Artigo 2 da Lei nº 6.766 de 19 de Dezembro de 1979

Lei nº 6.766 de 19 de Dezembro de 1979

Dispõe sobre o Parcelamento do Solo Urbano e dá outras Providências.
Art. 2o. O parcelamento do solo urbano poderá ser feito mediante loteamento ou desmembramento, observadas as disposições desta Lei e as das legislações estaduais e municipais pertinentes.
§ 1o Considera-se loteamento a subdivisão de gleba em lotes destinados a edificação, com abertura de novas vias de circulação, de logradouros públicos ou prolongamento, modificação ou ampliação das vias existentes.
§ 2o Considera-se desmembramento a subdivisão de gleba em lotes destinados a edificação, com aproveitamento do sistema viário existente, desde que não implique na abertura de novas vias e logradouros públicos, nem no prolongamento, modificação ou ampliação dos já existentes.
§ 3o (VETADO) (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
§ 4o Considera-se lote o terreno servido de infra-estrutura básica cujas dimensões atendam aos índices urbanísticos definidos pelo plano diretor ou lei municipal para a zona em que se situe. (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
§ 5o Consideram-se infra-estrutura básica os equipamentos urbanos de escoamento das águas pluviais, iluminação pública, redes de esgoto sanitário e abastecimento de água potável, e de energia elétrica pública e domiciliar e as vias de circulação pavimentadas ou não. (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
(Revogado)
§ 5o A infra-estrutura básica dos parcelamentos é constituída pelos equipamentos urbanos de escoamento das águas pluviais, iluminação pública, esgotamento sanitário, abastecimento de água potável, energia elétrica pública e domiciliar e vias de circulação. (Redação dada pela Lei nº 11.445, de 2007). (Vigência)
§ 6o A infra-estrutura básica dos parcelamentos situados nas zonas habitacionais declaradas por lei como de interesse social (ZHIS) consistirá, no mínimo, de: (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
I - vias de circulação; (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
II - escoamento das águas pluviais; (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
III - rede para o abastecimento de água potável; e (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
IV - soluções para o esgotamento sanitário e para a energia elétrica domiciliar. (Incluído pela Lei nº 9.785, de 1999)
§ 7o O lote poderá ser constituído sob a forma de imóvel autônomo ou de unidade imobiliária integrante de condomínio de lotes. (Incluído pela Lei nº 13.465, de 2017)
§ 8o Constitui loteamento de acesso controlado a modalidade de loteamento, definida nos termos do § 1o deste artigo, cujo controle de acesso será regulamentado por ato do poder público Municipal, sendo vedado o impedimento de acesso a pedestres ou a condutores de veículos, não residentes, devidamente identificados ou cadastrados. (Incluído pela Lei nº 13.465, de 2017)
Art. 2º-A. Considera-se empreendedor, para fins de parcelamento do solo urbano, o responsável pela implantação do parcelamento, o qual, além daqueles indicados em regulamento, poderá ser: (Incluído pela Lei nº 14.118, de 2021)
a) o proprietário do imóvel a ser parcelado; (Incluída pela Lei nº 14.118, de 2021)
b) o compromissário comprador, cessionário ou promitente cessionário, ou o foreiro, desde que o proprietário expresse sua anuência em relação ao empreendimento e sub-rogue-se nas obrigações do compromissário comprador, cessionário ou promitente cessionário, ou do foreiro, em caso de extinção do contrato; (Incluída pela Lei nº 14.118, de 2021)
c) o ente da administração pública direta ou indireta habilitado a promover a desapropriação com a finalidade de implantação de parcelamento habitacional ou de realização de regularização fundiária de interesse social, desde que tenha ocorrido a regular imissão na posse; (Incluída pela Lei nº 14.118, de 2021)
d) a pessoa física ou jurídica contratada pelo proprietário do imóvel a ser parcelado ou pelo poder público para executar o parcelamento ou a regularização fundiária, em forma de parceria, sob regime de obrigação solidária, devendo o contrato ser averbado na matrícula do imóvel no competente registro de imóveis; (Incluída pela Lei nº 14.118, de 2021)
e) a cooperativa habitacional ou associação de moradores, quando autorizada pelo titular do domínio, ou associação de proprietários ou compradores que assuma a responsabilidade pela implantação do parcelamento. (Incluída pela Lei nº 14.118, de 2021)

Página 1136 da Caderno 3 - Entrância Intermediária do Diário de Justiça do Estado da Bahia (DJBA) de 24 de Maio de 2024

O objetivo primordial do sistema de registro imobiliário brasileiro é tutelar a propriedade privada, evitando fraudes e combatendo a clandestinidade. Soma-se a isso a preservação e a segurança nos…
0
0

Intimação do processo N. 0804646-14.2023.8.10.0049 - 24/05/2024 - TJMA

NÚMERO ÚNICO: 0804646-14.2023.8.10.0049 POLO ATIVO MILSON DE SOUZA COUTINHO FILHO ADVOGADO(A/S) MILSON DE SOUZA COUTINHO FILHO | 7496/MA DATA DE DISPONIBILIZAÇÃO: 24/05/2024 DATA DE PUBLICAÇÃO:…

Publicação do processo nº 8133418-74.2023.8.05.0001 - Disponibilizado em 24/05/2024 - DJBA

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA 1 V DE REGISTROS PÚBLICOS DE SALVADOR SENTENÇA 8133418-74.2023.8.05.0001 Dúvida Jurisdição: Salvador - Região Metropolitana Interessado:…

Página 201 da JURISDICIONAL_SEGUNDO_GRAU do Diário de Justiça do Estado de Alagoas (DJAL) de 22 de Maio de 2024

Procurador : João Marcel Braga Maciel Vilela Junior (OAB: 14164B/AL). Procurador : José Maria da Silva Filho (OAB: 7915/AL). Relator: Juiz Conv. Helestron Silva da Costa EMENTA :EMENTA: DIREITO…
0
0

Página 7286 da SUPLEMENTO_SECAO_III_A do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 22 de Maio de 2024

Desta feita, e segundo o art. 6º, inciso VIII, do CDC, estão entre os direitos básicos do consumidor “a facilitação da defesa de seus direitos, inclusive com a inversão do ônus da prova, a seu favor,…
0
0

Página 324 da Seção I do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 22 de Maio de 2024

guarita de segurança, seu depoimento pessoal revela que ele destinou uma área específica para a construção da guarida e adquiriu, com recursos próprios, um portão de acesso ao loteamento. A conduta…
0
0

Página 2636 da Seção I do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 22 de Maio de 2024

obras de infraestrutura. 5. DO PROPÓSITO DO RECURSO: O propósito recursal cinge-se em apurar sobre a conclusão ou não de obra de infraestrutura no loteamento objeto da presente ação ou a sua…
0
0

Página 2641 da Seção I do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 22 de Maio de 2024

APELAÇÃO CÍVEL: XXXXX-77.2018.8.09.0024 1ª CÂMARA CÍVEL ORIGEM: COMARCA DE CALDAS NOVAS-GO APELANTE: FRANCISCO DAS CHAGAS SILVA DE SOUZA APELADO: SILVA EMPREENDIMENTOS IMOBILIÁRIOS EIRELI EPP…
0
0

Publicação do processo nº 0700318-52.2021.8.02.0008 - Disponibilizado em 22/05/2024 - DJAL

Ementa;Decisão;Cabeçalho;Conclusão;3ª Câmara Cível Conclusões de Acórdãos nos termos do art. 943, § 2º, do CPC. 656 Apelação Cível nº 0700318-52.2021.8.02.0008 , de Campo Alegre, Vara do Único Ofício…

Publicação do processo nº 5243187-61.2022.8.09.0011 - Disponibilizado em 22/05/2024 - DJGO

INTIMAÇÃO EFETIVADA REF. À MOV. Julgamento -> Com Resolução do Mérito -> Procedência - Data da Movimentação 21/05/2024 16:11:50 LOCAL : APARECIDA DE GOIÂNIA - UPJ VARAS CÍVEIS: 1ª, 2ª, 3ª, 4ª, 5ª E…