Artigo 5 da Lei nº 10.820 de 11 de Dezembro de 20032003

Lei nº 10.820 de 17 de Dezembro de 2003

Dispõe sobre a autorização para desconto de prestações em folha de pagamento, e dá outras providências.
Art. 5º O empregador será o responsável pelas informações prestadas, pelo desconto dos valores devidos e pelo seu repasse às instituições consignatárias, que deverá ser realizado até o quinto dia útil após a data de pagamento ao mutuário de sua remuneração disponível. (Redação dada pela Medida Provisória nº 656, de 2014) (Vigência)
§ 1 º O empregador, salvo disposição contratual em contrário, não será corresponsável pelo pagamento dos empréstimos, financiamentos e arrendamentos concedidos aos seus empregados, mas responderá como devedor principal e solidário perante a instituição consignatária por valores a ela devidos em razão de contratações por ele confirmadas na forma desta Lei e de seu regulamento que deixarem, por sua falha ou culpa, de ser retidos ou repassados.
(Revogado)
Redação dada pela Medida Provisória nº 656, de 2014)
(Revogado)
(Vigência)
(Revogado)
§ 2 º Na hipótese de comprovação de que o pagamento mensal do empréstimo, financiamento ou arrendamento tenha sido descontado do mutuário e não tenha sido repassado pelo empregador, ou pela instituição financeira mantenedora, na forma do § 5 º, à instituição consignatária, fica esta proibida de incluir o nome do mutuário em cadastro de inadimplentes.
(Revogado)
(Redação dada pela Medida Provisória nº 656, de 2014) (Vigência)
(Revogado)
§ 3 º Na hipótese de ocorrência da situação descrita no § 2 º, é cabível o ajuizamento de ação de depósito, nos termos do Capítulo II do Título I do Livro IV da Lei n º 5.869, de 11 de janeiro de 1973 - Código de Processo Civil, em face do empregador, ou da instituição financeira mantenedora, se responsável pelo desconto, na forma do § 5 º, e de seus representantes legais.
(Revogado)
(Redação dada pela Medida Provisória nº 656, de 2014) (Vigência)
(Revogado)
Art. 5o O empregador será o responsável pelas informações prestadas, pelo desconto dos valores devidos e pelo seu repasse às instituições consignatárias, que deverá ser realizado até o quinto dia útil após a data de pagamento ao mutuário de sua remuneração disponível. (Redação dada pela Lei nº 13.097, de 2015)
§ 1o O empregador, salvo disposição contratual em contrário, não será corresponsável pelo pagamento dos empréstimos, financiamentos e arrendamentos concedidos aos seus empregados, mas responderá como devedor principal e solidário perante a instituição consignatária por valores a ela devidos em razão de contratações por ele confirmadas na forma desta Lei e de seu regulamento que deixarem, por sua falha ou culpa, de ser retidos ou repassados. (Redação dada pela Lei nº 13.097, de 2015)
(Revogado)
§ 1 º O empregador, salvo disposição contratual em contrário, não será corresponsável pelo pagamento dos empréstimos, financiamentos, cartões de crédito e arrendamentos mercantis concedidos aos seus empregados, mas responderá como devedor principal e solidário perante a instituição consignatária por valores a ela devidos em razão de contratações por ele confirmadas na forma desta Lei e de seu regulamento que deixarem, por sua falha ou culpa, de ser retidos ou repassados.
(Revogado)
(Redação dada pela Medida Provisória nº 681, de 2015)
(Revogado)
§ 2o Na hipótese de comprovação de que o pagamento mensal do empréstimo, financiamento ou arrendamento tenha sido descontado do mutuário e não tenha sido repassado pelo empregador, ou pela instituição financeira mantenedora, na forma do § 5o, à instituição consignatária, fica esta proibida de incluir o nome do mutuário em cadastro de inadimplentes. (Redação dada pela Lei nº 13.097, de 2015)
(Revogado)
§ 2 º Na hipótese de comprovação de que o pagamento mensal do empréstimo, financiamento, cartão de crédito ou arrendamento mercantil tenha sido descontado do mutuário e não tenha sido repassado pelo empregador, ou pela instituição financeira mantenedora, na forma do § 5º, à instituição consignatária, fica esta proibida de incluir o nome do mutuário em cadastro de inadimplentes.
(Revogado)
(Redação dada pela Medida Provisória nº 681, de 2015)
(Revogado)
§ 1o O empregador, salvo disposição contratual em contrário, não será corresponsável pelo pagamento dos empréstimos, financiamentos, cartões de crédito e arrendamentos mercantis concedidos aos seus empregados, mas responderá como devedor principal e solidário perante a instituição consignatária por valores a ela devidos em razão de contratações por ele confirmadas na forma desta Lei e de seu regulamento que deixarem, por sua falha ou culpa, de ser retidos ou repassados. (Redação dada pela Lei nº 13.172, de 2015)
§ 2o Na hipótese de comprovação de que o pagamento mensal do empréstimo, financiamento, cartão de crédito ou arrendamento mercantil tenha sido descontado do mutuário e não tenha sido repassado pelo empregador, ou pela instituição financeira mantenedora, na forma do § 5o, à instituição consignatária, fica esta proibida de incluir o nome do mutuário em cadastro de inadimplentes. (Redação dada pela Lei nº 13.172, de 2015)
§ 3o Na hipótese de ocorrência da situação descrita no § 2o, é cabível o ajuizamento de ação de depósito, nos termos do Capítulo II do Título I do Livro IV da Lei no 5.869, de 11 de janeiro de 1973 - Código de Processo Civil, em face do empregador, ou da instituição financeira mantenedora, se responsável pelo desconto, na forma do § 5o, e de seus representantes legais. (Redação dada pela Lei nº 13.097, de 2015)
§ 4o No caso de falência do empregador, antes do repasse das importâncias descontadas dos mutuários, fica assegurado à instituição consignatária o direito de pedir, na forma prevista em lei, a restituição das importâncias retidas.
§ 5º O acordo firmado entre o empregador e a instituição financeira mantenedora poderá prever que a responsabilidade pelo desconto de que trata o caput será da instituição financeira mantenedora. (Incluído pela Medida Provisória nº 656, de 2014) (Vigência)
(Revogado)
§ 5o O acordo firmado entre o empregador e a instituição financeira mantenedora poderá prever que a responsabilidade pelo desconto de que trata o caput será da instituição financeira mantenedora (Incluído pela Lei nº 13.097, de 2015)

Petição - Ação Descontos Salariais - Devolução

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 6 a VARA DO TRABALHO DE BRASÍLIA/DF. Processo: COMPANHIA URBANIZADORA DA NOVA CAPITAL DO BRASIL - NOVACAP, já devidamente qualificada nos autos da Reclamação…

Petição Inicial - Ação Descontos Salariais - Devolução

EXCELENTÍSSIMO(A) SENHOR(A) DOUTOR(A) JUIZ(A) DO TRABALHO DA ___ VARA DO TRABALHO DE BRASÍLIA - DF , brasileiro, empregado público da NOVACAP, Matrícula n.° , portador do CPF n.° , residente e…

Petição - Ação Descontos Salariais - Devolução

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 6 a VARA DO TRABALHO DE BRASÍLIA/DF. Processo: COMPANHIA URBANIZADORA DA NOVA CAPITAL DO BRASIL - NOVACAP, já devidamente qualificada nos autos da Reclamação…

Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro TJ-RJ - AGRAVO DE INSTRUMENTO : AI 0054537-09.2021.8.19.0000

Poder Judiciário do Estado do Rio de Janeiro Vigésima Sexta Câmara Cível AGRAVO DE INSTRUMENTO Nº 0054537-09.2021.8.19.0000 AGRAVANTE: VINÍCIUS SANTOS DE MORAES AGRAVADOS: BANCO SANTANDER BRASIL S/A,…

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação Cível : AC 0030561-65.2021.8.21.7000 RS

BNFB Nº 70085170082 (Nº CNJ: 0030561-65.2021.8.21.7000) 2021/Cível APELAÇAO CÍVEL. NEGÓCIOS JURÍDICOS BANCÁRIOS. CARTAO DE CRÉDITO CONSIGNADO. RESERVA DE MARGEM CONSIGNÁVEL (RMC). Nulidade da…

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Apelação Cível : AC 0030561-65.2021.8.21.7000 RS

APELAÇÃO CÍVEL. NEGÓCIOS JURÍDICOS BANCÁRIOS. CARTÃO DE CRÉDITO CONSIGNADO. RESERVA DE MARGEM CONSIGNÁVEL (RMC). Nulidade da contratação. A vinculação de reserva de margem consignável (RMC) ao …

Petição - Ação Indenização de Viacao P Rincesinha do Sertao

EXCELENTÍSSIMO (A) SENHOR (A) DOUTOR (A) JUIZ (A) FEDERAL DO TRABALHO DA TERCEIRA VARA DO TRABALHO DE FEIRA DE SANTANA/BA. Processo n°. VIAÇÃO PRINCESINHA DO SERTÃO LTDA., já qualificada nos autos do…

Página 15126 da Suplemento - Seção II do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 15 de Setembro de 2021

penalizada pelo atraso de repasse cometido pelo órgão conveniado, pois o valor das parcelas fora devidamente descontado em folha de pagamento, não havendo que se repassar a responsabilidade ao…

Andamento do Processo n. 1024180-31.2021.8.26.0001 - Procedimento Comum Cível - Contratos Bancários - 13/09/2021 do TJSP

Processo 1024180-31.2021.8.26.0001 - Procedimento Comum Cível - Contratos Bancários - Hugo Borges Pellegrino -Vistos. O autor alegou em síntese que fez empréstimo consignado, o débito é em folha de…

Página 2399 da Judicial - 1ª Instância - Capital do Diário de Justiça do Estado de São Paulo (DJSP) de 13 de Setembro de 2021

e de 14,4 % ao ano, sendo que no caso em debate, o Banco Requerido aplica absurdos 1,21% ao mês e de 15,46% ao ano , ou seja, manifestamente indevidos. Invocou o determinado na Lei nº 10.820/2003…

Termo ou Assunto relacionado