Tribunal
marcar todosdesmarcar todos

decreto regulamentador em Jurisprudência

Mais de 10.000 resultados
Ordenar Por
  • TRT-3 - RECURSO ORDINARIO TRABALHISTA RO XXXXX01513603001 MG XXXXX-07.2015.5.03.0136 (TRT-3)

    Jurisprudência

    DECRETO REGULAMENTADOR - INCONSTITUCIONALIDADE - ARGUIÇÃO REJEITADA. O decreto regulamentador deve ser confrontado com a lei a que visa regulamentar, podendo ser taxado de ilegal ou não. Por outro lado, a lei é que deve ser contrastada com a Constituição Federal , para analisar sua conformidade ou não com os preceitos constitucionais. Sob esse aspecto, não há cogitar de inconstitucionalidade de decreto regulamentador.

    As Jurisprudências apresentadas estão por ordem de RelevânciaMudar ordem para Data
  • TJ-MG - Apelação Cível AC XXXXX10612736001 MG (TJ-MG)

    Jurisprudência

    DIREITO ADMINISTRATIVO - SERVIDOR PÚBLICO ESTADUAL DO INSTITUTO DE GEOCIÊNCIAS APLICADAS - LITISCONSÓRCIO PASSIVO NECESSÁRIO DO ESTADO DE MINAS GERAIS - DESNECESSIDADE - LEI ESTADUAL Nº 15.466/2005 - ENQUADRAMENTO DOS SERVIDORES (ART. 31) E DELIBERAÇÃO DE POSTERIOR REGULAMENTAÇÃO DO DESENVOLVIMENTO DA CARREIRA ATRAVÉS DE DECRETO (ARTS. 22 E 36) - DECRETO REGULAMENTADOR Nº 44.216/2006 (ART. 2º, I) - POSICIONAMENTO SEGUNDO A ESCOLARIDADE EXIGIDA PARA O PROVIMENTO DO CARGO EFETIVO TRANSFORMADO - DECRETO REGULAMENTADOR Nº 44.769/2008 (ARTS. 1º, VII E 2º) - PROMOÇÃO POR ESCOLARIDADE - DECRETO REGULAMENTADOR Nº 45.274/2009 (ART. 14, II, b) - REPOSICIONAMENTO - SENTENÇA MANTIDA - RECURSO NÃO PROVIDO. 1. Se o Instituto de Geociências Aplicadas é dotado de autonomia financeira, personalidade jurídica própria e capacidade de ser parte, que lhe permite responder pelas obrigações reclamadas neste processo, desnecessária a formação de litisconsórcio passivo com o Estado de Minas Gerais. 2. A Lei Estadual nº 15.466/2005 apenas instituiu a carreira do Grupo de Atividades de Ciência e Tecnologia (enquadramento - art. 31), nada dispondo sobre o reposicionamento em razão da escolaridade, que somente foi regulamentado com o advento do Decreto Regulamentador nº 44.769/2008. 3. Demonstrado que o enquadramento, posicionamento, reposicionamento e a promoção por escolaridade foram realizados em observância as normas atinentes ao cargo ocupado pelo servidor, não há que se falar em desídia da administração a partir de 01/06/2006. 4. Sentença mantida. 5. Recurso não provido.

  • TJ-MS - Mandado de Segurança Coletivo MS XXXXX20198120000 MS XXXXX-53.2019.8.12.0000 (TJ-MS)

    Jurisprudência

    MANDADO DE SEGURANÇA – FALTA DE DECRETO REGULAMENTADOR – DIREITO PREVISTO EM LEI INFRACONSTITUCIONAL - PRELIMINAR DE INADEQUAÇÃO DA VIA ELEITA - MATÉRIA QUE SERIA AFETA AO MANDADO DE INJUNÇÃO – REJEITADA. O mandado de injunção é cabível apenas quando a omissão da norma regulamentadora obstaculizar o exercício de direito ou garantia previsto diretamente em norma constitucional de eficácia limitada, não se estendendo àqueles direitos ou garantias preconizados em norma infraconstitucional. MANDADO DE SEGURANÇA – INÉRCIA DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA NA EDIÇÃO DE DECRETO REGULAMENTADOR DE DIREITO RECONHECIDO E DETERMINADO EM LEI ESTADUAL – INDENIZAÇÃO DE APERFEIÇOAMENTO FUNCIONAL – OMISSÃO – DIREITO LÍQUIDO E CERTO – ORDEM CONCEDIDA A inércia da Administração Pública em cumprir a obrigação de editar decreto regulamentador de direito constitui omissão ilegal e implica indevida violação a direito líquido e certo dos servidores apta a ser amparada pelo mandado de segurança.

  • TJ-MS - Apelação Cível AC XXXXX20208120006 MS XXXXX-81.2020.8.12.0006 (TJ-MS)

    Jurisprudência

    APELAÇÃO CÍVEL – COBRANÇA – SERVIDORA PÚBLICA MUNICIPAL – PRELIMINAR AFASTADA – AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO PREVISTO EM LEI COMPLEMENTAR – NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO PELO PODER EXECUTIVO – DECRETO REGULAMENTADOR REVOGADO – BENEFÍCIO DEVIDO NO PERÍODO DE VIGÊNCIA DO DECRETO – RECURSO NÃO PROVIDO. O Decreto regulamentador teve vigência de cerca de um ano, sendo devido o benefício no referido período.

  • TJ-MS - Apelação Cível AC XXXXX20208120006 MS XXXXX-55.2020.8.12.0006 (TJ-MS)

    Jurisprudência

    APELAÇÃO CÍVEL – COBRANÇA – SERVIDORA PÚBLICA MUNICIPAL – AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO PREVISTO EM LEI COMPLEMENTAR – NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO PELO PODER EXECUTIVO – DECRETO REGULAMENTADOR REVOGADO – BENEFÍCIO DEVIDO APENAS NO PERÍODO DE VIGÊNCIA DO DECRETO – RECURSO NÃO PROVIDO. O Decreto regulamentador teve vigência de cerca de um ano, sendo devido o benefício apenas naquele período.

  • TJ-MS - Apelação Cível AC XXXXX20198120006 MS XXXXX-98.2019.8.12.0006 (TJ-MS)

    Jurisprudência

    APELAÇÃO CÍVEL – COBRANÇA – SERVIDORA PÚBLICA MUNICIPAL – AUXÍLIO-ALIMENTAÇÃO PREVISTO EM LEI COMPLEMENTAR – NECESSIDADE DE REGULAMENTAÇÃO PELO PODER EXECUTIVO – DECRETO REGULAMENTADOR REVOGADO – BENEFÍCIO DEVIDO APENAS NO PERÍODO DE VIGÊNCIA DO DECRETO – RECURSOS NÃO PROVIDOS. O Decreto regulamentador teve vigência de cerca de um ano, sendo devido o benefício apenas naquele período.

  • TJ-AM - XXXXX20148040000 AM XXXXX-73.2014.8.04.0000 (TJ-AM)

    Jurisprudência

    INCIDENTE DE ARGUIÇÃO DE INCONSTITUCIONALIDADE. DECRETO REGULAMENTADOR. LEI REGULAMENTADA DECLARADA INCONSTITUCIONAL. DEPENDÊNCIA NORMATIVA. INCONSTITUCIONALIDADE CONSEQUENCIAL. INCIDENTE JULGADO PROCEDENTE. 1. A declaração de inconstitucionalidade quanto a lei que serve de fundamento para decreto regulamentador enseja o reconhecimento da inconstitucionalidade consequencial, ou por arrastamento, da norma dependente; 2. O reconhecimento da inconstitucionalidade da Lei Municipal n.º 1.752/2013 gera, por consequência, a inconstitucionalidade do Decreto Municipal n.º 2.552/2013, cuja única função era a de regulamentar a lei derrubada; 3. Incidente de arguição de inconstitucionalidade julgado procedente, com a declaração de inconstitucionalidade do Decreto Municipal n.º 2.552/2013.

  • TST - RECURSO DE REVISTA RR XXXXX20065070026 (TST)

    Jurisprudência

    RECURSO DE REVISTA. INCOMPETÊNCIA DA JUSTIÇA DO TRABALHO - REGIME JURÍDICO ÚNICO - INEXISTÊNCIA DO RESPECTIVO DECRETO REGULAMENTADOR . O único fundamento utilizado pelo TRT para afastar a declaração de incompetência da Justiça do Trabalho declarada em primeiro grau foi o de que não há prova da existência de decreto regulamentador da lei instituidora do Regime Jurídico Único . Todavia, o TST já se pronunciou no sentido de que a eficácia do regime jurídico único no âmbito dos municípios independe da edição de normas regulamentadoras da relação de trabalho estatutária. Precedentes. Recurso de revista conhecido e provido. Prejudicada a análise dos temas remanescentes.

  • TST - RECURSO DE REVISTA RR XXXXX20085070023 (TST)

    Jurisprudência

    RECURSO DE REVISTA INTERPOSTO EM FACE DE DECISÃO PUBLICADA ANTERIORMENTE À VIGÊNCIA DA LEI 13.015 /2014. REGIME JURÍDICO ÚNICO. PUBLICAÇÃO EM IMPRENSA OFICIAL. DECRETO REGULAMENTADOR. DESNECESSIDADE. O Tribunal Regional considerou válida e eficaz a Lei Municipal 1.133/00, publicada em Diário Oficial, que instituiu Regime Jurídico Único aos servidores do Município de Morada Nova. No mesmo sentido, esta Corte Superior tem entendido que a eficácia do regime jurídico único no âmbito dos municípios depende apenas da publicação do ato em imprensa oficial, independendo da edição de decreto que regulamente a relação de trabalho estatutária. Desse modo, ainda que ausente decreto regulamentador, não há como considerar inválido o Regime Jurídico Único instituído pelo Município. Precedentes. Recurso de revista não conhecido.

  • TJ-SC - PROCEDIMENTO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL XXXXX20188240090 (TJ-SC)

    Jurisprudência

    RECURSO INOMINADO. JUIZADO ESPECIAL DA FAZENDA. SERVIDORA PÚBLICA ESTADUAL. REQUERIMENTO DE PROGRESSÃO FUNCIONAL POR TEMPO DE SERVIÇO E QUALIFICAÇÃO OU DESEMPENHO PROFISSIONAL. SENTENÇA DE PROCEDÊNCIA DO PEDIDO. INSURGÊNCIA DO ESTADO. ALEGAÇÃO DA IMPOSSIBILIDADE DE SE DEFERIR A PROGRESSÃO NO MESMO ANO DA HOMOLOGAÇÃO DO ESTÁGIO PROBATÓRIO. RESTRIÇÃO QUE NÃO ESTÁ PRESENTE NA LEI Nº 323 /2006. IMPOSSIBILIDADE DO DECRETO REGULAMENTADOR SUPRIMIR O DIREITO INSTITUÍDO PELA LEI, SOB PENA DE OFENSA AO PRINCÍPIO DA HIERARQUIA DAS NORMAS. PRECEDENTE: "O DECRETO REGULAMENTADOR NÃO PODE RESTRINGIR AQUILO QUE A LEI NÃO RESTRINGE" (MS N. 2008.041565-2, DA CAPITAL, REL. DES. LUIZ CÉZAR MEDEIROS, GRUPO DE CÂMARAS DE DIREITO PÚBLICO, J. 11-12-2013)”. SENTENÇA CONFIRMADA POR SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. RECURSO CONHECIDO E DESPROVIDO. (TJSC, PROCEDIMENTO DO JUIZADO ESPECIAL CÍVEL n. XXXXX-45.2018.8.24.0090 , do Tribunal de Justiça de Santa Catarina, rel. Marco Aurelio Ghisi Machado, Segunda Turma Recursal - Florianópolis (Capital), j. Tue Aug 31 00:00:00 GMT-03:00 2021).

Conteúdo exclusivo para assinantes

Acesse www.jusbrasil.com.br/pro e assine agora mesmo