Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
17 de outubro de 2017
Artigo 6 da Lei nº 8.080 de 19 de Setembro de 1990

Art. 6 da Lei 8080/90

Lei nº 8.080 de 19 de Setembro de 1990

Dispõe sobre as condições para a promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências.

Art. 6º Estão incluídas ainda no campo de atuação do Sistema Único de Saúde (SUS):

I - a execução de ações:

a) de vigilância sanitária;

b) de vigilância epidemiológica;

c) de saúde do trabalhador; e

d) de assistência terapêutica integral, inclusive farmacêutica;

II - a participação na formulação da política e na execução de ações de saneamento básico;

III - a ordenação da formação de recursos humanos na área de saúde;

IV - a vigilância nutricional e a orientação alimentar;

V - a colaboração na proteção do meio ambiente, nele compreendido o do trabalho;

VI - a formulação da política de medicamentos, equipamentos, imunobiológicos e outros insumos de interesse para a saúde e a participação na sua produção;

VII - o controle e a fiscalização de serviços, produtos e substâncias de interesse para a saúde;

VIII - a fiscalização e a inspeção de alimentos, água e bebidas para consumo humano;

IX - a participação no controle e na fiscalização da produção, transporte, guarda e utilização de substâncias e produtos psicoativos, tóxicos e radioativos;

X - o incremento, em sua área de atuação, do desenvolvimento científico e tecnológico;

XI - a formulação e execução da política de sangue e seus derivados.

§ 1º Entende-se por vigilância sanitária um conjunto de ações capaz de eliminar, diminuir ou prevenir riscos à saúde e de intervir nos problemas sanitários decorrentes do meio ambiente, da produção e circulação de bens e da prestação de serviços de interesse da saúde, abrangendo:

I - o controle de bens de consumo que, direta ou indiretamente, se relacionem com a saúde, compreendidas todas as etapas e processos, da produção ao consumo; e

II - o controle da prestação de serviços que se relacionam direta ou indiretamente com a saúde.

§ 2º Entende-se por vigilância epidemiológica um conjunto de ações que proporcionam o conhecimento, a detecção ou prevenção de qualquer mudança nos fatores determinantes e condicionantes de saúde individual ou coletiva, com a finalidade de recomendar e adotar as medidas de prevenção e controle das doenças ou agravos.

§ 3º Entende-se por saúde do trabalhador, para fins desta lei, um conjunto de atividades que se destina, através das ações de vigilância epidemiológica e vigilância sanitária, à promoção e proteção da saúde dos trabalhadores, assim como visa à recuperação e reabilitação da saúde dos trabalhadores submetidos aos riscos e agravos advindos das condições de trabalho, abrangendo:

I - assistência ao trabalhador vítima de acidentes de trabalho ou portador de doença profissional e do trabalho;

II - participação, no âmbito de competência do Sistema Único de Saúde (SUS), em estudos, pesquisas, avaliação e controle dos riscos e agravos potenciais à saúde existentes no processo de trabalho;

III - participação, no âmbito de competência do Sistema Único de Saúde (SUS), da normatização, fiscalização e controle das condições de produção, extração, armazenamento, transporte, distribuição e manuseio de substâncias, de produtos, de máquinas e de equipamentos que apresentam riscos à saúde do trabalhador;

IV - avaliação do impacto que as tecnologias provocam à saúde;

V - informação ao trabalhador e à sua respectiva entidade sindical e às empresas sobre os riscos de acidentes de trabalho, doença profissional e do trabalho, bem como os resultados de fiscalizações, avaliações ambientais e exames de saúde, de admissão, periódicos e de demissão, respeitados os preceitos da ética profissional;

VI - participação na normatização, fiscalização e controle dos serviços de saúde do trabalhador nas instituições e empresas públicas e privadas;

VII - revisão periódica da listagem oficial de doenças originadas no processo de trabalho, tendo na sua elaboração a colaboração das entidades sindicais; e

VIII - a garantia ao sindicato dos trabalhadores de requerer ao órgão competente a interdição de máquina, de setor de serviço ou de todo ambiente de trabalho, quando houver exposição a risco iminente para a vida ou saúde dos trabalhadores.

Pg. 374. II - Judicial - 2ª Instância. Diário de Justiça do Rio de Janeiro DJRJ de 17/10/2017

ADVOGADO: PEDRO BOUERI AFFONSO DE ALMEIDA OAB/RJ-140569 Relator: DES. MARILIA DE CASTRO NEVES VIEIRA Ementa: EM SEGREDO DE JUSTIÇA Conclusões: EM SEGREDO DE JUSTIÇA 002. APELACAO / REMESSA NECESSARIA

Pg. 31. Executivo - Caderno 1. Diário Oficial do Estado de São Paulo DOSP de 17/10/2017

Reforçando o Princípio da Vinculação ao Instrumento Convocatório, a Administração vincula-se ao Edital, é fiel ao documento que ela mesma elaborou. Os licitantes – aqueles que participam de um

Andamento do Processo n. 073201411.2013.8.02.0001 - Procedimento Ordinário - 16/10/2017 do TJAL

ADV: ROGÉRIO MELO TEIXEIRA (OAB 8906/AL), PABLO BENAMOR DE ARAUJO JORGE (OAB 7845/AL) - Processo 073201411.2013.8.02.0001 - Procedimento Ordinário - Obrigação de Fazer / Não Fazer - AUTORA: L.S.S.V.

Pg. 34. Seção 1. Diário Oficial da União DOU de 16/10/2017

. Código Município Gestão Rede Cegonha com Hospitais Federais Rede Cegonha sem Hospitais Federais . 3302700 Maricá Estadual 236.520,00 236.520,00 . 3303302 Niterói Municipal 2.275.345,76 2.275.345,76

Pg. 117. Jurisdicional - Primeiro Grau. Diário de Justiça do Estado de Alagoas DJAL de 16/10/2017

S/A, em nome do autor e à disposição deste JuízoProceda-se, urgentemente, a penhora on-line, objetivando o cumprimento desta decisão, conforme determina o Provimento nº 26/2011, da egrégia

Pg. 888. Judicial - JFRJ. Tribunal Regional Federal da 2ª Região TRF-2 de 16/10/2017

combate a infecções severas, na proliferação de tecidos, na neovascularização, no crescimento ósseo e no tratamento da osteomielite crônica. Por fim, foi ressaltado "que a demora exacerbada na

Pg. 88. Judicial. Diário de Justiça do Estado do Rio Grande do Norte DJRN de 16/10/2017

SECRETARIA JUDICIÁRIA (Edital 1984) De acordo com o Art. 506, III, do CPC, e Art. 171, §1º do Regimento Interno desta Corte, e ainda em conformidade com o Art. 4º, §§ 3º e 4º da lei nº 11.419/2006

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL: AREsp 1084844 RJ 2017/0082731-8

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.844 - RJ (2017/0082731-8) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES AGRAVANTE : ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : RAFAEL SANTANA BASTOS E OUTRO(S) - RJ163717 AGRAVADO : JOSE JOAQUIM DA SILVA ADVOGADO : DEFENSORIA PÚBLICA DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROCESSUAL CIVIL E ADMINISTRATI...

Andamento do Processo n. 2017/0082731-8 - Agravo / Recurso Especial - 13/10/2017 do STJ

(4649) AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 1.084.844 - RJ (2017/0082731-8) RELATOR : MINISTRO MAURO CAMPBELL MARQUES AGRAVANTE : ESTADO DO RIO DE JANEIRO PROCURADOR : RAFAEL SANTANA BASTOS E OUTRO(S) -

Pg. 3702. Superior Tribunal de Justiça STJ de 13/10/2017

Constitucional garantidora do Direito à Saúde quanto ao tipo de medicamento de que necessita o enfermo. A Lei nº 8080/90, que regulamenta o Sistema Único de Saúde, em seu art. 6º, I, “d”, estabelece

×