Artigo 6 da Lei nº 10.826 de 22 de Dezembro de 2003 de São Paulo

Lei nº 10.826 de 22 de Dezembro de 2003

Dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo e munição, sobre o Sistema Nacional de Armas (Sinarm), define crimes e dá outras providências.
Art. 6o É proibido o porte de arma de fogo em todo o território nacional, salvo para os casos previstos em legislação própria e para:
I - os integrantes das Forças Armadas;
II - os integrantes de órgãos referidos nos incisos do caput do art. 144 da Constituição Federal ;
III - os integrantes das guardas municipais das capitais dos Estados e dos Municípios com mais de quinhentos mil habitantes, nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei;
IV - os integrantes das guardas municipais dos Municípios com mais de cinqüenta mil e menos de quinhentos mil habitantes, quando em serviço;
V - os agentes operacionais da Agência Brasileira de Inteligência e os agentes do Departamento de Segurança do Gabinete de Segurança Institucional da Presidência da República;
VI - os integrantes dos órgãos policiais referidos no art. 51, IV, e no art. 52, XIII, da Constituição Federal ;
VII - os integrantes do quadro efetivo dos agentes e guardas prisionais, os integrantes das escoltas de presos e as guardas portuárias;
VIII - as empresas de segurança privada e de transporte de valores constituídas, nos termos desta Lei;
IX - para os integrantes das entidades de desporto legalmente constituídas, cujas atividades esportivas demandem o uso de armas de fogo, na forma do regulamento desta Lei, observando-se, no que couber, a legislação ambiental.
§ 1o As pessoas previstas nos incisos I, II, III, V e VI deste artigo terão direito de portar arma de fogo fornecida pela respectiva corporação ou instituição, mesmo fora de serviço, na forma do regulamento, aplicando-se nos casos de armas de fogo de propriedade particular os dispositivos do regulamento desta Lei.
§ 2o A autorização para o porte de arma de fogo dos integrantes das instituições descritas nos incisos V, VI e VII está condicionada à comprovação do requisito a que se refere o inciso III do art. 4o, nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei.
§ 3o A autorização para o porte de arma de fogo das guardas municipais está condicionada à formação funcional de seus integrantes em estabelecimentos de ensino de atividade policial e à existência de mecanismos de fiscalização e de controle interno, nas condições estabelecidas no regulamento desta Lei, observada a supervisão do Comando do Exército.
§ 4o Os integrantes das Forças Armadas, das polícias federais e estaduais e do Distrito Federal, bem como os militares dos Estados e do Distrito Federal, ao exercerem o direito descrito no art. 4o, ficam dispensados do cumprimento do disposto nos incisos I, II e III do mesmo artigo, na forma do regulamento desta Lei.
§ 5o Aos residentes em áreas rurais, que comprovem depender do emprego de arma de fogo para prover sua subsistência alimentar familiar, será autorizado, na forma prevista no regulamento desta Lei, o porte de arma de fogo na categoria "caçador".
§ 6o Aos integrantes das guardas municipais dos Municípios que integram regiões metropolitanas será autorizado porte de arma de fogo, quando em serviço.

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS : HC 663890 SP 2021/0133153-6

HABEAS CORPUS Nº 663890 - SP (2021/0133153-6) DECISAO Trata-se de habeas corpus impetrado por Ronaldo Ferreira Gonçalves em favor de Walter Antônio Marques e Maria Lucia da Silva Marques, contra …

Superior Tribunal de Justiça STJ - AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL : AREsp 1839712 RS 2021/0044574-0

AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL Nº 1.839.712 - RS (2021/0044574-0) DECISAO Cuida-se de agravo apresentado por DELMO MACHADO HAUSEN NETO contra a decisão que não admitiu seu recurso especial, fundamentado …

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO : AG 5017670-79.2021.4.04.0000 5017670-79.2021.4.04.0000

Trata-se de agravo de instrumento contra decisão que indeferiu o pedido liminar em mandado de segurança em que o impetrante, Agente de Segurança Socioeducativo efetivo, pretende que o porte de arma …

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO : AG 5017470-72.2021.4.04.0000 5017470-72.2021.4.04.0000

Trata-se de agravo de instrumento contra decisão que indeferiu o pedido liminar em mandado de segurança em que o impetrante, Agente de Segurança Socioeducativo no CASE de Lages/SC, pretende que o …

Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região TRT-1 - Agravo de Petição : AP 01003082020195010036 RJ

PODER JUDICIÁRIO PROCESSO nº 0100308-20.2019.5.01.0036 (AP) AGRAVANTE: MARIA REGINA PERRY MOREIRA LIMA AGRAVADO: NELMACSON ALVES DA SILVA RELATOR: LEONARDO DIAS BORGES EMENTA AGRAVO DE PETIÇAO. BEM…

Superior Tribunal de Justiça STJ - RECURSO ESPECIAL : REsp 1904262 MG 2020/0291144-2

RECURSO ESPECIAL Nº 1904262 - MG (2020/0291144-2) DECISAO Trata-se de recurso especial manejado pela União com fundamento no art. 105, III, a, da CF, contra acórdão proferido pelo Tribunal Regional …

Superior Tribunal de Justiça STJ - HABEAS CORPUS : HC 661555 MG 2021/0120425-3

HABEAS CORPUS Nº 661555 - MG (2021/0120425-3) DECISAO ADONERIS SILVA DE ALMEIDA alega sofrer suposto constrangimento ilegal em razão de acórdão proferido pelo Tribunal de Justiça do Estado de Minas …

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - APELAÇÃO CIVEL : AC 5012577-24.2020.4.04.7000 PR 5012577-24.2020.4.04.7000

ADMINISTRATIVO. APELAÇÃO CÍVEL. MANDADO DE SEGURANÇA. DIREITO ADMINISTRATIVO. LICENÇA DE PORTE DE ARMA DE FOGO. ARTS. 6º E 10, LEI N° 10.826/2003. ART. 22 DECRETON° 5.123/2004. ART. 18 DA INSTRUÇÃO …

Supremo Tribunal Federal STF - MEDIDA CAUTELAR NA AÇÃO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE : ADI 0048048-66.2021.1.00.0000 DF 0048048-66.2021.1.00.0000

AÇAO DIRETA DE INCONSTITUCIONALIDADE. DECRETOS PRESIDENCIAIS QUE DISPÕEM SOBRE AQUISIÇAO, CADASTRO, REGISTRO, POSSE E PORTE DE ARMAS DE FOGO, ACESSÓRIOS E MUNIÇÕES. ATOS NORMATIVOS EDITADOS COM O …

Tribunal Regional Federal da 4ª Região TRF-4 - AGRAVO DE INSTRUMENTO : AG 5012844-10.2021.4.04.0000 5012844-10.2021.4.04.0000

Trata-se de Agravo de Instrumento em face de decisão que indeferiu o pedido liminar em mandado de segurança impetrado em face de ato praticado pelo SUPERINTENDENTE REGIONAL NO ESTADO DO PARANÁ DA …

Termo ou Assunto relacionado