Busca sem resultado
Famílias Multifacetadas - Ed. 2023

Famílias Multifacetadas - Ed. 2023

Capítulo 13. Famílias Coparentais

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Sumário:

“Vossos filhos não são vossos filhos.

São os filhos e as filhas da ânsia da vida por si mesma.

Vêm através de vós, mas não de vós.

E embora vivam convosco, não vos pertencem.

Podeis outorgar-lhes vosso amor, mas não vossos pensamentos,

Porque eles têm seus próprios pensamentos.

Podeis abrigar seus corpos, mas não suas almas;

Pois suas almas moram na mansão do amanhã,

Que vós não podeis visitar nem mesmo em sonho (...).”

Khalil Gibran

(1883-1931)

Escritor, ensaísta e pintor libanês.

13.1.O que é coparentalidade?

Com a evolução das sociedades e da tecnologia, com o desprendimento dos valores impostos e a revisitação dos papéis de gênero, das famílias e dos afetos, surge, no Brasil, uma conformação familiar que é comum nos EUA e noutros países do mundo: co-parenting agreement . A coparentalidade é espécie do gênero famílias parentais, formada pelo eixo vertical que liga dois ascendentes aos descendentes – pais e filhos –, daí o termo parentalidade como objetivo central do núcleo. O prefixo “co”, por sua vez, vem do termo “conjunto”; portanto, coparentalidade trata-se da realização de um projeto de parentalidade conjunto traçado por duas pessoas (ou mais) com perfis, idades, gêneros, sexualidades, valores, padrões culturais e classes sociais diversas, e ambos assumem, espontaneamente, a concretização de um projeto responsável para geração dos filhos.

O ponto distintivo da coparentalidade é que, nessa entidade familiar, não há conjugalidade entre os ascendentes , isto é, não há romance, namoro, relação afetiva-sexual, compromisso amoroso nem conjugal entre eles. Nesse sentido, Rodrigo da Cunha Pereira define: “É a família parental, cujos pais se encontram apenas para ter filhos, de forma planejada, para criá-los em sistema de cooperação mútua, sem relacionamento conjugal ou mesmo sexual, entre eles” . 1

Sobre as origens da família coparental, não há certezas, conforme abordado em trabalhos na área da psicologia:

A origem do termo coparentalidade (coparenting) não está clara na literatura. Foram realizadas diversas buscas em algumas bases de dados internacionais utilizando-se o descritor coparent*, desde o início de indexação de cada um. Na base de dados ERIC, o termo aparece pela primeira vez em 1978, em um livro de Galper: ‘Coparenting: sharing your child equally. A source book for the separated or divorced family’. No …

Uma nova experiência de pesquisa jurídica em Doutrina. Toda informação que você precisa em um só lugar, a um clique.

Com o Pesquisa Jurídica Avançada, você acessa o acervo de Doutrina da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa dentro de cada obra.

  • Acesse até 03 capítulos gratuitamente.
  • Busca otimizada dentro de cada título.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
29 de Maio de 2024
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/131o-que-e-coparentalidade-capitulo-13-familias-coparentais-familias-multifacetadas-ed-2023/1929471985