Artigo 102 da Constituição Federal de 1988

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.
Art. 102. Compete ao Supremo Tribunal Federal, precipuamente, a guarda da Constituição, cabendo-lhe:
I - processar e julgar, originariamente:
a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou estadual;
(Revogado)
a) a ação direta de inconstitucionalidade de lei ou ato normativo federal ou estadual e a ação declaratória de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 3, de 1993)
b) nas infrações penais comuns, o Presidente da República, o Vice-Presidente, os membros do Congresso Nacional, seus próprios Ministros e o Procurador-Geral da República;
c) nas infrações penais comuns e nos crimes de responsabilidade, os Ministros de Estado, ressalvado o disposto no art. 52, I, os membros dos Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas da União e os chefes de missão diplomática de caráter permanente ;
c) nas infrações penais comuns e nos crimes de responsabilidade, os Ministros de Estado e os Comandantes da Marinha, do Exército e da Aeronáutica, ressalvado o disposto no art. 52, I, os membros dos Tribunais Superiores, os do Tribunal de Contas da União e os chefes de missão diplomática de caráter permanente; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 23, de 1999)
d) o habeas corpus, sendo paciente qualquer das pessoas referidas nas alíneas anteriores; o mandado de segurança e o habeas data contra atos do Presidente da República, das Mesas da Câmara dos Deputados e do Senado Federal, do Tribunal de Contas da União, do Procurador-Geral da República e do próprio Supremo Tribunal Federal;
e) o litígio entre Estado estrangeiro ou organismo internacional e a União, o Estado, o Distrito Federal ou o Território;
f) as causas e os conflitos entre a União e os Estados, a União e o Distrito Federal, ou entre uns e outros, inclusive as respectivas entidades da administração indireta;
g) a extradição solicitada por Estado estrangeiro;
h) a homologação das sentenças estrangeiras e a concessão do "exequatur" às cartas rogatórias, que podem ser conferidas pelo regimento interno a seu Presidente;
(Revogado pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
i) o habeas corpus, quando o coator ou o paciente for tribunal, autoridade ou funcionário cujos atos estejam sujeitos diretamente à jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se trate de crime sujeito à mesma jurisdição em uma única instância;
(Revogado)
i) o habeas corpus, quando o coator for Tribunal Superior ou quando o coator ou o paciente for autoridade ou funcionário cujos atos estejam sujeitos diretamente à jurisdição do Supremo Tribunal Federal, ou se trate de crime sujeito à mesma jurisdição em uma única instância; (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 22, de 1999)
j) a revisão criminal e a ação rescisória de seus julgados;
l) a reclamação para a preservação de sua competência e garantia da autoridade de suas decisões;
m) a execução de sentença nas causas de sua competência originária, facultada a delegação de atribuições para a prática de atos processuais;
n) a ação em que todos os membros da magistratura sejam direta ou indiretamente interessados, e aquela em que mais da metade dos membros do tribunal de origem estejam impedidos ou sejam direta ou indiretamente interessados;
o) os conflitos de competência entre o Superior Tribunal de Justiça e quaisquer tribunais, entre Tribunais Superiores, ou entre estes e qualquer outro tribunal;
p) o pedido de medida cautelar das ações diretas de inconstitucionalidade;
q) o mandado de injunção, quando a elaboração da norma regulamentadora for atribuição do Presidente da República, do Congresso Nacional, da Câmara dos Deputados, do Senado Federal, das Mesas de uma dessas Casas Legislativas, do Tribunal de Contas da União, de um dos Tribunais Superiores, ou do próprio Supremo Tribunal Federal;
r) as ações contra o Conselho Nacional de Justiça e contra o Conselho Nacional do Ministério Público; (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
II - julgar, em recurso ordinário:
a) o habeas corpus, o mandado de segurança, o habeas data e o mandado de injunção decididos em única instância pelos Tribunais Superiores, se denegatória a decisão;
b) o crime político;
III - julgar, mediante recurso extraordinário, as causas decididas em única ou última instância, quando a decisão recorrida:
a) contrariar dispositivo desta Constituição ;
b) declarar a inconstitucionalidade de tratado ou lei federal;
c) julgar válida lei ou ato de governo local contestado em face desta Constituição .
d) julgar válida lei local contestada em face de lei federal. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)
Parágrafo único. A argüição de descumprimento de preceito fundamental, decorrente desta Constituição, será apreciada pelo Supremo Tribunal Federal, na forma da lei.
(Revogado)
§ 1º A argüição de descumprimento de preceito fundamental, decorrente desta Constituição, será apreciada pelo Supremo Tribunal Federal, na forma da lei. (Transformado em § 1º pela Emenda Constitucional nº 3, de 17/03/93)
§ 2º As decisões definitivas de mérito, proferidas pelo Supremo Tribunal Federal, nas ações declaratórias de constitucionalidade de lei ou ato normativo federal, produzirão eficácia contra todos e efeito vinculante, relativamente aos demais órgãos do Poder Judiciário e ao Poder Executivo. (Incluído em § 1º pela Emenda Constitucional nº 3, de 17/03/93)
(Revogado)
§ 2º As decisões definitivas de mérito, proferidas pelo Supremo Tribunal Federal, nas ações diretas de inconstitucionalidade e nas ações declaratórias de constitucionalidade produzirão eficácia contra todos e efeito vinculante, relativamente aos demais órgãos do Poder Judiciário e à administração pública direta e indireta, nas esferas federal, estadual e municipal. (Redação dada pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004) (Vide ADIN 3392)
§ 3º No recurso extraordinário o recorrente deverá demonstrar a repercussão geral das questões constitucionais discutidas no caso, nos termos da lei, a fim de que o Tribunal examine a admissão do recurso, somente podendo recusá-lo pela manifestação de dois terços de seus membros. (Incluída pela Emenda Constitucional nº 45, de 2004)

O Estudo do Princípio do Duplo Grau de Jurisdição

INTRODUÇÃO O desígnio do Princípio do Duplo Grau de Jurisdição como objeto de estudo do presente trabalho de conclusão de curso se deu pela importância da revisão de decisões frente ao caótico…
3
0
Silvio Rafael, Estudante de Direito
há 10 dias

Case Constitucionalismo Abusivo

SINOPSE DO CASE: CONSTITUCIONALISMO ABUSIVO Autor:Silvio Rafael Lobato Araujo 1. DESCRIÇÃO DO CASO A Lei nº 6.703/1991 criou o Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, destinado ao…
1
0
Celio Leite, Advogado
há 9 dias

Direito constitucional. Introdução ao instituto da arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF).

A arguição de descumprimento de preceito fundamental (ADPF) é mecanismo processual essencial para a interpretação conforme à Constituição e utilizado quando há necessidade de uniformizar…
1
0

Análise: Anatomia do Estado

Gabrielle Barreto Marques de Carvalho Introdução Murray Newton Rothbard é considerado o “pai do libertarianismo moderno", foi um decano da Escola Austríaca e o fundador do moderno libertarianismo.
1
0
Tatiane Martins, Estudante de Direito
há 11 dias

Da contagem da prescrição intercorrente nas execuções fiscais: uma análise realizada à luz da sistemática dos precedentes judiciais vinculantes

RESUMO: O presente artigo tem como escopo analisar a contagem da prescrição intercorrente nas execuções fiscais, com enfoque no entendimento predominante nos tribunais superiores. Segundo o Conselho…
1
0
Thaís Borges, Advogado
há 17 dias

Publicidade abusiva voltada para crianças e adolescentes: A Tutela Coletiva como Instrumento de Proteção.

PUBLICIDADE ABUSIVA VOLTADA PARA CRIANÇAS E ADOLESCENTES: A TUTELA COLETIVA COMO INSTRUMENTO DE PROTEÇÃO. ABUSIVE ADVERTISING AIMED AT CHILDREN AND ADOLESCENTS: THE COLLECTIVE GUARDIAN AS A…
1
0

O fenômeno da Inconstitucionalidade útil, a modulação de efeitos e a segurança jurídica.

O presente artigo visa investigar a Inconstitucionalidade Útil, fenômeno denominado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) quando uma norma evidentemente inconstitucional é posta no ordenamento jurídico…
1
0
Agueda Silva, Bacharel em Direito
mês passado

Poder Legislativo, Executivo e Judiciário; Ministério Público e Processo Legislativo.

RESUMO: Leva-se em consideração a importância dos três poderes Executivo, Legislativo e Judiciário destacados na Constituição Federal, bem como é de suma relevância o conhecimento e a compreensão das…
1
0
Júlia Falquetti, Estudante de Direito
mês passado

Análise acerca da Ação de Inconstitucionalidade por Omissão nº 26, 2019/DF

INTRODUÇÃO A Constituição Federal de 1988 designa que para a instauração e funcionamento do Estado Brasileiro como um estado democrático, deve-se prevalecer os direitos fundamentais de humanidade,…
1
0

A Equiparação do crimes de Homofobia sob a visão do Supremo Tribunal Federal

A EQUIPARAÇÃO DO CRIME DE HOMOFOBIA SOB A VISÃO DO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL À LEI 7.716/89: A PARTIR DA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE POR OMISSÃO (ADO) Nº 26 E DO MANDADO DE INJUNÇÃO Nº 4.733…
1
0