Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
20 de novembro de 2017
Artigo 221 da Constituição Federal de 1988

Art. 221 da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 221. A produção e a programação das emissoras de rádio e televisão atenderão aos seguintes princípios:

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;

II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;

II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

I - preferência a finalidades educativas, artísticas, culturais e informativas;

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

II - promoção da cultura nacional e regional e estímulo à produção independente que objetive sua divulgação;

IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

III - regionalização da produção cultural, artística e jornalística, conforme percentuais estabelecidos em lei;

IV - respeito aos valores éticos e sociais da pessoa e da família.

Leia o voto de Toffoli contra a proibição de propaganda estrangeira na TV paga

Não há motivos para dar tratamento privilegiado às agências de publicidade nacionais, pois elas estão entre as maiores e mais premiadas do mundo. O argumento foi utilizado pelo ministro Dias Toffoli,

Inteiro Teor. Apelação: APL 6289538020008060001 CE 0628953-80.2000.8.06.0001

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADORA MARIA VILAUBA FAUSTO LOPES NÚMERO ÚNICO: 0628953-80.2000.8.06.0001 TIPO DO PROCESSO: APELAÇAO CÍVEL em AÇAO DE INDENIZAÇAO

Regra que proíbe propaganda estrangeira em TV paga é inconstitucional

Considerando os princípios da igualdade e da livre concorrência, o Plenário do Supremo Tribunal Federal declarou inconstitucional o artigo 25 da Lei 12.485/2011, que proíbe a veiculação em canais de

Andamento do Processo n. 2011/0223190-0 - Recurso Especial - 09/11/2017 do STJ

(6345) RECURSO ESPECIAL nº 1414659 - RS (2011/0223190-0) RELATOR : MIN. LÁZARO GUIMARÃES (DESEMBARGADOR CONVOCADO DO TRF 5ª REGIÃO) RECORRENTE : EMPRESA JORNALÍSTICA DIÁRIO DA MANHÃ LTDA ADVOGADOS :

Pg. 7593. Superior Tribunal de Justiça STJ de 09/11/2017

jornalística se ateve a tecer críticas prudentes (animus criticandi) ou a narrar fatos de interesse coletivo (animus narrandi), está sob o pálio das 'excludentes de ilicitude' (art. 27 da Lei nº

TV paga: AGU demonstra no STF constitucionalidade de novo marco regulatório

A Advocacia-Geral da União (AGU) demonstrou, em julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), a constitucionalidade da legislação que estabeleceu o novo marco regulatório para a televisão paga no

Andamento do Processo n. 0005792-71.2017.8.26.0152 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/11/2017 do TJSP

Processo 0005792-71.2017.8.26.0152 - Procedimento do Juizado Especial Cível - Obrigação de Fazer / Não Fazer - Prefeitura Municipal de Cotia - Vistos.Dispensado o relatório, artigo 38, da Lei n°

Pg. 2943. Judicial - 1ª Instância - Interior - Parte I. Diário de Justiça do Estado de São Paulo DJSP de 08/11/2017

- Wilson Ferreira - Indefiro o pedido do(a) autor(a) porque é seu dever trazer aos autos o atual endereço do(s) sócio(s) para intimação.Desta feita, concedo-lhe o prazo de 15 dias para tal

Reserva de mercado de conteúdo publicitário em TV paga é julgada inconstitucional

O Plenário do Supremo Tribunal Federal (STF), na sessão extraordinária da manhã desta quarta-feira (8), julgou inconstitucional o artigo 25 da Lei 12.485/2011, que dispõe sobre a comunicação

×