Artigo 63 da Lei nº 8.245 de 18 de Outubro de 1991

LINQ - Lei nº 8.245 de 18 de Outubro de 1991

Dispõe sobre as locações dos imóveis urbanos e os procedimentos a elas pertinentes.
Art. 63. Julgada procedente a ação de despejo, o juiz determinará a expedição de mandado de despejo, que conterá o prazo de 30 (trinta) dias para a desocupação voluntária, ressalvado o disposto nos parágrafos seguintes. (Redação dada pela Lei nº 12.112, de 2009)
§ 1º O prazo será de quinze dias se:
a) entre a citação e a sentença de primeira instância houverem decorrido mais de quatro meses; ou
b) o despejo houver sido decretado com fundamento nos incisos II e III do art. 9º ou no § 2º do art. 46.
(Revogado)
b) o despejo houver sido decretado com fundamento no art. 9o ou no § 2o do art. 46. (Redação dada pela Lei nº 12.112, de 2009)
§ 2º Tratando-se de estabelecimento de ensino autorizado e fiscalizado pelo Poder Público, respeitado o prazo mínimo de seis meses e o máximo de um ano, o juiz disporá de modo que a desocupação coincida com o período de férias escolares.
§ 3º Tratando-se de hospitais, repartições públicas, unidades sanitárias oficiais, asilos e estabelecimentos de saúde e de ensino autorizados e fiscalizados pelo Poder Público, e o despejo for decretado com fundamento no inciso IV do art. 9º ou no inciso II do art. 53, o prazo será de um ano, exceto nos casos em que entre a citação e a sentença de primeira instância houver decorrido mais de um ano, hipótese em que o prazo será de seis meses.
(Revogado)
§ 3º Tratando-se de hospitais, repartições públicas, unidades sanitárias oficiais, asilos, estabelecimentos de saúde e de ensino autorizados e fiscalizados pelo Poder Público, bem como por entidades religiosas devidamente registradas, e o despejo for decretado com fundamento no inciso IV do art. 9º ou no inciso II do art. 53, o prazo será de um ano, exceto no caso em que entre a citação e a sentença de primeira instância houver decorrido mais de um ano, hipótese em que o prazo será de seis meses. (Redação dada pela Lei nº 9.256, de 9.1.1996)
§ 4º A sentença que decretar o despejo fixará o valor da caução para o caso de ser executada provisoriamente.
Correio Forense
há 4 anos

Contratos de locação de imóveis e direito sucessório

Os contratos de locação de imóveis podem ser postos entres os mais conhecidos e utilizados contratos formais da sociedade brasileira. Historicamente a locação de imóveis perfaz o cotidiano das…
Correio Forense
há 4 anos

Contratos de locação de imóveis e direito sucessório

I. INTRODUÇÃO Os contratos de locação de imóveis podem ser postos entres os mais conhecidos e utilizados contratos formais da sociedade brasileira. Historicamente a locação de imóveis perfaz o…

Petição para execução provisória do despejo

Exmo. Sr. Juiz de Direito da (...) Processo (...) (...) nos autos da ação de despejo que move em face de (...), tendo sido julgado procedente o pedido, e decretado o despejo, vem, respeitosamente,…

TRF3 MANTÉM RECISÃO DE CONTRATO DE ALUGUEL DE IMÓVEL QUE PERTENCE AO INSS

Empresa locatária deve mais de cinco anos de aluguel ao Instituto A Segunda Turma do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF3) manteve decisão da 16ª Vara Federal que declarou a rescisão de um…

Atuação do NPMA-PJ impede despejo do Restaurante Prato do Povo II

Inconformada com a decisão que decretou a rescisão do contrato de locação entre o Estado da Bahia e a empresa proprietária do espaço onde funciona o restaurante popular Prato do Povo II, no bairro da…

Justiça dá ordem de despejo à faculdade que deve aluguéis desde 2008

Em sede de execução de sentença, a juíza da 5ª Vara Cível de Brasília determinou o cumprimento imediato de mandado de despejo expedido no bojo da ação de despejo ajuizada por Carlton Hotelaria e…

Justiça dá ordem de despejo à faculdade que deve aluguéis desde 2008

Em sede de execução de sentença, a juíza da 5ª Vara Cível de Brasília determinou o cumprimento imediato de mandado de despejo expedido no bojo da ação de despejo ajuizada por Carlton Hotelaria e…

Prefeitura de Natal é condenada por inadimplência de imóvel

O juiz da 4ª Vara da Fazenda Pública, Cícero Macedo, condenou a Prefeitura de Natal à desocupação de um imóvel residencial, localizado na avenida Norton Chaves, em Nova Descoberta, em 30 dias, em…
Direito Legal
há 10 anos

Anulada decisão da 1ª Vara Cível de Salvador

Inteiro teor da decisão:       4ª CÂMARA CÍVEL Agravo de Instrumento Nº: 0015449-37.2010.805.0000-0 AGRAVANTE: ORGE E CIA LTDA ADVOGADO: LUIZ AMERICO BARRETO ALBIANI ALVES AGRAVADO: ANDRE AUGUSTO…
JurisWay
há 12 anos

Recursos protelatórios para evitar despejo ensejam condenação por má-fé

A Segunda Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou Agravo de Instrumento nº 131022/2008 à agravante que pleiteou reforma da sentença que a condenara ao despejo da casa que alugava.