Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
21 de outubro de 2017
Parágrafo 2 Artigo 156 da Constituição Federal de 1988

Art. 156, § 2 da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 156. Compete aos Municípios instituir impostos sobre:

Art. 156. Compete aos Municípios instituir impostos sobre:

Art. 156. Compete aos Municípios instituir impostos sobre:

§ 2º O imposto previsto no inciso II:

I - não incide sobre a transmissão de bens ou direitos incorporados ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital, nem sobre a transmissão de bens ou direitos decorrente de fusão, incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica, salvo se, nesses casos, a atividade preponderante do adquirente for a compra e venda desses bens ou direitos, locação de bens imóveis ou arrendamento mercantil;

II - compete ao Município da situação do bem.

I - não incide sobre a transmissão de bens ou direitos incorporados ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital, nem sobre a transmissão de bens ou direitos decorrente de fusão, incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica, salvo se, nesses casos, a atividade preponderante do adquirente for a compra e venda desses bens ou direitos, locação de bens imóveis ou arrendamento mercantil;

I - não incide sobre a transmissão de bens ou direitos incorporados ao patrimônio de pessoa jurídica em realização de capital, nem sobre a transmissão de bens ou direitos decorrente de fusão, incorporação, cisão ou extinção de pessoa jurídica, salvo se, nesses casos, a atividade preponderante do adquirente for a compra e venda desses bens ou direitos, locação de bens imóveis ou arrendamento mercantil;

II - compete ao Município da situação do bem.

II - compete ao Município da situação do bem.

APELAÇÃO: APL 4298429820138190001 RIO DE JANEIRO CAPITAL CARTORIO ELETRONICO DA 12 VARA FAZ PUBLICA

APELAÇÃO CÍVEL. AÇÃO ANULATÓRIA DE DÉBITO FISCAL. ITBI. CISÃO DE PESSOA JURÍDICA. COMPRA E VENDA E LOCAÇÃO DE IMÓVEIS PRÓPRIOS. SENTENÇA DE IMPROCEDÊNCIA. RECURSO DO AUTOR. 1. A imunidade tributária, no que diz respeito ao ITBI, não se aplica quando a atividade preponderante da adquirente for a compra e venda dos bens ...

Pg. 93. Tribunal de Justiça. Diário de Justiça do Estado do Mato Grosso DJMT de 20/10/2017

Imóveis (ITBI). 2. O imposto de transmissão de bens - ITBI, de acordo com a legislação municipal, pode incidir sobre o valor pactuado no negócio jurídico ou sobre o valor venal atribuído ao imóvel,

Pg. 23. Judiciario. Diário de Justiça do Estado do Ceará DJCE de 20/10/2017

0620450-14.2016.8.06.0000 - Agravo de Instrumento. Agravante: Condomínio Edifício Gemini I e II. Advogado: Angelo Marcondes Furtado Dias (OAB: 7481/CE). Agravada: Regina Maria de Carvalho Dal Pra.

Inteiro Teor. Apelação: APL 5097953320158050001

1 PODER JUDICIÁRIO DO ESTADO DA BAHIA TRIBUNAL DE JUSTIÇA Primeira Câmara Cível RELATÓRIO Classe : Apelação nº 0509795-33.2015.8.05.0001 Foro de Origem : Salvador Órgão : Primeira Câmara Cível

Inteiro Teor. Agravo de Instrumento: AI 6228368020178060000 CE 0622836-80.2017.8.06.0000

ESTADO DO CEARÁ PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA GABINETE DESEMBARGADORA LISETE DE SOUSA GADELHA Processo: 0622836-80.2017.8.06.0000 - Agravo de Instrumento Agravante: Município de Fortaleza

Inteiro Teor. APELAÇÃO: APL 4298429820138190001 RIO DE JANEIRO CAPITAL CARTORIO ELETRONICO DA 12 VARA FAZ PUBLICA

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Décima Sexta Câmara Cível Apelação Cível nº 0429842-98.2013.8.19.0001 Apelante: EMDA ADMINISTRAÇAO DE BENS LTDA Apelado: MUNICÍPIO DO RIO DE JANEIRO

Andamento do Processo n. 0804382-79.2017.8.02.0000 - Agravo de Instrumento - 17/10/2017 do TJAL

Agravo de Instrumento n.º 0804382-79.2017.8.02.0000 Atos Administrativos 1ª Câmara Cível Relator:Desembargador Fernando Tourinho de Omena Souza Agravante : Município de Maceió Procurador : Diogo

Pg. 425. Diário de Justiça do Estado do Paraná DJPR de 17/10/2017

CUNHA. Curitiba, 10 de Outubro de 2017 Desembargador MARCOS SERGIO GALLIANO DAROS EMENTA: AGRAVO DE INSTRUMENTO - IMPOSTO SOBRE A TRANSMISSÃO DE BENS IMÓVEIS (ITBI) - DECISÃO DE INDEFERIMENTO DE

Pg. 215. Supremo Tribunal Federal STF de 17/10/2017

RECURSO EXTRAORDINÁRIO COM AGRAVO 1.082.097 (974) ORIGEM : AREsp - 982186505 - TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DO PARANÁ PROCED. : SÃO PAULO RELATOR :MIN. MARCO AURÉLIO RECTE.(S) : MUNICIPIO DE

Pg. 117. Jurisdicional e Administrativo. Diário de Justiça do Estado de Alagoas DJAL de 17/10/2017

do art. 1º da Lei Estadual nº 6.474/2004 por esta Corte de Justiça, como também o perigo da demora, que se verifica no fato de que a manutenção da Decisão objurgada, poderá trazer prejuízos ao erário

×