Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
20 de setembro de 2018
Artigo 6 do Decreto nº 592 de 06 de Julho de 1992

Art. 6 do Decreto 592/92

Decreto nº 592 de 06 de Julho de 1992

Atos Internacionais. Pacto Internacional sobre Direitos Civis e Políticos. Promulgação.

PARTE III

ARTIGO 6

1. O direito à vida é inerente à pessoa humana. Esse direito deverá ser protegido pela lei. Ninguém poderá ser arbitrariamente privado de sua vida.

2. Nos países em que a pena de morte não tenha sido abolida, esta poderá ser imposta apenas nos casos de crimes mais graves, em conformidade com legislação vigente na época em que o crime foi cometido e que não esteja em conflito com as disposições do presente Pacto, nem com a Convenção sobra a Prevenção e a Punição do Crime de Genocídio. Poder-se-á aplicar essa pena apenas em decorrência de uma sentença transitada em julgado e proferida por tribunal competente.

3. Quando a privação da vida constituir crime de genocídio, entende-se que nenhuma disposição do presente artigo autorizará qualquer Estado Parte do presente Pacto a eximir-se, de modo algum, do cumprimento de qualquer das obrigações que tenham assumido em virtude das disposições da Convenção sobre a Prevenção e a Punição do Crime de Genocídio.

4. Qualquer condenado à morte terá o direito de pedir indulto ou comutação da pena. A anistia, o indulto ou a comutação da pena poderá ser concedido em todos os casos.

5. A pena de morte não deverá ser imposta em casos de crimes cometidos por pessoas menores de 18 anos, nem aplicada a mulheres em estado de gravidez.

6. Não se poderá invocar disposição alguma do presente artigo para retardar ou impedir a abolição da pena de morte por um Estado Parte do presente Pacto.

Pg. 256. Judicial I - TRF. Tribunal Regional Federal da 3ª Região TRF-3 de 31/07/2018

226, de 12/012/1991, incorporado pelo Decreto 592, de 06/07/1992, art. 6º. Frise-se, ademais, o que consta.../1966, aprovado pelo Congresso Nacional pelo Decreto Legislativo 226, de 12./12/1991, incorporado pelo Decreto 592..., de 06/07/1992, estabelece: "Art. 12.1. Os Estados Partes do presente Pacto reconhe...

O aborto e o STF como Poder Moderador
O aborto e o STF como Poder Moderador

Houve um tempo no Brasil no qual todas as atribuições do Poder eram concentradas no Imperador, que detinha em suas mãos as funções jurisdicionais, legislativas e executivas. O país...

Pg. 13. Executivo 3. Diário Oficial do Estado do Pará DOEPA de 05/11/2009

PORTARIA NÚmeRO de PublIcAÇÃO: 40124 PORTARIA Nº 1085/09 – seTeR, 04 de NOvembRO de 2009. A secReTÁRIA de esTAdO de TRAbAlHO, emPRegO e ReNdA, no uso de suas atribuições legais e, Considerando a

Pg. 187. Seção 1. Diário Oficial da União DOU de 21/03/2011

reitos Humanos, ficou esclarecido que a instalação do Programa de Defensores dos Direitos Humanos, neste Estado, dependeria sobretudo de iniciativa do governo estadual, a partir da apresentação de

Pg. 66. Seção 1. Diário Oficial da União DOU de 04/04/2011

CONSIDERANDO o preceituado no artigo 5º, inciso V, alínea a, da Lei Complementar N 75/93, que atribui ao Ministério Público Federal a função de "zelar pelo efetivo respeito dos Poderes Públicos da

Pg. 77. Seção 1. Diário Oficial da União DOU de 05/04/2011

vendo as medidas necessárias à sua garantia, notadamente a ação civil pública para proteção do patrimônio público e social, do meio ambiente e de outros interesses difusos e coletivos, conforme art.

Pg. 133. Seção 1. Diário Oficial da União DOU de 10/05/2011

PORTARIA N 146, DE 26 DE ABRIL DE 2011 (ETIQUETA N 6418/2011) O MINISTÉRIO PÚBLICO FEDERAL, pelo Procurador da República signatário, no exercício das atribuições constitucionais conferidas pelo art.

×