Os testes projetivos no psicodiagnóstico: avanços e perspectivas. BIBLIOGRAFIA: 01 - ANCONA-LOPEZ, M. (Org.). Psicodiagnóstico: Processo de intervenção. São Paulo: Cortez, 2002. 02 - ANZIEU, Didier. Os métodos projetivos. Rio de janeiro: Campus,1981. 03 - ARZENO, M. E. G. Psicodiagnóstico clínico: Novas contribuições. Porto Alegre: Artes Médicas. 1995. 04 - BARBIERI, Valéria. Psicodiagnóstico tradicional e interventivo: confronto de paradigmas?. Psic.: Teor. E Pesq., Brasília, v. 26, n. 3, set. 2010 . Disponível em. 05 - BAREMBLITT, Gregório. (Org.) Grupos: Teoria e Técnica. Rio de Janeiro: Edições Graal, 1986. 06 - BION, W. R. Experiências com grupos. Rio de Janeiro: Imago, 1975. 07 - BLEGER, José. Temas de Psicologia: Entrevistas e Grupos. SãoPaulo: Martins Fontes, 2001. 08 - Psico-higiene e Psicologia Institucional. Porto Alegre: Artes Médicas, 1992. 09 - CUNHA, J. A. Psicodiagnóstico-V. Porto Alegre: Artmed, 2000. 10 - GOMES, Isabel Cristina. A formação em psicodiagnóstico e os testes psicológicos. Psicologia: teoria e prática, V. 2, n 2, 2000. Disponível em: http://editorarevistas.mackenzie.br/index.php/ptp/article/view/1111. Acesso em 15 de abril de 2013. 11 - HAMMER, E. F. Aplicações Clínicas dos Desenhos Projetivos. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2008. 12 - LANCETTI A. Saúde e loucura: grupos e coletivos. 4ª ed. São Paulo: Hucitec, 1993. 13 - MACEDO, M. M. K.; CARRASCO, L. K. (Con) textos de entrevista: olhares diversos sobre a interação humana. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2005. 14 - NUNES, M. L. T. (Org.). Técnicas Projetivas com Crianças. São Paulo: Casa do Psicólogo, 2010. 15 - OCAMPO, M. L. S. et al. O Processo Psicodiagnóstico e as Técnicas Projetivas. Trad. de Miriam Felzenszwalb. São Paulo: Martins Fontes, 1981. 16 - PICHON-RIVIÈRE, E. O Processo Grupal. São Paulo: Martins Fontes,1996. 17 - SHINE, S. K. Avaliação psicológica e lei: adoção, vitimização, separação conjugal, dano psíquico e outros temas. São Paulo, Casa do Psicólogo, 2005. 18 -TERZIS, A. Grupoterapia: Teoria e pratica. Campinas: Editora Quick, 1997. 19 - TRINCA, W. Diagnóstico Psicológico: A prática clínica. São Paulo: EPU, 1984. 20 - WERLANG, B. S. G; AMARAL A. E. V. Atualizações em métodos projetivos para avaliação psicológica. 21 - YALON, D. I.; LESZCZ. M. Psicoterapia de grupo: teoria e prática. Porto Alegre: Artmed, 2006. 22 - ZIMERMAN, David; OSORIO, L. C. Como trabalhamos com grupos. Porto Alegre: ArtMed, 1997. 23 -ZIMERMMAN, D. E. Fundamentos Básicos das Grupoterapias. Porto Alegre: Artmed, 2000. Faculdade: FCH. Área: Psicologia: Psicologia aplicada a necessidades especiais e Formação de Professores. PONTOS: 1 O Estágio na Formação de Professores de Psicologia 2 Competências para Ensinar e a Formação de Professores de Psicologia. 3 O Estágio Supervisionado e a Construção de Saberes docentes necessários ao Professor de Psicologia. 4 O exercício da docência e o Saber Psicológico 5 Diretrizes curriculares para Licenciatura em Psicologia: definição do campo de atuação. 6 Formação de Professores de Psicologia: Limites e possibilidades 7 História da Educação Especial no Brasil: impactos e desafios atuais. 8 Educação Especial e Inclusão, empoderamento e auto-advocacia. 9 Desenvolvimento humano em situações de risco; resiliência, processos de vulnerabilidade e proteção. 10 Psicologia e Educação Especial: prevenção, intervenção e planejamento de políticas públicas. 11 Avanços legais em defesa dos direitos da pessoa com deficiência ou altas habilidades. Bibliografia 01 AAMR, American Association on Mental Retardation. Retardo Mental: definição, classificação e sistemas de apoio. 10ª. Edição. Tradução Magda França Lopes. Porto Alegre: Artmed, 2006. 02 ASSUNÇÃO, M. M. S. Curso de Psicologia: Algumas Reflexões sobre o Bacharelado e Licenciatura. Educação em Revista, Belo Horizonte. n. 29, jun-1999 03 BRASIL. Coordenadoria Nacional para Integração de Pessoas Portadoras de Deficiências. Declaração de Salamanca e Linhas de Ação sobre Necessidades Educacionais Especiais. Brasília: MEC,1994. 04 BRASIL. Resolução Nº 5, De 15 De Março De 2011. Ministério da Educação Conselho Nacional de Educação. Câmara De Educação Superior. 05 CABALLO, V.E.; SIMÓN,M.A. Manual de Psicologia e clínica infantil e do adolescente. São Paulo, Santos Editora, 2005. 06 FREITAS, D. S. et al.. Ações educativas e estágios curriculares supervisionados. Santa Maria: Ed. da UFSM, 2007. 07 GOFMAN, E. Estigma: notas sobre a manifestação da identidade deteriorada. Rio de Janeiro: Perspectivas, 1993. 08 LAROCCA, Priscila. O saber psicológico e a docência: reflexões sobre o ensino de psicologia na educação. Psicol. cienc. prof. [online]. v.20, n.2, p. 60-65, 2000. 09 MAZZOTTA, M. J. Educação especial no Brasil. História e Políticas públicas. São Paulo: Cortez, 2003. 10 MENDES, E. G. A radicalização do debate sobre inclusão escolar no Brasil. Rev. Bras. Educ., v..11, n.33, p.387-405, dez., 2006. 11 NEVES, T. R. L. Educar para a cidadania: promovendo habilidades de auto-advocacia em grupos de pessoas com deficiência. Tese de Doutorado. Programa de Pós-Graduação em Educação Especial. Universidade Federal de São Carlos, São Carlos, 2005. 12 PERRENOUD, F. As Competências para Ensinar no Sec. XXI: A Formação dos Professores e o Desafio da Avaliação. Porto Alegre: Artmed, 2007. 13 PICONEZ, S. C. B. A prática de ensino e o estágio supervisionado. Campinas: Papirus, 2007. 14 PIMENTA, S. G. O Estágio na formação de professores. São Paulo: Cortez, 1995. 15 TARDIF, Maurice. Saberes docentes e formação profissional. Petrópolis: Vozes, 2002. Faculdade: FCH Área: Psicologia: Psicologia Organizacional e do Trabalho; e Orientação Profissional PONTOS 1 Teorias de gestão e as repercussões no mundo do trabalho frente à reestruturação produtiva. 2 Psicologia Institucional aplicada à área do trabalho 3 Adoecimento e bem estar no trabalho: principais perspectivas teóricas e práticas 4 A Psicologia Organizacional e do Trabalho: principais vertentes teóricas e campos de atuação 5 Aprendizagem no contexto do trabalho (ACT)/ Treinamento, Desenvolvimento e Educação (TD&E) 6 Treinamento e seleção de pessoal: potencialidades, avanços e limitações 7 Determinantes da escolha profissional: subjetividade, contexto social, econômico e cultural 8 Instrumentos de Orientação Profissional e acompanhamento profissional 9 Intervenção junto a grupos no processo de orientação profissional em