Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
22 de julho de 2017
Parágrafo 7 Artigo 14 da Constituição Federal de 1988

Art. 14, § 7 da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 14. A soberania popular será exercida pelo sufrágio universal e pelo voto direto e secreto, com valor igual para todos, e, nos termos da lei, mediante:

§ 7º São inelegíveis, no território de jurisdição do titular, o cônjuge e os parentes consangüíneos ou afins, até o segundo grau ou por adoção, do Presidente da República, de Governador de Estado ou Território, do Distrito Federal, de Prefeito ou de quem os haja substituído dentro dos seis meses anteriores ao pleito, salvo se já titular de mandato eletivo e candidato à reeleição.

Andamento do Processo n. 1242-44.2016.6.13.0072 - Recurso Eleitoral - 20/07/2017 do TRE-MG

RECURSO ELEITORAL Nº 1242-44.2016.6.13.0072 CARATINGA-MG 72ª Zona Eleitoral (CARATINGA) Recorrente: VALTER CARDOSO DE PAIVA, candidato a Vereador, eleito ADVOGADA: MONALISA SEIXAS AREDES - OAB:

Pg. 20. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais TRE-MG de 20/07/2017

Aponta divergência jurisprudencial e transcreve ementas de julgados dos egs. TRE´s do Pará, de Goiás e de Santa Catarina. Requer o conhecimento e o provimento do recurso especial, (...) para aprovar

Pg. 21. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais TRE-MG de 20/07/2017

Circunstância que importa, apenas, quando o candidato é cônjuge de quem substituiu o chefe do executivo nos últimos seis meses, salvo se candidato à reeleição. Entende que este Regional violou a

Enunciado de súmula de tribunal não é ato do poder público, diz Lewandowski

Por entender que enunciado de súmula de tribunal não é ato do poder público, o ministro Ricardo Lewandowski, do Supremo Tribunal Federal, negou seguimento à Arguição de Descumprimento de Preceito

Recurso contra Expedição de Diploma: RCED 9823 SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ - MG

Recurso Contra Expedição de Diploma nº 98-23.2017.6.13.0000 Zona Eleitoral: 253ª, de São Gonçalo do Sapucaí Recorrente: Ministério Público Eleitoral Recorrido: José Nelson Kisner Filho, candidato a Vereador, eleito Relator: Juiz Ricardo Matos de Oliveira ACÓRDÃO Recurso Contra Expedição de Diploma - RCED. Art. 262, do...

Protocolo n. 812.629/2016 - 14/07/2017 do TRE-MG

Protocolo: 812.629/2016 - 253ª ZONA ELEITORAL. Município: SÃO GONÇALO DO SAPUCAÍ. Recorrente(S): MINISTÉRIO PÚBLICO ELEITORAL Recorrido(S): JOSÉ NELSON KISNER FILHO, candidato a Vereador, eleito

Pg. 10. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais TRE-MG de 14/07/2017

Ementa Recurso Contra Expedição de Diploma nº 98-23.2017.6.13.0000 Zona Eleitoral: 253ª, de São Gonçalo do Sapucaí Recorrente: Ministério Público Eleitoral Recorrido: José Nelson Kisner Filho,

Âmbito Jurídico

Âmbito Jurídico -

Rejeitada ADPF sobre inelegibilidade de parentes de chefe do Executivo falecido

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 417, ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que estende a

Carta Forense

Carta Forense -

Rejeitada ADPF sobre inelegibilidade de parentes de chefe do Executivo falecido

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 417, ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que estende a

JurisWay

JurisWay -

Rejeitada ADPF sobre inelegibilidade de parentes de chefe do Executivo falecido

A Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental (ADPF) 417, ajuizada no Supremo Tribunal Federal (STF) para questionar entendimento do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que estende a

×