Busca sem resultado
Compliance em Direitos Humanos, Diversidade e Ambiental

Compliance em Direitos Humanos, Diversidade e Ambiental

Capítulo V. Inteligência Artificial Discriminatória: Algoritmos Estigmatizantes

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

[...] “Humanos correm o risco de perder seu valor porque a inteligência está se desacoplando da consciência.” [...]

(Yuval Noah Harari) 1

O destaque apresentado, da lavra de Yuval Noah Harari em sua obra Homo Deus – Uma Breve História do Amanhã, propõe interessante reflexão e questionamentos que, apesar de sucinto o destaque, remetem a importantes percepções de ordem moral e ética. Será realmente importante a referida consciência, seja ela política, ética, jurídica, seja religiosa etc.? Sendo a decisão fruto do livre-arbítrio e cujas opções consideradas, nem sempre traduzem as melhores posturas morais e éticas, mas focam exclusivamente a realização de uma tarefa a ser desenvolvida, via de regra seus resultados refletem as visões predominantes e decorrentes de distintos fatores, dos respectivos gestores e ocupantes de posições de liderança, nas empresas. Porém, o elemento “consciência” pode significar a diferença entre uma decisão ética ou não; de respeito aos direitos humanos, ou não.

A questão que se coloca nesse ponto diz respeito à Inteligência Artificial (AI) e demais recursos tecnológicos, que a partir de certo estágio evolutivo passaram a realizar tarefas com maior autonomia, mais elevada precisão e a partir de uma cada vez mais ampla base de dados. O escopo que se busca alcançar com cada vez mais rigor e excelência é a concepção de máquinas capazes de realizar as tarefas humanas com mais perfeição, independência e celeridade, sobre uma base de dados ilimitada, busca sintetizada na questão levantada por Marvin Minsky em sua obra Semantic Information Processing, de 1968, conforme explica Alexandre Direne 2 :

[...] “O termo “inteligência artificial” nasceu em 1956 no famoso encontro de Dartmouth. Dentre os presentes a este encontro incluíam-se Allen Newell, Herbert Simon, Marvin Minsky, Oliver Selfridge e John McCarthy. No final dos anos 50 e início dos anos 60, os cientistas Newell, Simon, e J. C. Shaw introduziram o processamento …

Uma nova experiência de pesquisa jurídica em Doutrina. Toda informação que você precisa em um só lugar, a um clique.

Com o Pesquisa Jurídica Avançada, você acessa o acervo de Doutrina da Revista dos Tribunais e busca rapidamente o conteúdo que precisa dentro de cada obra.

  • Acesse até 03 capítulos gratuitamente.
  • Busca otimizada dentro de cada título.
Ilustração de computador e livro
jusbrasil.com.br
20 de Abril de 2024
Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/doutrina/secao/capitulo-v-inteligencia-artificial-discriminatoria-algoritmos-estigmatizantes-compliance-em-direitos-humanos-diversidade-e-ambiental/1294655664