Artigo 5 da Lei nº 7.347 de 24 de Julho de 1985

LACP - Lei nº 7.347 de 24 de Julho de 1985

Disciplina a ação civil pública de responsabilidade por danos causados ao meio-ambiente, ao consumidor, a bens e direitos de valor artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico (VETADO) e dá outras providências.
Art. 5o Têm legitimidade para propor a ação principal e a ação cautelar: (Redação dada pela Lei nº 11.448, de 2007) (Vide Lei nº 13.105, de 2015) (Vigência)
l - esteja constituída há pelo menos um ano, nos termos da lei civil;
(Revogado)
I - o Ministério Público; (Redação dada pela Lei nº 11.448, de 2007).
II - inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao meio-ambiente, ao consumidor, ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico (VETADO).
(Revogado)
II - inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao meio ambiente, ao consumidor, ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico, ou a qualquer outro interesse difuso ou coletivo. (Redação dada pela Lei nº 8.078, de 11.9.1990)
(Revogado)
II - inclua entre suas finalidades institucionais a proteção ao meio ambiente ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência, ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico; (Redação dada pela Lei nº 8.884, de 11.6.1994)
(Revogado)
II - a Defensoria Pública; (Redação dada pela Lei nº 11.448, de 2007).
III - a União, os Estados, o Distrito Federal e os Municípios; (Incluído pela Lei nº 11.448, de 2007).
IV - a autarquia, empresa pública, fundação ou sociedade de economia mista; (Incluído pela Lei nº 11.448, de 2007).
V - a associação que, concomitantemente: (Incluído pela Lei nº 11.448, de 2007).
a) esteja constituída há pelo menos 1 (um) ano nos termos da lei civil; (Incluído pela Lei nº 11.448, de 2007).
b) inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. (Incluído pela Lei nº 11.448, de 2007).
(Revogado)
b) inclua, entre as suas finalidades institucionais, a proteção ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência, aos direitos de grupos raciais, étnicos ou religiosos ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. (Redação dada pela Lei nº 12.966, de 2014)
b) inclua, entre suas finalidades institucionais, a proteção ao patrimônio público e social, ao meio ambiente, ao consumidor, à ordem econômica, à livre concorrência, aos direitos de grupos raciais, étnicos ou religiosos ou ao patrimônio artístico, estético, histórico, turístico e paisagístico. (Redação dada pela Lei nº 13.004, de 2014)
§ 1º O Ministério Público, se não intervier no processo como parte, atuará obrigatoriamente como fiscal da lei.
§ 2º Fica facultado ao Poder Público e a outras associações legitimadas nos termos deste artigo habilitar-se como litisconsortes de qualquer das partes.
§ 3º Em caso de desistência ou abandono da ação por associação legitimada, o Ministério Público assumirá a titularidade ativa.
(Revogado)
§ 3° Em caso de desistência infundada ou abandono da ação por associação legitimada, o Ministério Público ou outro legitimado assumirá a titularidade ativa. (Redação dada pela Lei nº 8.078, de 1990)
§ 4.° O requisito da pré-constituição poderá ser dispensado pelo juiz, quando haja manifesto interesse social evidenciado pela dimensão ou característica do dano, ou pela relevância do bem jurídico a ser protegido. (Incluído pela Lei nª 8.078, de 11.9.1990)
§ 5.° Admitir-se-á o litisconsórcio facultativo entre os Ministérios Públicos da União, do Distrito Federal e dos Estados na defesa dos interesses e direitos de que cuida esta lei. (Incluído pela Lei nª 8.078, de 11.9.1990)
§ 6° Os órgãos públicos legitimados poderão tomar dos interessados compromisso de ajustamento de sua conduta às exigências legais, mediante cominações, que terá eficácia de título executivo extrajudicial. (Incluído pela Lei nª 8.078, de 11.9.1990)
Marcel Osugui, Estudante de Direito
há 12 dias

Obsolescência Programada: Impactos a sociedade e ao meio ambiente

Resumo O presente trabalho busca analisar a obsolescência programada, que se trata de uma ferramenta utilizada pelos fornecedores para manutenção do mercado, desta forma impulsionando o consumismo…
1
0

Tutela dos pássaros no Direito Ambiental

Introdução Os crimes e desastres ambientais são matérias recorrentes na imprensa que noticiam o descaso com o trato do mundo que nos cerca. A população reage com indignação, mas mantém-se passiva…
1
0

Tutela Individual do Consumidor em Juízo.

1 ASPECTOS INTRODUTÓRIOS A relação entre consumidor e fornecedor atravessa os séculos e ao longo deste período pode ser observado que o consumidor se encontra como parte vulnerável nessa relação, de…
2
0

A efetividade da composição do dano ambiental na esfera dos crimes ambientais de menor potencial ofensivo

Pedro Vitor Oliveira Souza¹ Leonardo Alejandro Gomide Alcântara² RESUMO O presente trabalho tem como escopo promover um estudo sobre os Termos de Ajustamento de Conduta Ambiental e as Transações…
1
0

Ministério Público e os Instrumentos de Combate à Poluição Sonora

CENTRO UNIVERSITÁRIO GERALDO DI BIASE FUNDAÇÃO EDUCACIONAL ROSEMAR PIMENTEL PRÓ-REITORIA DE ASSUNTOS ACADÊMICOS INSTITUTO DE CIÊNCIAS SOCIAIS E HUMANAS CURSO DE DIREITO MINISTÉRIO PÚBLICO E OS…
2
0
Samira Lima, Advogado
há 8 meses

A responsabilidade civil: um estudo acerca de sua aplicabilidade enquanto instrumento de proteção ambiental.

O artigo científico em questão, tendo em vista o cenário ambiental atual, apresenta como propósito informar aos operadores do Direito quanto ao entendimento adotado pelo ordenamento jurídico no…
0
0

Avalanche de destruição - Apontamentos acerca do Caso Samarco

A cerca dos apontamentos destacados neste caso, é relatado que em novembro de 2015 a barragem de rejeitos de minério conhecido como Fundão, sob responsabilidade da empresa Samarco Mineirão S.A,…
1
0

Tutela Individual do Consumidor em Juízo

Coelho, Rafael Paulo 1 ASPECTOS INTRODUTÓRIOS A relação entre consumidor e fornecedor atravessa os séculos e ao longo deste período pode ser observado que o consumidor se encontra como parte…
2
0

Flávio Dino e parlamentares sobre regulamentação da liberdade de expressão

O Estado pode e deve regulamentar tudo? Quem deu este poder ao Estado? Quais os limites de o Estado, reflexo da sociedade, proibir certos conteúdos? Há responsabilidade para divulgações de conteúdos?…
1
0
Rafael Camilo
ano passado

Execução Trabalhista

A execução trabalhista tem início quando há condenação e o devedor não cumpre espontaneamente a decisão judicial ou quando há acordo não cumprido. Neste sentido, para a caracterização do vínculo…
2
0