Artigo 22 do Decreto nº 3.048 de 06 de Maio de 1999

RPS - Decreto nº 3.048 de 06 de Maio de 1999

Aprova o Regulamento da Previdência Social, e dá outras providências.
Subseção II
Do Dependente
Art. 22. A inscrição do dependente do segurado será promovida quando do requerimento do benefício a que tiver direito, mediante a apresentação dos seguintes documentos: (Redação dada pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
I - para os dependentes preferenciais:
a) cônjuge e filhos - certidões de casamento e de nascimento;
b) companheira ou companheiro - documento de identidade e certidão de casamento com averbação da separação judicial ou divórcio, quando um dos companheiros ou ambos já tiverem sido casados, ou de óbito, se for o caso; e
c) equiparado a filho - certidão judicial de tutela e, em se tratando de enteado, certidão de casamento do segurado e de nascimento do dependente, observado o disposto no § 3º do art. 16;
II - pais - certidão de nascimento do segurado e documentos de identidade dos mesmos; e
III - irmão - certidão de nascimento.
§ 1º A inscrição dos dependentes de que trata a alínea "a" do inciso I do caput será efetuada na empresa se o segurado for empregado, no sindicato ou órgão gestor de mão-de-obra, se trabalhador avulso, e no Instituto Nacional do Seguro Social, nos demais casos . (Revogado pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
§ 2º Incumbe ao segurado a inscrição do dependente, que deve ser feita, quando possível, no ato da inscrição do segurado . (Revogado pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
§ 3º Para comprovação do vínculo e da dependência econômica, conforme o caso, podem ser apresentados os seguintes documentos, observado o disposto nos §§ 7º e 8º:
(Revogado)
§ 3º Para comprovação do vínculo e da dependência econômica, conforme o caso, devem ser apresentados no mínimo três dos seguintes documentos: (Redação dada pelo Decreto nº 3.668, de 2000)
(Revogado)
§ 3º Para comprovação do vínculo e da dependência econômica, conforme o caso, deverão ser apresentados, no mínimo, dois documentos, observado o disposto nos § 6º-A e § 8º do art. 16, e poderão ser aceitos, dentre outros: (Redação dada pelo Decreto nº 10.410, de 2020).
I - certidão de nascimento de filho havido em comum;
II - certidão de casamento religioso;
III - declaração do imposto de renda do segurado, em que conste o interessado como seu dependente;
IV - disposições testamentárias;
V - anotação constante na Carteira Profissional e/ou na Carteira de Trabalho e Previdência Social, feita pelo órgão competente;
(Revogado pelo Decreto nº 5.699, de 2006)
VI - declaração especial feita perante tabelião;
VII - prova de mesmo domicílio;
VIII - prova de encargos domésticos evidentes e existência de sociedade ou comunhão nos atos da vida civil;
IX - procuração ou fiança reciprocamente outorgada;
X - conta bancária conjunta;
XI - registro em associação de qualquer natureza, onde conste o interessado como dependente do segurado;
XII - anotação constante de ficha ou livro de registro de empregados;
XIII - apólice de seguro da qual conste o segurado como instituidor do seguro e a pessoa interessada como sua beneficiária;
XIV - ficha de tratamento em instituição de assistência médica, da qual conste o segurado como responsável;
XV - escritura de compra e venda de imóvel pelo segurado em nome de dependente;
XVI - declaração de não emancipação do dependente menor de vinte e um anos; ou
XVII - quaisquer outros que possam levar à convicção do fato a comprovar.
§ 4º O fato superveniente que importe em exclusão ou inclusão de dependente deve ser comunicado ao Instituto Nacional do Seguro Social, com as provas cabíveis.
§ 5º O segurado casado não poderá realizar a inscrição de companheira . (Revogado pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
§ 6º Somente será exigida a certidão judicial de adoção quando esta for anterior a 14 de outubro de 1990, data da vigência da Lei nº 8.069, de 1990.
§ 7º Para a comprovação do vínculo de companheira ou companheiro, os documentos enumerados nos incisos III, IV, V, VI e XII do § 3º constituem, por si só, prova bastante e suficiente, devendo os demais serem considerados em conjunto de no mínimo três, corroborados, quando necessário, mediante justificação administrativa, processada na forma dos arts. 142 a 151.
(Revogado pelo Decreto nº 3.668, de 2000)
§ 8º No caso de pais, irmãos, enteado e tutelado, a prova de dependência econômica será feita por declaração do segurado firmada perante o Instituto Nacional do Seguro Social, acompanhada de um dos documentos referidos nos incisos III, V, VI e XIII do § 3º, que constituem, por si só, prova bastante e suficiente, devendo os documentos referidos nos incisos IV, VII, VIII, IX, X, XI, XII, XIV e XV serem considerados em conjunto de no mínimo três, corroborados, quando necessário, por justificação administrativa ou parecer sócio-econômico do Serviço Social do Instituto Nacional do Seguro Social.
(Revogado pelo Decreto nº 3.668, de 2000)
§ 9º No caso de dependente inválido, para fins de inscrição e concessão de benefício, a invalidez será comprovada mediante exame médico-pericial a cargo do Instituto Nacional do Seguro Social.
(Revogado)
§ 9º No caso de dependente inválido ou com deficiência intelectual, mental ou grave, para fins de inscrição e concessão de benefício, a invalidez será comprovada por meio de exame médico-pericial a cargo da Perícia Médica Federal e a deficiência, por meio de avaliação biopsicossocial realizada por equipe multiprofissional e interdisciplinar. (Redação dada pelo Decreto nº 10.410, de 2020).
§ 10. Deverá ser apresentada declaração de não emancipação, pelo segurado, no ato de inscrição de dependente menor de vinte e um anos referido no art. 16.
(Revogado)
§ 10. Deverá ser apresentada declaração de não emancipação, pelo segurado, no ato de inscrição de dependente menor de vinte e um anos referido no art. 16.
(Revogado)
§ 10. O dependente menor de vinte e um anos de idade apresentará declaração para atestar a não ocorrência das hipóteses previstas no inciso III do caput do art. 17. (Redação dada pelo Decreto nº 10.410, de 2020).
§ 11. Para inscrição dos pais ou irmãos, o segurado deverá comprovar a inexistência de dependentes preferenciais, mediante declaração firmada perante o Instituto Nacional do Seguro Social . (Revogado pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
§ 12. Os dependentes excluídos de tal condição em razão de lei têm suas inscrições tornadas nulas de pleno direito.
§ 13. No caso de equiparado a filho, a inscrição será feita mediante a comprovação da equiparação por documento escrito do segurado falecido manifestando essa intenção, da dependência econômica e da declaração de que não tenha sido emancipado. (Incluído pelo Decreto nº 4.079, de 2002)
§ 14. Caso o dependente só possua um dos documentos a que se refere o § 3º produzido em período não superior a vinte e quatro meses anteriores à data do óbito ou do recolhimento à prisão, a comprovação de vínculo ou de dependência econômica para esse período poderá ser suprida por justificação administrativa, processada na forma prevista nos art. 142 ao art. 151. (Incluído pelo Decreto nº 10.410, de 2020)

Página 336 da Suplemento - Seção III do Diário de Justiça do Estado de Goiás (DJGO) de 10 de Julho de 2020

II da Lei 8.213/91 o legislador assim descreveu: “Art.16. São beneficiários do Regime Geral de Previdência Social...)." A comprovação de dependência econômica perante o INSS é feita com base no a…

A Concessão da Pensão por Morte ao Companheiro da Relação Homoafetiva.

estável, obedecendo-se o disposto no art. 22 do Decreto 3048/99. Diante da observância citada, o Instituto Nacional...: Art. 201- CF/88 A previdência social será organizada sob a forma de regime …

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - RECURSO CÍVEL : 50197857520194047200 SC 5019785-75.2019.4.04.7200

estável, pois a parte autora não atendeu ao comando inserto no §3º do art. 22 do Decreto 3048/99, porquanto teria... provimento ao recurso e confirmar a sentença por seus próprios fundamentos (art. …

Andamento do Processo n. 5001637-51.2018.4.02.5116 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

. DESPACHO/DECISÃO O art. 22 , § 3º do Decreto 3.048 /99, dispõe sobre os documentos necessários para comprovação... , § 3º do Decreto 3.048 /99, necessários para o julgamento da causa. Intime-se …

Andamento do Processo n. 5001753-23.2019.4.02.5116 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

dos elencados no art. 22 , § 3º do Decreto 3.048 /99, necessários para o julgamento da causa. Determino a realização..., o INSS apresentou contestação (Evento 10, CONT1). É o breve relatório. …

Andamento do Processo n. 5040048-43.2020.4.02.5101 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

outros exemplificados no art. 22, § 3º do Decreto 3.048/99. Considerando manifestação encaminhada a este juízo pela AGU... de dependente. Defiro a gratuidade de justiça, pois requerida na forma do a…

Andamento do Processo n. 5001710-86.2019.4.02.5116 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

art. 22, § 3º do Decreto 3.048/99, necessários para o julgamento da causa. Determino a realização de audiência... contestação (Evento 8, CONT1 e Evento 21, CONT1). É o breve relatório. Decido. O …

Andamento do Processo n. 5003310-45.2019.4.02.5116 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

para que, no prazo de 10 dias, apresente pelo menos 03 documentos dos elencados no art. 22, § 3º do Decreto 3.048/99..., CONT1). É o breve relatório. Decido. O art. 22, §3º do Decreto 3.048/99, …

Andamento do Processo n. 5003815-36.2019.4.02.5116 - Procedimento do Juizado Especial Cível - 08/07/2020 do TRF-2

de 10 dias, apresente pelo menos 03 documentos dos elencados no art. 22, § 3º do Decreto 3.048/99, necessários para... relatório. Decido. O art. 22, §3º do Decreto 3.048/99, dispõe sobre os …

Página 2090 da Judicial - JFRJ do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2) de 8 de Julho de 2020

de vida, fotos, dentre outros exemplificados no art. 22, § 3º do Decreto 3.048/99. Considerando manifestação encaminhada... de qualidade de dependente. Defiro a gratuidade de justiça, pois …