Processo Nº 213XXXX-29.2020.8.26.0000

TJSP · Foro Unificado da Comarca de São Paulo, SP
Agravo de Instrumento

Andamento processual

Assine para desbloquear todas as movimentações desse processo
Data visível apenas para assinantes
Movimentação visível apenas para assinantes.
14/12/2020há 2 anos

Seção III

Subseção IX - Intimações de Acórdãos

Processamento 3º Grupo (5ª Câmara Direito Privado)

Intimação de Acórdão

213XXXX-29.2020.8.26.0000 - Processo Digital. Petições para juntada devem ser apresentadas exclusivamente por meio eletrônico, nos termos do artigo 7º da Res. 551/2011 - Agravo de Instrumento - Jundiaí - Agravante: V. A. D. - Agravada: M. E. M. B. - Magistrado (a) Fernanda Gomes Camacho - Negaram provimento ao recurso. V. U. - COMPETÊNCIA. AÇÃO DE RECONHECIMENTO DE UNIÃO ESTÁVEL POST MORTEM. DECISÃO QUE DECLINOU DA COMPETÊNCIA E DETERMINOU A REMESSA DOS AUTOS À COMARCA DE DOMICÍLIO DA REQUERIDA MENOR. NÃO CABIMENTO DO INCONFORMISMO DA AUTORA. É COMPETENTE O FORO DE DOMICÍLIO DO GUARDIÃO DE RÉU INCAPAZ. ART. 50 DO CPC. PREVALÊNCIA SOBRE O DOMICÍLIO DA EX-COMPANHEIRA, EM RESPEITO AO PRINCÍPIO DO MELHOR INTERESSE DA CRIANÇA.

INCOMPETÊNCIA ALEGADA PELO MINISTÉRIO PÚBLICO. REGRA DA PERPETUATIO JURISDICTIONIS QUE, ADEMAIS, DEVE SER FLEXIBILIZADA. DECISÃO MANTIDA. RECURSO NÃO PROVIDO. ART. 1007 CPC - EVENTUAL RECURSO - SE AO STJ: CUSTAS R$ 194,12 - (GUIA GRU NO SITE http://www.stj.jus.br) - RESOLUCAO N. 02 DE 02/01/2020 DO STJ; SE AO STF: CUSTAS R$ 214,71 - GUIA GRU - COBRANÇA - FICHA DE COMPENSAÇÃO - (EMITIDA ATRAVÉS DO SITE www. stf.jus.br) E PORTE DE REMESSA E RETORNO R$ 140,90 - GUIA FEDTJ - CÓD 140-6 - BANCO DO BRASIL OU INTERNET - RESOLUÇÃO N. 662 DE 10/02/2020 DO STF. Os valores referentes ao PORTE DE REMESSA E RETORNO, não se aplicam aos PROCESSOS ELETRÔNICOS, de acordo com o art. 4º, inciso II, da RESOLUÇÃO N. 662 DE 10/02/2020 DO STF. - Advs: Jesaias Romanha (OAB: 341028/SP) - Fernando Antonio Silveira Torres (OAB: 7555/CE) - Miguel Eugênio Gonçalves Nunes da Silva (OAB: 29592/CE) - Pátio do Colégio, sala 515

18/09/2020há 2 anos

Seção III

Subseção V - Intimações de Despachos

Processamento 3º Grupo (5ª Câmara Direito Privado)

Despacho

Nº 213XXXX-29.2020.8.26.0000 - Processo Digital. Petições para juntada devem ser apresentadas exclusivamente por meio eletrônico, nos termos do artigo 7º da Res. 551/2011 - Agravo de Instrumento - Jundiaí - Agravante: V. A. D. - Agravada: M. E. M. B. - Vistos. Intime-se a parte agravada, na pessoa de seu advogado, pelo DJE, para apresentar contrarrazões (artigo 1.019, inciso II, do Código de Processo Civil). Posteriormente, abra-se vista dos autos à Douta Procuradoria Geral de Justiça. Int. - Magistrado(a) Fernanda Gomes Camacho - Advs: Jesaias Romanha (OAB: 341028/SP) - Fernando Antonio Silveira Torres (OAB: 7555/CE) - Miguel Eugênio Gonçalves Nunes da Silva (OAB: 29592/CE) - Pátio do Colégio, sala 515

22/06/2020há 2 anos

Seção III

Subseção V - Intimações de Despachos

Processamento 3º Grupo (5ª Câmara Direito Privado)

Despacho

213XXXX-29.2020.8.26.0000 - Processo Digital. Petições para juntada devem ser apresentadas exclusivamente por meio eletrônico, nos termos do artigo 7º da Res. 551/2011 - Agravo de Instrumento - Jundiaí - Agravante: V. A. D. - Agravado: A. F. da S. - Agravado: A. A. F. da S. - Agravada: A. M. B. F. (Representado(a) por sua Mãe) - Agravada: M. E. M. B. - Vistos. 1. Trata-se de agravo contra decisão copiada a fls. 222, que, em ação de reconhecimento e dissolução de união estável post mortem, declinou da competência e determinou a remessa do processo a uma das Varas da Família e das Sucessões da Comarca de Fortaleza. Inconformada, a parte agravante alega, em síntese, que, de acordo com o artigo 53, inciso I, alínea “b”, do Código de Processo Civil, é competente para a ação de reconhecimento e dissolução de união estável o foro do último domicílio do casal, uma vez que não há filho incapaz em comum. Conforme comprovado pela agravante, o último domicílio do casal foi em Jundiaí, embora, na época do falecimento, o casal já estivesse separado e o de cujus já tivesse se mudado para Fortaleza. A menor que figura no polo passivo não é filha da autora e, portanto, não pode ser causa para modificação da competência com fundamento no artigo 50 do CPC. Ademais, a competência territorial é relativa e, portanto, não pode ser reconhecida de ofício. Não houve alegação de incompetência na contestação, de modo que, nos termos do artigo 65 do CPC, a competência relativa prorrogar-se-á. Requer a concessão de efeito suspensivo ao recurso e a reforma da decisão, para que seja reconhecida a competência do Juízo da 1ª Vara de Família e Sucessões da Comarca de Jundiaí/SP. “A eficácia da decisão recorrida poderá ser suspensa, se da imediata produção de seus efeitos houver risco de grave dano, de difícil ou impossível reparação, e ficar demonstrada a probabilidade de provimento do recurso” (art. 995, par. único, CPC). Presentes os requisitos legais, ante a relevância das razões de recurso e em face da possibilidade da parte agravante vir a sofrer grave dano, de difícil ou impossível

reparação, defiro a suspensão, por ora, dos efeitos da decisão impugnada. 2. Oficie-se ao Magistrado, comunicando o teor da presente decisão (Código de Processo Civil, artigo 1.019, inciso I), sendo desnecessária a vinda de informações. 3. Intime-se a parte agravada para apresentação de resposta (Código de Processo Civil, artigo 1.019, inciso II). 4. Posteriormente, abra-se vista dos autos à douta Procuradoria Geral de Justiça. Int. - Magistrado(a) Fernanda Gomes Camacho - Advs: Jesaias Romanha (OAB: 341028/SP) - Pátio do Colégio, sala 515

Bloqueio de timeline
Crie uma conta para visualizar informações mais antigas

Já tem conta? Entrar

Fontes de informações
Todas as informações exibidas nesta página são públicas e foram coletadas nos Sistemas dos Tribunais e Diários Oficiais.
SABER MAIS