Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
21 de julho de 2017
Artigo 14 da Constituição Federal de 1988

Art. 14 da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:

I - plebiscito;

II - referendo;

III - iniciativa popular.

§ 1º O alistamento eleitoral e o voto são:

I - obrigatórios para os maiores de dezoito anos;

II - facultativos para:

a) os analfabetos;

b) os maiores de setenta anos;

c) os maiores de dezesseis e menores de dezoito anos.

§ 2º Não podem alistar-se como eleitores os estrangeiros e, durante o período do serviço militar obrigatório, os conscritos.

§ 3º São condições de elegibilidade, na forma da lei:

I - a nacionalidade brasileira;

II - o pleno exercício dos direitos políticos;

III - o alistamento eleitoral;

IV - o domicílio eleitoral na circunscrição;

V - a filiação partidária; Regulamento

VI - a idade mínima de:

a) trinta e cinco anos para Presidente e Vice-Presidente da República e Senador;

b) trinta anos para Governador e Vice-Governador de Estado e do Distrito Federal;

c) vinte e um anos para Deputado Federal, Deputado Estadual ou Distrital, Prefeito, Vice-Prefeito e juiz de paz;

d) dezoito anos para Vereador.

§ 4º São inelegíveis os inalistáveis e os analfabetos.

§ 5º São inelegíveis para os mesmos cargos, no período subseqüente, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído nos seis meses anteriores ao pleito.

§ 5º O Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal, os Prefeitos e quem os houver sucedido, ou substituído no curso dos mandatos poderão ser reeleitos para um único período subseqüente. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 16, de 1997)

§ 6º Para concorrerem a outros cargos, o Presidente da República, os Governadores de Estado e do Distrito Federal e os Prefeitos devem renunciar aos respectivos mandatos até seis meses antes do pleito.

§ 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.

§ 8º O militar alistável é elegível, atendidas as seguintes condições:

I - se contar menos de dez anos de serviço, deverá afastar-se da atividade;

II - se contar mais de dez anos de serviço, será agregado pela autoridade superior e, se eleito, passará automaticamente, no ato da diplomação, para a inatividade.

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta .

§ 9º Lei complementar estabelecerá outros casos de inelegibilidade e os prazos de sua cessação, a fim de proteger a probidade administrativa, a moralidade para exercício de mandato considerada vida pregressa do candidato, e a normalidade e legitimidade das eleições contra a influência do poder econômico ou o abuso do exercício de função, cargo ou emprego na administração direta ou indireta. (Redação dada pela Emenda Constitucional de Revisão nº 4, de 1994)

§ 10 - O mandato eletivo poderá ser impugnado ante a Justiça Eleitoral no prazo de quinze dias contados da diplomação, instruída a ação com provas de abuso do poder econômico, corrupção ou fraude.

§ 11 - A ação de impugnação de mandato tramitará em segredo de justiça, respondendo o autor, na forma da lei, se temerária ou de manifesta má-fé.

Democracia e Cidadania

DEMOCRACIA  Um dos temas mais abordados no início da Faculdade de Direito, a Democracia possui uma grande relevância jurídica, pois, ao estudar a Organização Fundamental do Estado, a Democracia

RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA: RCED 73885 COARI - AM

RECURSO CONTRA EXPEDIÇÃO DE DIPLOMA. CASSAÇÃO DE DIPLOMA. ELEIÇÕES 2016. FALTA DE CONDIÇÃO DE ELEGIBILIDADE. MATÉRIA CONSTITUICIONAL. DOMICÍLIO ELEITORAL NA CIRCUNSCRIÇÃO. ARTIGO 14, §3°, IV, DA CF/88. PRECEDENTE JUDICIAL. PROCEDÊNCIA. 1. Conclusão de indeferimento do pedido de transferência de domicílio eleitoral. Últ...

Recurso Eleitoral: RE 76741 CRISTÁLIA - MG

Recurso eleitoral nº 767-41.2016.6.13.0120 Zona Eleitoral: 120ª, de Grão Mogol, Município de Cristália Recorrente: Ministério Público Eleitoral Recorridos: Edivan Emerson Borges Pinto e outros Relator: Juiz Carlos Roberto de Carvalho ACÓRDÃO RECURSO ELEITORAL. AÇÃO DE IMPUGNAÇÃO DE MANDATO ELETIVO. FRAUDE. ART. 14, §10...

Andamento do Processo n. 0000252-97.2017.8.02.0091 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 21/07/2017 do TJAL

ADV: ANDRÉ FREIRE TYNAN (OAB 10699/AL) - Processo 0000252-97.2017.8.02.0091 - Procedimento do Juizado Especial Cível - Responsabilidade Civil - DEMANDANTE: Louise Christiane de Vasconcelos Silva e

Pg. 584. Caderno 3 - Judicial - 1ª Instância. Diário de Justiça do Estado do Mato Grosso do Sul DJMS de 21/07/2017

Processo 0800716-50.2015.8.12.0004 - Procedimento Comum - Descontos Indevidos Reqte: Bento Pereira - Reqdo: Banco Intermedium S/A ADV: LUIZ FERNANDO CARDOSO RAMOS (OAB 14572/MS) Trata-se de ação

Pg. 6. Tribunal Regional Eleitoral do Amazonas TRE-AM de 21/07/2017

Recurso Eleitoral em Representação Recorrentes: Antonio Maia da Silva e Haroldo Gomes Maia Advogados: Daniel Fábio Jacob Nogueira, OAB/AM n. 3136; Ney Bastos Soares Júnior, OAB/AM n. 4336; Marco

Pg. 13. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais TRE-MG de 21/07/2017

Ricardo Matos de Oliveira. Decisão: Rejeitaram os embargos nos termos do voto do Relator. NADA MAIS HAVENDO QUE TRATAR, A PRESIDÊNCIA DEU POR ENCERRADA A SESSÃO, CONVOCANDO A PRÓXIMA PARA O DIA 13 DE

Pg. 28. Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul TRE-RS de 21/07/2017

O Ministério Público Eleitoral manifestou-se requerendo informação ao Cartório Eleitoral e após emitiu Parecer (fls. 16/16v.) opinando que as contas sejam julgadas como não prestadas, na forma do

Pg. 29. Tribunal Regional Eleitoral do Rio Grande do Sul TRE-RS de 21/07/2017

“A atenção à quantidade de dinheiro gasto em campanhas está aumentando na região e a questão está no topo de diversas agendas de organizações da sociedade civil. Os últimos dois anos foram de

Pg. 702. Seção I. Diário de Justiça do Estado de Goiás DJGO de 21/07/2017

Ante o exposto, concedo a tutela de urgência almejada, razão pela qual determino à COMPLEM que exclua o réu Joaquim Guilherme Barbosa de Sousa do processo eletivo em tramitação, sob pena de multa e

×