Artigo 11 do Decreto nº 27.048 de 12 de Agosto de 1949

Decreto nº 27.048 de 12 de Agosto de 1949

Aprova o regulamento da Lei nº 605, de 5 de janeiro de 1949, que dispõe sôbre o repouso semanal remunerado e o pagamento de salário nos dias feriados civis e religiosos.
Art 11. Perderá a remuneração do dia de repouso o trabalhador que, sem motivo justificado ou em virtude de punição disciplinar, não tiver trabalhado durante tôda a semana, cumprindo integralmente o seu horário de trabalho.
§ 1º Nas emprêsas em que vigorar regime de trabalho reduzido, a freqüência exigida corresponderá ao número de dias em que houver trabalho.
§ 2º Não prejudicarão a freqüência exigida as ausências decorrentes de férias.
§ 3º Não serão acumuladas a remuneração do repouso semanal e a do feriado civil ou religioso, que recaírem no mesmo dia.
§ 4º Para os efeitos do pagamento da remuneração, entende-se como semana o período da segunda-feira a domingo, anterior à semana em que recair o dia de repouso definido no art. 1º.

Capítulo 11 Professor - Curso de direito do trabalho aplicado: livro das profissões regulamentadas

Capítulo 11 Professor Peculiaridades. O professor obteve limitação ao número de aulas consecutivas e intercaladas num mesmo dia. Remuneração de semanalista, com cálculo do mês de 31,5 dias (quatro…
0
0

Restrições às horas extras - Capítulo 14 - Peculiaridades do Contrato de Trabalho do Adolescente - Curso de direito do trabalho aplicado: saúde e segurança do trabalho

Restrições às horas extras Horas extras dos trabalhadores de 16 a 18 anos. Assuntos ainda mais instigantes surgem no tema das horas extras do menor de 18 anos. Ao contrário do que se poderia supor, o…
0
0

Capítulo 18 - Feriados - Curso de Direito do Trabalho Aplicado - Volume 2 - Jornadas e Pausas - Ed. 2017

Capítulo 18 – Feriados A CLT praticamente não trata do tema feriado. Há apenas uma singela referência no art. 70, dizendo que feriados serão objeto de legislação própria. No caso, foi a Lei 605/1949…
0
0

Capítulo 17 - Descansos Semanais Remunerados - Curso de Direito do Trabalho Aplicado - Volume 2 - Jornadas e Pausas - Ed. 2017

Capítulo 17 - Descansos Semanais Remunerados Respondem os descansos semanais remunerados por incontáveis questões controvertidas no âmbito dos contratos de trabalho, verificando-se grande desconheci-…
0
0

Capítulo 15 - Divisor para Cálculo da Hora Extra - Curso de Direito do Trabalho Aplicado - Volume 2 - Jornadas e Pausas - Ed. 2017

Capítulo 15 – Divisor para Cálculo da Hora Extra O art. 64 da Consolidação das Leis do Trabalho corresponde à chave para o bom entendimento de todo o capítulo da duração do trabalho, mas curiosamente…
0
0

Capítulo 8 - Compensação Semanal de Jornada - Curso de Direito do Trabalho Aplicado - Volume 2 - Jornadas e Pausas - Ed. 2017

Capítulo 8 – Compensação Semanal de Jornada Conforme apresentado acima, o art. 59 sofre uma bifurcação, concentrando-se o § 1.º no pagamento do adicional da hora extraordinária, enquanto o § 2.º se…
0
0

Capítulo 11 - Professor - Curso de direito do trabalho aplicado: livro das profissões regulamentadas

Capítulo 11 - Professor Peculiaridades. Remuneração de semanalista, com cálculo do mês de 31,5 dias (quatro semanas e meia). Repouso proporcionado pelo sistema de férias e de recesso escolar, que não…
0
0

Art. 457 - Capítulo II. Da Remuneração - Clt Comentada

Capítulo II Da remuneração Art. 457. Compreendem-se na remuneração do empregado, para todos os efeitos legais, além do salário devido e pago diretamente pelo empregador, como contraprestação do…
0
0

Art. 66 - Seção III. Dos Períodos de Descanso - Clt Comentada

Seção III Dos períodos de descanso Art. 66. Entre duas jornadas de trabalho haverá um período mínimo de 11 (onze) horas consecutivas para descanso. 1. O art. 66 é o símbolo máximo do intervalo entre…
0
0

1. Primeira Parte – Temas Trabalhistas Contemporâneos - Primeira Parte - Temas Trabalhistas Contemporâneos - E Agora, Tarsila? - Edição 2018

Primeira parte - Temas trabalhistas contemporâneos Macarronada com precatório 03.março.2017 Precatório é um assunto que todo mundo finge que sabe, todo mundo sabe que precisa saber, mas, se possível,…
0
0