Processo n. 0014984-62.2016.8.21.0003 do TJRS

08/06/2017há 2 anos
Ir para página do andamento

Alvorada

1ª Vara Cível da Comarca de Alvorada

Nota de Expediente Nº 218/2017

003/1.16.0007300-3 (CNJ 0014984-62.2016.8.21.0003) -CONDOMÍNIO EDÍFICIO MORADAS RESERVA III - B (PP. ANA CRISTINA OLIVEIRA FASSINA 94428/RS, ANA LUCIA PACHECO DE LIMA 76411/RS, GUILHERME DOS REIS MALLET 65798/RS, JOSEANE NUNES 85972/RS, MARA ANALIA URRUTIA NOBREGA 37169/RS E SIMONE GADEA FURTADO 85652/RS) X CHRISTOPHER CARPES (SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS).

VISTOS. DIANTE DA PETIÇÃO RETRO, DANDO CONTA QUE A PARTE EXECUTADA QUITOU O DÉBITO, JULGO EXTINTO O FEITO, FORTE NO ARTIGO 924, II DO CPC. EVENTUAIS CUSTAS PENDENTES, PELA EXECUTADA. INTIMEM-SE. TRANSITADA EM JULGADO, ARQUIVE-SE COM BAIXA.

26/10/2016há 2 anos
Ir para página do andamento

Alvorada

1ª Vara Cível da Comarca de Alvorada

Nota de Expediente Nº 437/2016

003/1.16.0007300-3 (CNJ 0014984-62.2016.8.21.0003) -CONDOMÍNIO EDÍFICIO MORADAS RESERVA III - B (PP. ANA CRISTINA OLIVEIRA FASSINA 94428/RS, ANA LUCIA PACHECO DE LIMA 76411/RS, GUILHERME DOS REIS MALLET 65798/RS, JOSEANE NUNES 85972/RS, MARA ANALIA URRUTIA NOBREGA 37169/RS E SIMONE GADEA FURTADO 85652/RS) X CHRISTOPHER CARPES (SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS).

CIENTE DA INTERPOSIÇÃO DO AGRAVO DE INSTRUMENTO, MANTENHO A DECISÃO ATACADA PELOS SEUS PRÓPRIOS FUNDAMENTOS. AGUARDE-SE A COMUNICAÇÃO DA DECISÃO DO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

31/08/2016há 3 anos
Ir para página do andamento

Alvorada

1ª Vara Cível da Comarca de Alvorada

Nota de Expediente Nº 356/2016

003/1.16.0007300-3 (CNJ 0014984-62.2016.8.21.0003) -CONDOMÍNIO EDÍFICIO MORADAS RESERVA III - B (PP. ANA CRISTINA OLIVEIRA FASSINA 94428/RS, ANA LUCIA PACHECO DE LIMA 76411/RS, GUILHERME DOS REIS MALLET 65798/RS, JOSEANE NUNES 85972/RS, MARA ANALIA URRUTIA NOBREGA 37169/RS E SIMONE GADEA FURTADO 85652/RS) X CHRISTOPHER CARPES (SEM REPRESENTAÇÃO NOS AUTOS).

INDEFIRO O BENEFÍCIO DA GRATUIDADE JUDICIÁRIA.NÃO OBSTANTE O FATO DE QUE A JURISPRUDÊNCIA VENHA AMPLIANDO A CONCESSÃO DA AJG PARA AS PESSOAS JURÍDICAS DE DIREITO PRIVADO, TAL MEDIDA DEVE DAR-SE EM CASOS EXCEPCIONAIS, O QUE EVIDENCIA A INDISPENSABILIDADE DA DEMONSTRAÇÃO DA REAL NECESSIDADE AO BENEFÍCIO, O QUE NÃO SE COMPROVA NO CASO CONCRETO. RECOLHIDAS AS CUSTAS, VOLTEM.

Detalhes do processo
Diário Oficial
Diário de Justiça do Estado do Rio Grande do Sul
Última publicação no DJRS
há 2 anos