Art. 31 Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social - Decreto 2173/97

Decreto nº 2.173 de 05 de Março de 1997

Aprova o Regulamento da Organização e do Custeio da Seguridade Social .
Art. 31. A pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, que exerce atividade educacional nos termos da Lei nº 9.394, de 20 de dezembro de 1996, ou que atenda ao Sistema Único de Saúde, mas não pratique de forma exclusiva e gratuita atendimento a pessoas carentes, gozará da isenção das contribuições de que tratam os arts. 22 e 23 da Lei nº 8.212, de 1991, na proporção do valor das vagas cedidas, integral e gratuitamente, a carentes ou do valor do atendimento à saúde de caráter assistencial, desde que satisfaçam os requisitos constantes dos incisos I, II, III, V e VI do caput do art. 30 . (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 1º O valor da isenção a ser usufruída pela pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos da área de educação corresponde ao percentual resultante da relação existente entre o valor efetivo total das vagas cedidas, integral e gratuitamente, e a receita bruta mensal proveniente da venda de serviços e de bens não integrantes do ativo imobilizado, acrescida da receita decorrente de doações particulares, a ser aplicado sobre o total das contribuições sociais devidas. (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 2º Não será considerado, para os fins do cálculo da isenção de que trata o parágrafo anterior, o valor das vagas cedidas com gratuidade parcial, nem cedidas a alunos não carentes. (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 3º O valor da isenção a ser usufruída pela pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos que presta serviços ao Sistema Único de Saúde corresponde ao percentual resultante da relação existente entre a receita auferida com esses serviços e o total da receita bruta mensal proveniente da venda de serviços e de bens não integrantes do ativo imobilizado, acrescida da receita decorrente de doações particulares, excluída a receita decorrente dos atendimentos ao Sistema Único de Saúde, a ser aplicado sobre o total das contribuições sociais devidas. (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 4º O cálculo do percentual de isenção a ser utilizado mês a mês será efetuado tomando-se por base as receitas de serviços e contribuições relativas ao mês anterior ao da competência, à exceção do mês de abril de 1999, que será efetuado tomando-se por base os valores do próprio mês. (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 5º No caso de pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos que preste simultaneamente serviços nas áreas de educação e saúde, a isenção a ser usufruída será calculada nos termos dos §§ 1º e 3º, em relação a cada uma daquelas atividades, isoladamente. (Redação dada pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 6º O recolhimento das contribuições previstas no art. 22 da Lei nº 8.212, de 1991, para a pessoa jurídica de direito privado de que trata este artigo, deduzida a isenção calculada com base nos §§ 1º e 3º, deverá ser efetuado até o dia dois do mês seguinte ao da competência. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 7º A isenção das contribuições é extensiva a todas as entidades mantidas, suas dependências, estabelecimentos e obras de construção civil da pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos, quando por ela executadas e destinadas a uso próprio, desde que voltadas a atividades educacionais ou de atendimento ao Sistema Único de Saúde, na forma deste Regulamento. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 8º O Instituto Nacional do Seguro Social verificará, periodicamente, se a pessoa jurídica de direito privado sem fins lucrativos continua atendendo aos requisitos de que trata este artigo. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 9o Caberá ao órgão gestor municipal de assistência social, bem como ao respectivo conselho, acompanhar e fiscalizar a concessão das vagas, integrais e gratuitas, cedidas anualmente pela pessoa jurídica de direito privado de que trata o caput deste artigo. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 10. Aplica-se à pessoa jurídica de direito privado de que trata o caput deste artigo o disposto nos §§ 2º, 3º, 6o, 8º, 9o, 10 e 11 do art. 30. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)
§ 11. Para os efeitos deste artigo, considera-se pessoa carente o aluno de curso de educação superior cuja renda familiar mensal per capita corresponda, no máximo, a R$ 300,00 (trezentos reais), reajustados nas mesmas épocas e com os mesmos índices utilizados para o reajustamento do benefício de prestação continuada da Assistência Social. (Incluído pelo Decreto nº 3.039, de 1999)

Página 2975 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 4 de Março de 2020

revogação da Lei 3577/59, atendendo-se ao 1° requisito legal. O reconhecimento como entidade de utilidade pública veio apenas em 1981 (fl.410) e poder-se-ia pensar que chegou a destempo de cumprir as…

Andamento do Processo n. 0011206-30.2018.5.15.0101 - ATOrd - 19/11/2019 do TRT-15

Processo Nº ATOrd-0011206-30.2018.5.15.0101 AUTOR ISABEL CRISTINA DO VAL ADVOGADO WESLEY DE OLIVEIRA TEIXEIRA(OAB: 332768/SP) RÉU FUNDACAO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA ADVOGADO DEBORA…

Página 5940 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 19 de Novembro de 2019

como entidade de utilidade pública veio apenas em 1981 (fl.410) e poder-se-ia pensar que chegou a destempo de cumprir as exigências da Lei 3577/59 revogada em setembro de 1977. Mas, à luz do…

Andamento do Processo n. 0010057-62.2019.5.15.0101 - ATSum - 27/09/2019 do TRT-15

Processo Nº ATSum-0010057-62.2019.5.15.0101 AUTOR SARA MARIA ISIDORO OTERO ADVOGADO FABIO HENRIQUE DE OLIVEIRA JORGE(OAB: 299002/SP) RÉU FUNDACAO MUNICIPAL DE ENSINO SUPERIOR DE MARILIA ADVOGADO…

Página 5108 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 27 de Setembro de 2019

suas diretorias mão percebam remuneração. - Art.2° As entidades beneficiadas pela isenção instituída pela presente, ficam obrigadas a recolher aos Institutos, a parte devidas pelos seus empregados...

Andamento do Processo n. 0011722-84.2017.5.15.0101 - ATOrd - 12/09/2019 do TRT-15

Processo Nº ATOrd-0011722-84.2017.5.15.0101 AUTOR GERALDINA MARIA PEREIRA ALVES ADVOGADO EDUARDO SZITIKO DE SOUZA(OAB: 298014/SP) RÉU FACULDADE DE MEDICINA DE MARILIA ADVOGADO FLAVIA REGINA…

Página 38840 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 12 de Setembro de 2019

Certificado de Entidade de Fins Filantrópicos com validade por prazo indeterminado e estivesse isenta da contribuição. O mesmo Decreto-Lei concedia prazo para as entidades regularizarem a situação…

Página 5894 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região (TRT-15) de 22 de Julho de 2019

por dois anos, às instituições que se encontrem registradas ou que venham a se registrar no Conselho. (...) Para o benefício da Lei 3577/59 a entidade deveria ser de fins filantrópicos e reconhecida…

Andamento do Processo n. 0004719-80.2016.403.6002 - 05/07/2019 do TRF-3

0004719-80.2016.403.6002 - FUNDACAO DE SERVICOS DE SAUDE DE DOURADOS - FUNSAUD(MS008398 - ADRIANA DE CARVALHO SILVA E MS021089 - FRANCIELI ARCARI MARAN E MS009129 - GLAUCO LUBACHESKI DE AGUIAR) X…

Página 819 da Judicial I - Interior SP e MS do Tribunal Regional Federal da 3ª Região (TRF-3) de 5 de Julho de 2019

MS009129 - GLAUCO LUBACHESKI DE AGUIAR) X UNIAO (FAZENDA NACIONAL)(Proc. 1463 - ENEIAS DOS SANTOS COELHO) A FUNDAÇÃO DE SERVIÇOS DE SAÚDE DE DOURADOS - FUNSAUD - ajuizou a presente ação emface da…