Artigo 32 da Lei nº 4.357 de 16 de Julho de 1964

Lei nº 4.357 de 16 de Julho de 1964

Autoriza a emissão de Obrigações do Tesouro Nacional, altera a legislação do impôsto sôbre a renda, e dá outras providências.
Art 32. As pessoas jurídicas, enquanto estiverem em débito, não garantido, para com a União e suas autarquias de Previdência e Assistência Social, por falta de recolhimento de impôsto, taxa ou contribuição, no prazo legal, não poderão:
a) distribuir ... (VETADO) ... quaisquer bonificações a seus acionistas;
b) dar ou atribuir participação de lucros a seus sócios ou quotistas, bem como a seus diretores e demais membros de órgãos dirigentes, fiscais ou consultivos;
c) (VETADO).
Parágrafo único. A desobediência ao disposto neste artigo importa em multa, reajustável na forma do art. 7º, que será imposta:
(Revogado)
a) às pessoas jurídicas que distribuírem ou pagarem ... (VETADO) ... bonificações ou remunerações, em montante igual 50% a (cinqüenta por cento) das quantias que houverem pago indevidamente;
(Revogado)
b) aos diretores e demais membros da administração superior que houverem recebido as importâncias indevidas, em montante igual a 50% (cinqüenta por cento) destas importâncias.
(Revogado)
§ 1o A inobservância do disposto neste artigo importa em multa que será imposta: (Redação dada pela Lei nº 11.051, de 2004)
I - às pessoas jurídicas que distribuírem ou pagarem bonificações ou remunerações, em montante igual a 50% (cinqüenta por cento) das quantias distribuídas ou pagas indevidamente; e (Redação dada pela Lei nº 11.051, de 2004)
II - aos diretores e demais membros da administração superior que receberem as importâncias indevidas, em montante igual a 50% (cinqüenta por cento) dessas importâncias. (Redação dada pela Lei nº 11.051, de 2004)
§ 2o A multa referida nos incisos I e II do § 1o deste artigo fica limitada, respectivamente, a 50% (cinqüenta por cento) do valor total do débito não garantido da pessoa jurídica. (Incluído pela Lei nº 11.051, de 2004)
NDM Advogados, Advogado
há 3 meses

Diferença entre distribuição de lucros ou dividendos e pró-labore: como isso pode impactar a sua startup?

É comum que os empreendedores, especialmente os iniciantes, tenham dúvidas sobre as diferenças entre a distribuição de lucros ou dividendos e o pagamento de pró-labore. Sendo assim, é importante…

Exoneração automática da fiança pela retirada dos sócios-fiadores da sociedade

De acordo com a orientação do Superior Tribunal de Justiça a retirada dos sócios-fiadores, per si, não induz à exoneração automática da fiança, impondo-se, além da comunicação da alteração do quadro…

Distribuição de Lucros ou Dividendos

Lucros ou Dividendos apurados e aptos a serem distribuídos são os objetivos precípuos de toda sociedade empresária. Embora seja tênue a distinção em lucros e dividendos, estes seriam divididos e…
Vitor Pécora, Advogado
há 4 anos

Lucros à distribuir

INTRODUÇÃO Neste boletim apresentaremos a sistemática da distribuição de lucros pela pessoa jurídica aos seus devidos sócios, com bens (ativo imobilizado) da empresa. 2. CAPITAL SOCIAL DA PESSOA…
Gustavo Belucci, Advogado
há 5 anos

A desconsideração da personalidade jurídica no Direito brasileiro

1. Origem e evolução histórica da ideia de pessoa jurídica. Breve panorama mundial e no Brasil. O civilista Jean Carbonnier , um dos juristas franceses mais importantes do século XX, lecionava que a…

Débitos fiscais, distribuição de lucros e retroatividade benigna

Em sessão de 23.01.2014, através do Acórdão 2803-002.975, o CARF revisitou um tema importante, merecendo, portanto, novamente atenção. Trata-se de situação criada por norma de 1991, que sancionava as…