Andamento do Processo n. 1003786-97.2019.8.26.0348 - Procedimento Comum Cível - 19/06/2019 do TJSP

Mauá

Cível

3ª Vara Cível

JUÍZO DE DIREITO DA 3ª VARA CÍVEL

JUIZ(A) DE DIREITO GLAUCO COSTA LEITE

ESCRIVÃ(O) JUDICIAL GLEICE DE CÁSSIA GUIMARÃES

EDITAL DE INTIMAÇÃO DE ADVOGADOS

Relação Nº 0185/2019

Processo 1003786-97.2019.8.26.0348 - Procedimento Comum Cível - Pagamento Indevido - Adelco Sistemas de Energia Ltda - Argos Industrial Eireli - Me - Vistos. 1- Vista à parte autora da contestação e documentos que a acompanham, inclusive com contrariedade e apresentação de provas relacionadas a eventuais questões incidentais e preliminares arguidas, especialmente atentando para o previsto no artigo 338 do CPC na hipótese de alegação de ilegitimidade de parte pelo adverso . 2- Sem

embargo, prestigiando a razoável duração do processo, desde já, determino que as partes especifiquem as provas que desejam produzir, justificando a pertinência e a utilidade de cada elemento, observando que: a) não cabe a cumulação do requerimento de imediato julgamento (art. 355, CPC) com a especificação de provas, de modo que esta será tida por inexistente, porque prejudicial àquele; b) justificativas genéricas implicarão indeferimento pelo não desencargo do ônus; c) o requerimento de produção de prova documental superveniente deve ser justificado nos termos do art. 435 do CPC; d) o requerimento de produção de prova testemunhal deverá ser acompanhado do rol de testemunhas (que deverá conter, sempre que possível: nome, profissão, estado civil, idade, número de CPF, número de identidade e endereço completo da residência e do local de trabalho), exposta a pertinência e a utilidade de cada oitiva desejada, sob a pena de preclusão. As testemunhas deverão ser ao máximo de três para cada parte. Somente será admitida a inquirição de testemunhas em quantidade superior na hipótese de justificada imprescindibilidade e se necessária para a prova de fatos distintos (artigo 357, V, § 6º do CPC). 3- Esclareçam, no mesmo ato, se desejam a realização de audiência de conciliação, sob pena de o silêncio ser interpretado como desinteresse. 4- Prazo: 15 (quinze) dias (observando-se que para a parte representada pela Defensoria Pública do Estado de São Paulo e quando a parte for União, Estados, Municípios e suas respectivas autarquias e fundações de direito público, o prazo é em dobro) 5- Decorrido o prazo ou com a manifestação das partes, se o caso, ao Ministério Público e tornem conclusos. Int. Mauá, 17/06/2019 - ADV: DOUGLAS ALEXANDRE DA SILVA (OAB 172482/SP), MARCELO ARRUDA (OAB 350825/SP)