Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
21 de outubro de 2017
Artigo 23 da Lei nº 8.977 de 06 de Janeiro de 1995

Art. 23 da Lei 8977/95

Lei nº 8.977 de 06 de Janeiro de 1995

Dispõe sobre o Serviço de TV a Cabo e dá outras providências.

Art. 23. A operadora de TV a Cabo, na sua área de prestação do serviço, deverá tornar disponíveis canais para as seguintes destinações:

I - CANAIS BÁSICOS DE UTILIZAÇÃO GRATUITA:

a) canais destinados à distribuição obrigatória, integral e simultânea, sem inserção de qualquer informação, da programação das emissoras geradoras locais de radiodifusão de sons e imagens, em VHF ou UHF, abertos e não codificados, cujo sinal alcance a área do serviço de TV a Cabo e apresente nível técnico adequado, conforme padrões estabelecidos pelo Poder Executivo;

b) um canal legislativo municipal/estadual, reservado para o uso compartilhado entre as Câmaras de Vereadores localizadas nos municípios da área de prestação do serviço e a Assembléia Legislativa do respectivo Estado, sendo o canal voltado para a documentação dos trabalhos parlamentares, especialmente a transmissão ao vivo das sessões;

c) um canal reservado para a Câmara dos Deputados, para a documentação dos seus trabalhos, especialmente a transmissão ao vivo das sessões;

d) um canal reservado para o Senado Federal, para a documentação dos seus trabalhos, especialmente a transmissão ao vivo das sessões;

e) um canal universitário, reservado para o uso compartilhado entre as universidades localizadas no município ou municípios da área de prestação do serviço;

f) um canal educativo-cultural, reservado para utilização pelos órgãos que tratam de educação e cultura no governo federal e nos governos estadual e municipal com jurisdição sobre a área de prestação do serviço;

g) um canal comunitário aberto para utilização livre por entidades não governamentais e sem fins lucrativos;

h) um canal reservado ao Supremo Tribunal Federal, para a divulgação dos atos do Poder Judiciário e dos serviços essenciais à Justiça;(Alínea incluída pela Lei nº 10.461, de 17.5.2002)

II - CANAIS DESTINADOS À PRESTAÇÃO EVENTUAL DE SERVIÇO;

III - CANAIS DESTINADOS À PRESTAÇÃO PERMANENTE DE SERVIÇOS.

§ 1º A programação dos canais previstos nas alíneas c e d do inciso I deste artigo poderá ser apresentada em um só canal, se assim o decidir a Mesa do Congresso Nacional.

§ 2º Nos períodos em que a programação dos canais previstos no inciso I deste artigo não estiver ativa, poderão ser programadas utilizações livres por entidades sem fins lucrativos e não governamentais localizadas nos municípios da área de prestação do serviço.

§ 3º As condições de recepção e distribuição dos sinais dos canais básicos, previstos no inciso I deste artigo, serão regulamentadas pelo Poder Executivo.

§ 4º As geradoras locais de TV poderão, eventualmente, restringir a distribuição dos seus sinais, prevista na alínea a do inciso I deste artigo, mediante notificação judicial, desde que ocorra justificado motivo e enquanto persistir a causa.

§ 5º Simultaneamente à restrição do parágrafo anterior, a geradora local deverá informar ao Poder Executivo as razões da restrição, para as providências de direito, cabendo apresentação de recurso pela operadora.

§ 6º O Poder Executivo estabelecerá normas sobre a utilização dos canais previstos nos incisos II e III deste artigo, sendo que:

I - serão garantidos dois canais para as funções previstas no inciso II;

II - trinta por cento dos canais tecnicamente disponíveis serão utilizados para as funções previstas no inciso III, com programação de pessoas jurídicas não afiliadas ou não coligadas à operadora de TV a Cabo.

§ 7º Os preços e as condições de remuneração das operadoras, referentes aos serviços previstos nos incisos II e III, deverão ser compatíveis com as práticas usuais de mercado e com os custos de operação, de modo a atender as finalidades a que se destinam.

§ 8º A operadora de TV a Cabo não terá responsabilidade alguma sobre o conteúdo da programação veiculada nos canais referidos nos incisos I, II e III deste artigo, nem estará obrigada a fornecer infra-estrutura para a produção dos programas.

§ 9º O Poder Executivo normatizará os critérios técnicos e as condições de uso nos canais previstos nas alíneas a a g deste artigo.

Inteiro Teor. : 20140111641494 DF 0040138-49.2014.8.07.0001

Poder Judiciário da União Fls. _____ TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO DISTRITO FEDERAL E TERRITÓRIOS Órgão : 4ª TURMA CÍVEL Classe : APELAÇAO N. Processo : 20140111641494APC (0040138-49.2014.8.07.0001)

Inteiro Teor. RECURSO ESPECIAL: REsp 1362084 RJ 2013/0005792-1

Superior Tribunal de Justiça Revista Eletrônica de Jurisprudência   Brasília, DF, 01 de março de 2001 (data do julgamento) RECURSO ESPECIAL Nº 1.362.084 - RJ (2013⁄0005792-1)   RELATOR : MINISTRO

Inteiro Teor. Apelação: AC 529237220164025101 RJ 0052923-72.2016.4.02.5101

Apelação Cível - Turma Espec. III - Administrativo e Cível Nº CNJ : 0052923-72.2016.4.02.5101 (2016.51.01.052923-2) RELATOR : Desembargador Federal LUIZ PAULO DA SILVA ARAUJO FILHO APELANTE : UNIRIO

Apelação: AC 529237220164025101 RJ 0052923-72.2016.4.02.5101

CIVIL. ASSOCIAÇÃO DE TELEVISÃO DAS UNIVERSIDADES DO RIO DE JANEIRO. COBRANÇA DE CONTRIBUIÇÕES MENSAIS DE UNIVERSIDADE ASSOCIADA. UNIRIO. 1. Associação de Televisão das Universidades do Rio de Janeiro (UTV) é pessoa jurídica de direito privado, constituída nos termos do art. 23, inciso I, "e", da Lei nº 8.977/95. Possib...

Assembleia renova compartilhamento do canal de TV com câmaras municipais

A partir desta semana a Assembleia Legislativa vai renovar o compartilhamento do Canal Legislativo com doze câmaras municipais. Desde o início do mês de novembro, também a Câmara Municipal de Lajeado

Pg. 128. Seção 3. Diário Oficial da União DOU de 14/11/2016

critas a seguir e/ou recolher aos cofres do Tesouro Nacional (mediante GRU, código 13902-5), valores históricos atualizados monetariamente desde as respectivas datas de ocorrência até o efetivo

Andamento do Processo n. 2014 01 1 164149-4 - 08/09/2016 do TJDF

Num Processo 2014 01 1 164149-4 Relator Des. SÉRGIO ROCHA Apelante (s) UNIÃO PLANETARIA Advogado (s) ULISSES RIEDEL DE RESENDE (DF000968) Advogado (s) MARCOS LUIS BORGES DE RESENDE (DF003842) Apelado

Pg. 380. Diário de Justiça do Distrito Federal DJDF de 08/09/2016

processamento do feito até o julgamento do Incidente ora noticiado. Publique-se. Brasília, 05 de 09 de 2016." Des. ROMEU GONZAGA NEIVA Relator Num Processo 2014 01 1 061640-0 Relator Des. CRUZ MACEDO

Andamento do Processo n. 0003965-91.2009.4.03.6000 - Apelação Cível - 06/09/2016 do TRF-3

00023 APELAÇÃO CÍVEL Nº 0003965-91.2009.4.03.6000/MS 2009.60.00.003965-4/MS APELADO(A) : Agencia Nacional de Telecomunicações ANATEL ADVOGADO : MS005478 ADRIANA DE OLIVEIRA ROCHA No. ORIG. :

Pg. 353. Judicial I - TRF. Tribunal Regional Federal da 3ª Região TRF-3 de 06/09/2016

APELADO(A)  :  Agencia Nacional de Telecomunicacoes ANATEL  ADVOGADO  :  MS005478 ADRIANA DE OLIVEIRA ROCHA  No. ORIG.  :  00039659120094036000 4 Vr CAMPO GRANDE/MS  EMENTA ADMINISTRATIVO. ANATEL. TV

×