jusbrasil.com.br
2 de Julho de 2022

Peça extraída do processo n°XXXXXXX-XX.2015.8.26.0405

Petição Inicial - TJSP - Ação Cautelar de Exibição de Documentos (Com Pedido de Liminar) - Exibição - contra Aymore Credito Financiamento e Investimento

Entre no Jusbrasil para imprimir o conteúdo do Jusbrasil

Acesse: https://www.jusbrasil.com.br/cadastro

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DE DIREITO DA VARA CÍVEL DO FORO DE OSASCO - SP.

Nome, brasileiro, solteiro, eletricista, portadora da cédula de identidade RG 00000-00e inscrita no CPF/MF sob o nº 000.000.000-00, residente e domiciliado na EndereçoCEP: 00000-000, por suas advogadas infra-assinadas (doc. 01), vem respeitosamente à presença de Vossa Excelência, com fundamento no artigo 282 do Código de Processo Civil e demais disposições legais aplicáveis, propor a presente

AÇÃO CAUTELAR DE EXIBIÇÃO DE DOCUMENTOS (COM PEDIDO DE

LIMINAR)

em face de AYMORÉ CREDITO FINANCIAMENTO E INV. S/A, pessoa jurídica de direito privado inscrita no CNPJ nº 00.000.000/0000-00, com sede na Endereço, conforme o abaixo exposto e ao final requerido.

DOS FATOS

O autor firmou contrato de financiamento de veículo, conforme documento anexo, sendo que ao solicitar do Requerido a sua via, o mesmo se recusou a entregar.

Frisa-se, que tais documentos são indispensáveis para propositura da ação revisional. Assim, faz-se necessário socorrer-se do Judiciário, para que a Requerida apresente a Autora, o contrato de financiamento do veículo (conforme documento anexo).

DOS DIREITOS

O direito da Autora está calcado no artigo 355 e seguintes do Código de Processo Civil e artigo 24 da Lei n.º 8.159/91, respectivamente.

"Art. 355. O juiz pode ordenar que a parte exiba documento ou coisa, que se ache em seu poder".

"Art. 24. Poderá o Poder Judiciário, em qualquer instância, determinar a exibição reservada de qualquer documento sigiloso, sempre que indispensável à defesa de direito próprio ou esclarecimento de situação pessoal da parte". Parágrafo único. Nenhuma norma de organização administrativa será interpretada de modo a, por qualquer forma, restringir o disposto neste artigo".

Não há dúvida, também, quanto ao cumprimento do artigo 356, do Código de Processo Civil, no tocante ao documento requerido; a finalidade da prova que se quer, e; a certeza de que tais documentos somente podem estar de posse da Ré.

"Art. 356. O pedido formulado pela parte conterá: I - a individuação, tão completa quanto possível, do documento ou coisa; II - a finalidade da prova, indicando os fatos que se relacionam com o documento ou a coisa; III - as circunstâncias em que se funda o requerente para afirmar que o documento ou a coisa existe e se acha em poder da parte contrária".

Desta feita, nos termos do artigo 358, I, do Código de Processo Civil, esclarece, que a Ré é obrigada legalmente em apresentar tais documentos, o que não ocorreu. Ademais, indubitavelmente, o documento é comum as partes.

DA INTERRUPÇÃO DA PRESCRIÇÃO

Como esta medida cautelar tem por fito a propositura de ação principal, na qual a inexistência de documentos que estão de posse da Requerida obstam a sua distribuição, não resta outro caminho senão o requerer a interrupção da prescrição no que pertine ao pedido de apresentar o contrato de financiamento.

Para melhor ilustrar tal entendimento reporta-se ao seguinte julgado abaixo colacionado:

SEGURO EM GRUPO - AÇÃO CAUTELAR PREPARATÓRIA - INTERRUPÇÃO DA

PRESCRIÇÃO ÂNUA - Os processos preparatórios da ação principal interrompem a prescrição, visto que, constituindo medidas de proteção ao direito, equivalem ao seu próprio exercício. Hipótese em que segurado em grupo ajuizara contra a seguradora ação cautelar preparatória de exibição de documento. (TAMG - AP 00000-00- Juiz de Fora - 6a C.Cív. - Rel. Juiz Dárcio Lopardi Mendes - J. 22.11.2001)

DA CONCESSÃO DE LIMINAR

É necessário, no presente caso, a concessão de medida liminar, para que a Requerida apresente, dentro do prazo prescrito no artigo 357, do Código de Processo Civil, de todos os documentos requeridos, haja vista a presença dos requisitos insertos no artigo 844, II, do mesmo Diploma Legal. Vejamos:

"Art. 844. Tem lugar, como procedimento preparatório, a exibição judicial": II - de documento próprio ou comum, em poder de co-interessado, sócio, condômino, credor ou devedor; ou em poder de terceiro que o tenha em sua guarda, como inventariante, testamenteiro, depositário ou administrador de bens alheios;"

DO FUMUS BONI IURIS E DO PERICULUM IN MORA

Quanto a fumaça do bom direito, reporta-se aos documentos, os quais categoricamente comprovam a relação jurídica existente entre as partes.

Em relação ao periculum in mora, aponta-se o pedido administrativo, até hoje não cumprido, o qual impossibilita a Autora do exercício de seu direito, privando-os do acesso à justiça na defesa de seus interesses.

Ademais, não se pode olvidar que a [nome da empresa] impede o acesso aos documentos com o nítido interesse de "deixar o tempo passar" com o fim único de atingir a prescrição do direito da Autora.

Por outro vértice, não há qualquer dúvida de que tais parcelas, depositada pela Autora, constituem parte de seu patrimônio ou complementação de verba alimentar, indispensáveis à mantença dela.

DOS PEDIDOS

Ex positis, Requer-se, de Vossa Excelência, o seguinte:

Seja recebida e autuada a presente ação;

A citação da Requerida, por Aviso de Recebimento;

A concessão de medida liminar, conforme fundamentação supra, para em cinco dias, nos termos do artigo 357, do Código de Processo Civil, apresentar os documentos requeridos, sob as penas do artigo 359, do mesmo Caderno Processual, quais sejam:

a) que á Ré exiba em Juízo o contrato de

financiamento, indispensável para o ingresso da ação revisional.

Nos termos do artigo 806, do Código de Processo Civil, compromete-se a Autora a propor a ação principal no prazo de 30 dias da efetivação da medida;

b) Seja reconhecida a interrupção da prescrição no que tange a relação jurídica existente entre as partes, para o fim de resguardar o direito da Autora;

c) Seja a ação julgada procedente, obrigando a Ré a apresentação dos documentos, com a conseqüente condenação em custas processuais e honorários advocatícios, arbitrados por Vossa Excelência;

d) Protesta por todos os meios de provas em direito admitidos,sem exceção de nenhuma ;

Dá-se a causa o valor de R$ 00.000,00para efeitos fiscais.

Nestes termos, pede deferimento.

Osasco, 16 de dezembro de 2014.

Nome

00.000 OAB/UF