Artigo 155 da Lei nº 5.172 de 25 de Outubro de 1966

CTN - Lei nº 5.172 de 25 de Outubro de 1966

Dispõe sobre o Sistema Tributário Nacional e institui normas gerais de direito tributário aplicáveis à União, Estados e Municípios.
Art. 155. A concessão da moratória em caráter individual não gera direito adquirido e será revogado de ofício, sempre que se apure que o beneficiado não satisfazia ou deixou de satisfazer as condições ou não cumprira ou deixou de cumprir os requisitos para a concessão do favor, cobrando-se o crédito acrescido de juros de mora:
V - quando se comprove omissão ou inexatidão, por parte da pessoa legalmente obrigada, no exercício da atividade a que se refere o artigo seguinte;
VI - quando se comprove ação ou omissão do sujeito passivo, ou de terceiro legalmente obrigado, que dê lugar à aplicação de penalidade pecuniária;
VII - quando se comprove que o sujeito passivo, ou terceiro em benefício daquele, agiu com dolo, fraude ou simulação;
II - sem imposição de penalidade, nos demais casos.
VIII - quando deva ser apreciado fato não conhecido ou não provado por ocasião do lançamento anterior;
Parágrafo único. No caso do inciso I deste artigo, o tempo decorrido entre a concessão da moratória e sua revogação não se computa para efeito da prescrição do direito à cobrança do crédito; no caso do inciso II deste artigo, a revogação só pode ocorrer antes de prescrito o referido direito.
IX - quando se comprove que, no lançamento anterior, ocorreu fraude ou falta funcional da autoridade que o efetuou, ou omissão, pela mesma autoridade, de ato ou formalidade especial.
Art. 155-A. O parcelamento será concedido na forma e condição estabelecidas em lei específica. (Incluído pela Lcp nº 104, de 2001)
Parágrafo único. A revisão do lançamento só pode ser iniciada enquanto não extinto o direito da Fazenda Pública.
Art. 150. O lançamento por homologação, que ocorre quanto aos tributos cuja legislação atribua ao sujeito passivo o dever de antecipar o pagamento sem prévio exame da autoridade administrativa, opera-se pelo ato em que a referida autoridade, tomando conhecimento da atividade assim exercida pelo obrigado, expressamente a homologa.
§ 2 º Aplicam-se, subsidiariamente, ao parcelamento as disposições desta Lei, relativas à moratória. (Incluído pela Lcp nº 104, de 2001)
§ 3 º Lei específica disporá sobre as condições de parcelamento dos créditos tributários do devedor em recuperação judicial. (Incluído pela Lcp nº 118, de 2005)
§ 1º O pagamento antecipado pelo obrigado nos termos deste artigo extingue o crédito, sob condição resolutória da ulterior homologação ao lançamento.
§ 2º Não influem sobre a obrigação tributária quaisquer atos anteriores à homologação, praticados pelo sujeito passivo ou por terceiro, visando à extinção total ou parcial do crédito.
§ 3º Os atos a que se refere o parágrafo anterior serão, porém, considerados na apuração do saldo porventura devido e, sendo o caso, na imposição de penalidade, ou sua graduação.
§ 4º Se a lei não fixar prazo a homologação, será ele de cinco anos, a contar da ocorrência do fato gerador; expirado esse prazo sem que a Fazenda Pública se tenha pronunciado, considera-se homologado o lançamento e definitivamente extinto o crédito, salvo se comprovada a ocorrência de dolo, fraude ou simulação.

Página 1993 da Judicial - 1ª Instância - Capital do Diário de Justiça do Estado de São Paulo (DJSP) de 7 de Maio de 2021

poderes. Isso porque entende essa magistrada que decisões judiciais isoladas, nesse momento de profunda crise sanitária mundial, somente tende a contribuir com a desordem pública, já que a diminuição…

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Apelação Cível : AC 1051109-58.2018.8.26.0114 SP 1051109-58.2018.8.26.0114

TRIBUNAL DE JUSTIÇA PODER JUDICIÁRIO São Paulo Registro: 2021.0000337035 ACÓRDAO Vistos, relatados e discutidos estes autos do Apelação Cível nº 1051109-58.2018.8.26.0114, da Comarca de Campinas, em…

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 1796011 SP 2020/0312389-3

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 1796011 - SP (2020/0312389-3) DECISAO 1. Cuida-se de agravo interposto por CORSAN-CORVIAM CONSTRUCCION S. A. DO BRASIL contra decisão que não admitiu o seu recurso …

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - APELAÇÃO : APL 0012453-44.2008.8.19.0001

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO OITAVA CÂMARA CÍVEL EMBARGOS DE DECLARAÇAO NA APELAÇAO CÍVEL 001245344.2008.8.19.0001 EMBARGANTE1: ESPÓLIO DE MARIA ADELAIDE RODRIGUES DIAS…

Página 7761 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 29 de Abril de 2021

Opostos embargos de declaração, foram rejeitados. Em suas razões recursais, aponta a parte recorrente, além de dissídio jurisprudencial, ofensa ao disposto nos arts. 59, 61, §2º, 161, §6º, 163 da Lei…

Página 77 da Caderno Judicial das Comarcas do Diário de Justiça do Estado do Mato Grosso (DJMT) de 28 de Abril de 2021

restituição do valor originariamente devido e o abatimento do valor pago. Aliás, no acórdão proferido na ADI n.º 100648/2013 foi determinado à “autoridade administrativa fiscal, diante da atividade…

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 1834216 SP 2021/0034159-9

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 1.834.216 - SP (2021/0034159-9) DECISAO Cuida-se de agravo apresentado por CRP TRANSFORMADORA DE PLÁSTICOS LTDA e OUTRO contra a decisão que não admitiu seu recurso …

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Agravo de Instrumento : AI 2048511-63.2021.8.26.0000 SP 2048511-63.2021.8.26.0000

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO Registro: 2021.0000302229 ACÓRDAO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Agravo de Instrumento nº 2048511-63.2021.8.26.0000, da…

Tribunal de Justiça de São Paulo TJ-SP - Embargos de Declaração Cível : EMBDECCV 2021524-87.2021.8.26.0000 SP 2021524-87.2021.8.26.0000

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SAO PAULO Registro: 2021.0000303971 ACÓRDAO Vistos, relatados e discutidos estes autos de Embargos de Declaração Cível nº…

Página 1615 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 23 de Abril de 2021

calamidade pública decretado pela COVID -19. Na verdade, o Poder Judiciário não está a fazer o papel do legislativo, ou interferir ou influenciar em políticas públicas e econômicas do Poder…