jusbrasil.com.br
14 de Junho de 2021

Recurso - Ação Consórcio

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

Registro: 2021.00000-00

ACÓRDÃO

Vistos, relatados e discutidos estes autos de Apelação Cível no 0000000-00.0000.0.00.0000, da Comarca de Guarulhos, em que é apelante NomeE NomeE CONSÓRCIOS LTDA, é apelado Nome.

ACORDAM , em sessão permanente e virtual da 14a Câmara de Direito Privado do Tribunal de Justiça de São Paulo, proferir a seguinte decisão: Deram provimento ao recurso. V. U. , de conformidade com o voto do relator, que integra este acórdão.

O julgamento teve a participação dos Desembargadores CARLOS ABRÃO (Presidente Nomevoto), LAVÍNIO DONIZETTI PASCHOALÃO E BENEDITO ANTONIO OKUNO.

São Paulo, 7 de maio de 2021.

Nome

Relator (a) Assinatura Eletrônica

Apelação no 0000000-00.0000.0.00.0000(Digital) Apelante: Nomee Adminsitradora de Bens e Consórcios Ltda

Apelado: Nome

Juiz sentenciante: Dr. Nome

Comarca: São Paulo

Voto no 19.063

Ementa:

Ação monitória. Prolação de sentença após admissão de que houve regular citação do réu por correio e processamento do feito à revelia. Apelo da parte autora. Alegação de que os ARs do ato citatório foram assinados por terceiros e de que foram “positivos” em endereços diferentes. Pretensão de que o feito retorne à fase de citação para que a apelante providencie a citação do apelado por meio de oficial de justiça. Admissibilidade. Arts. 247, V e 248, § 3o, ambos do CPC. Apelo provido.

Vistos.

A r. sentença de fls. 246250, cujo relatório é adotado, julgou parcialmente procedente ação monitória ajuizada por Nomee Adminsitradora de Bens e Consórcios Ltda em face de Nomepara constituir em título executivo judicial o crédito consubstanciado no documento que embasou a inicial.

A autora apela (fls. 102/110) com vistas ao retorno do feito para a fase de citação a fim de que a autora providencie a citação do requerido por oficial de justiça, consoante a regra disposta pelo art. 248, § 3o, do CPC, nos endereços em que os “Ars” retornaram positivos com a assinatura de terceiros.

O recurso foi processado Nomeresposta.

É o relatório.

Inexiste óbice ao conhecimento do recurso.

Verifica-se que, de fato, houve a tentativa de citação do réu pelo correio nos diversos endereços indicados pela parte autora às fls. 73/74.

E na conformidade aduzida pela recorrente, nos avisos de recebimento (ARs) expedidos pelos correios às fls. 86/93, quando o recebimento foi positivo (fls. 86, 88, 90 e 91), neles foi oposta a assinatura de terceiros estranhos à lide.

Além disso, ainda nos moldes alegados pela apelante, constam dos autos “ARs” positivos em endereços diferentes (fls. 86 e 91) 1 , o que impede, mesmo, a admissão de que o ato processual citatório foi válido e eficaz.

Dessa forma, em razão do disposto pelo art. 247, V, do CPC e pelo art. 248, § 3o, do mesmo Código, e com vistas a se evitar alegação de futura nulidade, o recurso do autor deve ser provido.

Pelo exposto, voto pelo PROVIMENTO do recurso. Nome

Relator