Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
23 de outubro de 2017
Inciso VI do Artigo 5 da Constituição Federal de 1988

Art. 5, inc. VI da Constituição Federal de 88

Constituição Federal de 1988

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Nós, representantes do povo brasileiro, reunidos em Assembléia Nacional Constituinte para instituir um Estado Democrático, destinado a assegurar o exercício dos direitos sociais e individuais, a liberdade, a segurança, o bem-estar, o desenvolvimento, a igualdade e a justiça como valores supremos de uma sociedade fraterna, pluralista e sem preconceitos, fundada na harmonia social e comprometida, na ordem interna e internacional, com a solução pacífica das controvérsias, promulgamos, sob a proteção de Deus, a seguinte CONSTITUIÇÃO DA REPÚBLICA FEDERATIVA DO BRASIL.

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

Art. 5º Todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se aos brasileiros e aos estrangeiros residentes no País a inviolabilidade do direito à vida, à liberdade, à igualdade, à segurança e à propriedade, nos termos seguintes:

VI - e inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo assegurado o livre exercício dos cultos religiosos e garantida, na forma da lei, a proteção aos locais de culto e a suas liturgias;

Pg. 100. Tribunal Superior Eleitoral TSE de 23/10/2017

art. 36, § 6º, do RI-TSE. Publique-se. Intimem-se. Reautue-se. Brasília (DF), 17 de outubro de 2017. MINISTRO HERMAN BENJAMIN Relator PUBLICAÇÃO Nº 420/2017/SEPROC2/CPRO/SJD RECURSO ORDINÁRIO Nº

Pg. 103. Tribunal Superior Eleitoral TSE de 23/10/2017

denominação neopentecostal" (fl. 409); d) "a utilização da Igreja Internacional da Graça de Deus, nesses moldes, consistiu em flagrante abuso dos recursos econômicos controlados pelos recorridos,

Uma análise crítica sobre as imunidades de entidades religiosas

Ernanda Maria de JESUS [1] Natalia Ugolini Beltrame de CASTRO [2] 1 INTRODUÇÃO A Constituição Federal em seu art. 5º, inc. VI dispõe ser inviolável a liberdade de consciência e de crença, sendo

Intolerância Religiosa e o Principio da Instrumentalidade das Formas

É de conhecimento comum, que a sociedade brasileira atravessa um momento conturbado quanto ao respeito à religiosidade alheia, haja vista, que inúmeras pessoas, com o intuito de pregarem a sua visão

Uma crítica as Comunidades Terapêuticas

Renato Silva Avelar [1] Resumo: As questões sobre dependência química estão sendo cada vez mais o foco de discussões na administração pública, onde diante da preocupação do Governo em diminuir os

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 388979 SC 2013/0288876-9

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 388.979 - SC (2013/0288876-9) RELATOR : MINISTRO NAPOLEAO NUNES MAIA FILHO AGRAVANTE : MUNICÍPIO DE LAURENTINO ADVOGADO : JEAN CHRISTIAN WEISS - SC013621 AGRAVANTE : ALCIDES CRISTOFOLINI AGRAVANTE : JÉFERSON FRANÇA SIMÕES ADVOGADO : JOAO LUIZ BERNARDES - SC003330 AGRAVADO : IRACI ROSA OSTE...

Pg. 2111. Superior Tribunal de Justiça STJ de 20/10/2017

A ofensa à moralidade administrativa autoriza o execício da ação popular. Sem embargo disso, a fraude em concurso público encerra lesividade potencial porque, ao comprometer o objetivo de selecionar

Pg. 2112. Superior Tribunal de Justiça STJ de 20/10/2017

9. Não merece prosperar o recurso. 10. Cuida-se a demanda de Ação Popular objetivando a nulidade de concurso público em razão de irregularidades supostamente cometidas durante o transcurso do

Pg. 366. Seção II. Diário de Justiça do Estado de Goiás DJGO de 20/10/2017

DESPACHO RECEPCIONO A DENUNCIA VEZ QUE ATENDE OS REQUISITOS DO AR TIGO 41 DO CODIGO DE PROCESSO PENAL. CITE-SE O ACUSADO WELLINGTON ALVES DE SOUZA PARA, NOS TERMOS DO ARTIGO 396, DO CODIGO DE PROC

Pg. 2223. Seção III. Diário de Justiça do Estado de Goiás DJGO de 20/10/2017

REQUERIDO : EURIPEDES JORGE DA SILVA VALDIVINO JORGE DA SILVA SEBASTIAO JORGE DA SILVA ADV REQTE : 9287 GO - GUSTAVO ANTONIO FERNANDES NETO 45393 GO - ROSANE RODRIGUES DA SILVA DESPACHO : PROCESSO:

×