Processo Nº 000XXXX-13.2016.8.16.0162

TJPR
Apelação Criminal

Andamento processual

30/09/2020há 2 anos

Tribunal de Justiça

Departamento Judiciário

Setor de Pautas

Pauta de Julgamento do dia 26/10/2020 00:00 até 30/10/2020 23:59

Sessão VIRTUAL ordinária - 4ª Câmara Criminal

Relação No. 2020.00061 de Publicação - Projudi

____________________________________________________

0048 000XXXX-13.2016.8.16.0162 - Apelação Criminal

Comarca: Sertanópolis.

Vara: Vara Criminal de Sertanópolis.

Ação Originária: 000XXXX-13.2016.8.16.0162 - Ação Penal - Procedimento Ordinário.

Apelante: A.P.L..

Advogado: Fernanda Brunassi Cordoba Zambaldi - 31251N-PR.

Apelado: M.P.d.E.d.P..

Relator: Desembargadora Sonia Regina de Castro.

Revisor: Desembargador Celso Jair Mainardi.

Revisor Convocado: Juiz Subst. 2ºgrau Pedro Luis Sanson Corat.

09/06/2020há 2 anos

Tribunal de Justiça

Comissão de Licitação do Departamento de Estradas de Rodagem do Paraná

Divisão de Registros e Informações

Curitiba

4598 000XXXX-13.2016.8.16.0162 - Apelação Criminal

Comarca: Sertanópolis.

Vara: Vara Criminal de Sertanópolis.

Ação Originária: 000XXXX-13.2016.8.16.0162 - Ação Penal - Procedimento Ordinário.

Apelante: A.P.L..

Advogado: Fernanda Brunassi Cordoba Zambaldi - 31251N-PR.

Apelado: M.P.d.E.d.P..

Distribuição Manual em 04/06/2020.

Relator: Desembargadora Sonia Regina de Castro.

Revisor: Desembargador Fernando Wolff Bodziak.

27/10/2017há 5 anos

Tribunal de Justiça

Ladismara Teixeira

Divisão de Processo Crime

Seção da 4ª Câmara Criminal

Div. de Reg. da Mov. Processua

Relação No. 2017.11052

____________________________________________________

0017 . Processo/Prot: 1677478-0 Apelação Crime

. Protocolo: 2017/83978. Comarca: Sertanópolis. Vara: Juízo Único. Ação Originária: 000XXXX-13.2016.8.16.0162 Ação Penal. Apelante: A. P. L. (Réu Preso). Advogado: Roberto Marcelino Duarte. Apelado: M. P. E. P.. Órgão Julgador: 4ª Câmara Criminal.

Relator: Des. Sônia Regina de Castro. Revisor: Des. Renato Naves Barcellos. Revisor Convocado: Juiz Subst. 2º G. Kennedy Josue Greca de Mattos. Julgado em: 19/10/2017

DECISÃO: ACORDAM os integrantes da Quarta Câmara Criminal do Tribunal de Justiça do Paraná, à unanimidade de votos, em conhecer e dar parcial provimento ao recurso, e de ofício, declarar a nulidade da sentença e do feito a partir do ato seguinte à realização da audiência de instrução, determinado a realização de novo ?depoimento sem dano? da menor e de novo interrogatório do acusado, com renovação dos atos processuais subsequentes, julgando prejudicada a análise do pleito absolutório, nos termos do voto. Ainda, determino a expedição imediata de alvará de soltura ao acusado, se por qualquer outro motivo não estiver preso.

EMENTA: APELAÇÃO CRIMINAL Nº 1.677.478-0 (000XXXX-13.2016.8.16.0162) -COMARCA DE SERTANÓPOLIS - JUÍZO ÚNICO.APELANTE: A.P.L. (Segredo de Justiça) APELADO: MINISTÉRIO PÚBLICO.RELATORA: DESª SÔNIA REGINA DE CASTRO.REVISOR: JUIZ SUBSTITUTO DE 2º GRAU KENNEDY JOSUÉ GRECCA DE MATTOS.PENAL. PROCESSO PENAL. ESTUPRO DE VULNERÁVEL. ARTIGO 217-A, CAPUT, DO C/C ARTIGO 226, II, TODOS DO CÓDIGO PENAL. RECURSO DA DEFESA.1) - DIREITO DE RECORRER EM LIBERDADE. PLEITO DE CONCESSÃO DO DIREITO DE RECORRER EM LIBERDADE. PRELIMINAR PROVIDA. JUIZ QUE CONCEDEU A LIBERDADE PROVISÓRIA EM AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO. PRISÃO PREVENTIVA DECRETADA COM BASE EM DEPOIMENTO PRESTADO NA REFERIDA AUDIÊNCIA. AUSÊNCIA DE NOVOS FATOS QUE ENSEJEM A PRISÃO PREVENTIVA. IMPOSSIBILIDADE DE MANUTENÇÃO DA PRISÃO PREVENTIVA DECLARADA NA SENTENÇA DESCONSTITUÍDA.2) - LAUDO DE SANIDADE MENTAL. PEDIDO DE NULIDADE DA SENTENÇA, SOB A ALEGAÇÃO DE AUSÊNCIA DE LAUDO PERICIAL QUANTO À SANIDADE DO ACUSADO. PRETENSÃO NÃO AVENTADA DURANTE A INSTRUÇÃO. INEXISTÊNCIA DE INDÍCIOS DE QUE O RÉU POSSUA DOENÇA MENTAL. PRELIMINAR REJEITADA.3) - CERCEAMENTO DE DEFESA. OITIVA DA VÍTIMA. AFASTAMENTO INDEVIDO DA OITIVA DA OFENDIDA EM AMBAS AS FASES DO PROCESSO PARA EVITAR A SUA "REVITIMIZAÇÃO". DEPOIMENTO SEM DANO QUE NÃO FOI GRAVADO. AUTORIDADE JUDICIAL QUE DETERMINOU CONFECÇÃO DE LAUDO PELA PSICÓLOGA CONTENDO AS RESPOSTAS DADAS PELA VÍTIMA ÀS PERGUNTAS DAS PARTES E DO JUÍZO. PREJUÍZO MANIFESTO. CERCEAMENTO DE DEFESA CARACTERIZADO. SENTENÇA DESCONSTITUÍDA, DE OFÍCIO. RECONHECIMENTO DA NULIDADE DO FEITO A PARTIR DO ATO SEGUINTE À AUDIÊNCIA DE INSTRUÇÃO E JULGAMENTO, SENDO DETERMINADA NOVA OITIVA DA MENOR E Apelação Criminal nº 1677478-0 2INTERROGATÓRIO DO RÉU, BEM COMO RENOVAÇÃO DOS ATOS SUBSEQUENTES. A mencionada possibilidade de ?revitimização? citada pelo magistrado para não proceder nova oitiva da vítima na fase do contraditório, é fator muitas vezes presente em processo envolvendo abusos sexuais, não se podendo concluir, por isso, que o relato da vítima seja dispensável, quando sua palavra é de relevante importância para a condenação. Ressalto, ademais, que muito embora o magistrado tenha requerido que o laudo fosse elaborado contendo as respostas dadas pela vítima às perguntas formuladas pelo Ministério Público, pela defesa, e pelo juízo, tal determinação não foi cumprida pela psicóloga, que se limitou a efetuar laudo psicológico, contendo, inclusive, impressões técnicas. Laudo que não supre o depoimento da menor.4. PEDIDO ABSOLUTÓRIO. TESE PREJUDICADA.RECURSO CONHECIDO E PARCIALMENTE PROVIDO, COM MEDIDAS DE OFÍCIO.

Bloqueio de timeline
Crie uma conta para visualizar informações mais antigas

Já tem conta? Entrar

Fontes de informações
Todas as informações exibidas nesta página são públicas e foram coletadas nos Sistemas dos Tribunais e Diários Oficiais.
SABER MAIS