Artigo 177 da Lei nº 6.404 de 15 de Dezembro de 1976

Lei nº 6.404 de 15 de Dezembro de 1976

Dispõe sobre as Sociedades por Ações.
Art. 177. A escrituração da companhia será mantida em registros permanentes, com obediência aos preceitos da legislação comercial e desta Lei e aos princípios de contabilidade geralmente aceitos, devendo observar métodos ou critérios contábeis uniformes no tempo e registrar as mutações patrimoniais segundo o regime de competência.
§ 1º As demonstrações financeiras do exercício em que houver modificação de métodos ou critérios contábeis, de efeitos relevantes, deverão indicá-la em nota e ressaltar esses efeitos.
§ 2º A companhia observará em registros auxiliares, sem modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem a elaboração de outras demonstrações financeiras.
(Revogado)
§ 2o As disposições da lei tributária ou de legislação especial sobre atividade que constitui o objeto da companhia que conduzam à utilização de métodos ou critérios contábeis diferentes ou à elaboração de outras demonstrações não elidem a obrigação de elaborar, para todos os fins desta Lei, demonstrações financeiras em consonância com o disposto no caput deste artigo e deverão ser alternativamente observadas mediante registro: (Redação dada pela Lei nº 11.638,de 2007)
(Revogado)
I – em livros auxiliares, sem modificação da escrituração mercantil; ou (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007)
II – no caso da elaboração das demonstrações para fins tributários, na escrituração mercantil, desde que sejam efetuados em seguida lançamentos contábeis adicionais que assegurem a preparação e a divulgação de demonstrações financeiras com observância do disposto no caput deste artigo, devendo ser essas demonstrações auditadas por auditor independente registrado na Comissão de Valores Mobiliários. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007)
(Revogado)
§ 3º As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários, e serão obrigatoriamente auditadas por auditores independentes registrados na mesma comissão.
(Revogado)
§ 2o A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem qualquer modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a utilização de métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou a elaboração de outras demonstrações financeiras.
(Revogado)
(Redação dada pela Medida Provisória nº 449, de 2008)
(Revogado)
§ 3o As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados. (Redação dada pela Medida Provisória nº 449, de 2008)
(Revogado)
§ 2o A companhia observará exclusivamente em livros ou registros auxiliares, sem qualquer modificação da escrituração mercantil e das demonstrações reguladas nesta Lei, as disposições da lei tributária, ou de legislação especial sobre a atividade que constitui seu objeto, que prescrevam, conduzam ou incentivem a utilização de métodos ou critérios contábeis diferentes ou determinem registros, lançamentos ou ajustes ou a elaboração de outras demonstrações financeiras. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)
I – (revogado); (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)
II – (revogado). (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)
§ 3o As demonstrações financeiras das companhias abertas observarão, ainda, as normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários e serão obrigatoriamente submetidas a auditoria por auditores independentes nela registrados. (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)
§ 4º As demonstrações financeiras serão assinadas pelos administradores e por contabilistas legalmente habilitados.
§ 5o As normas expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários a que se refere o § 3o deste artigo deverão ser elaboradas em consonância com os padrões internacionais de contabilidade adotados nos principais mercados de valores mobiliários. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007)
§ 6o As companhias fechadas poderão optar por observar as normas sobre demonstrações financeiras expedidas pela Comissão de Valores Mobiliários para as companhias abertas. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007)
§ 7o Os lançamentos de ajuste efetuados exclusivamente para harmonização de normas contábeis, nos termos do § 2o deste artigo, e as demonstrações e apurações com eles elaboradas não poderão ser base de incidência de impostos e contribuições nem ter quaisquer outros efeitos tributários. (Incluído pela Lei nº 11.638,de 2007)
(Revogado pela Medida Provisória nº 449, de 2008)
(Revogado pela Lei nº 11.941, de 2009)
§ 7o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 11.941, de 2009)

Andamento do Processo n. 0037919-30.1995.4.02.5101 - Execução Fiscal - 18/12/2020 do TRF-2

as normas gerais e específicas de contabilidade. Arts. 5º, III, h da Resolução CNSP 60/01, 177 da Lei 6.404/76... a prescrição intercorrente e, subsidiariamente, a necessidade de suspensão do …

Página 1394 da Judicial - JFRJ do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) de 18 de Dezembro de 2020

da Resolução CNSP 60/01, 177 da Lei 6.404/76 e Circular SUSEP 295/2005. Presunção de legitimidade não ilidida...). O que motivou a suspensão do processo, na forma do art. 40 da Lei

Página 20 da Poder Legislativo do Diário Oficial do Estado do Rio de Janeiro (DOERJ) de 18 de Dezembro de 2020

“Escrituração”, da Lei 6.404/76, de forma que este passa a ter a seguinte redação: “Art. 177. A escrituração... importante para os seus acionistas. A Lei 11.638/2007 deixou bastante claro que as …

Página 314 da Judicial I - Interior SP e MS do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) de 15 de Dezembro de 2020

O cerne dos argumentos deduzidos pela inicialjá foiobjeto de decisão pelo plenário do Supremo TribunalFederal, que depois de reconhecer a repercussão geraldo tema, ao julgar o RE 574706, fixoua…

Página 316 da Judicial I - Interior SP e MS do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) de 15 de Dezembro de 2020

DAPEC – DISTRIBUIDORA DE AUTO PEÇAS EIRELI ajuizoua presente demanda emface de ato do Sr. Delegado da Receita Federaldo BrasilemRibeirão Preto/SP, objetivando, emsíntese, a exclusão dos valores…

Andamento do Processo n. 5013285-56.2018.4.03.6100 - Apelação Cível - 10/12/2020 do TRF-3

APELAÇÃO CÍVEL(198) Nº 5013285-56.2018.4.03.6100 RELATOR:Gab. 19 - DES. FED. TORUYAMAMOTO APELANTE:RUMO MALHAPAULISTAS.A. Advogado do(a)APELANTE:FLAVIO ANTONIO ESTEVES GALDINO - SP256441-A…

Página 98 da Seção 1 do Diário Oficial da União (DOU) de 10 de Dezembro de 2020

, com fundamento nos §§ 3º e 5º do art. 177 da Lei 6.404, de 15 de dezembro de 1976, combinados com os incisos II e IV do § 1º... do art. 22 da Lei 6.385, de 7 de dezembro de 1976, APROVOU a …

Página 2336 da Judicial I - TRF do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) de 10 de Dezembro de 2020

o regime de caixa. (art. 177 da Lei 6.40476). 2. Quanto ao aspecto temporal da hipótese de incidência da COFINS... por cento) nos autos da apensa execução fiscal, em conformidade com os …

Página 4050 do Superior Tribunal de Justiça (STJ) de 10 de Dezembro de 2020

, conforme exigido pelos arts. 177 e 187 da Lei 6404/1976, a Recorrente acabou por oferecer à tributação nos anos de 1997... inaplicáveis ao caso concreto). Quanto à questão de fundo, sustenta …

Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul TJ-RS - Embargos de Declaração Cível : EMBDECCV 0041198-12.2020.8.21.7000 RS

expressamente sobre os arts. 1º, 12, 109, 121, 132, 134, 170, 175, 176 e 177 da Lei 6.404/76, arts. 115, 159, 168, 177, 1.056..., 1.300 e 1.301 do CC/16 e art. 400 do CPC/15. Argumentou também a …