Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
27 de julho de 2017
Direito Subjetivo à Saúde Editar Foto
×

Alterar Imagem

Envie uma imagem

Direito Subjetivo à Saúde Editar

Cancelar
Adicione uma descrição a este tópico. Editar

caracteres restantes

Cancelar
O Plano de Saúde não pode limitar o tempo de internação do paciente

Ao realizar a contratação do serviço de plano de saúde uma das principais garantias esperadas pelos consumidores é de que serão integralmente amparados no caso de necessidade de internações, tendo em

José Inácio

José Inácio -

Medicamentos de alto custo e o direito à saúde

José Inácio Vilar Guimarães Rodrigues 1 DESCRIÇÃO DO CASO Durante o cumprimento de pena por latrocínio, o detento Antônio Lima contraiu uma Trombose que gerou diversas consequências para a sua saúde.

Ozael Siqueira

Ozael Siqueira -

Acesso a saúde pelo preso como efetivação da dignidade da pessoa humana

RESUMO: A dignidade da pessoa humana é o valor intrínseco que distingue cada ser humano, fazendo-os dignos dos mesmos direitos, respeito e consideração por parte do Estado e da sociedade. A

Inclusão do filho recém-nascido no plano de saúde

A inclusão de filho natural ou adotivo do consumidor é obrigatória quando o plano oferece atendimento obstétrico. Tal inclusão deverá ser feita em até 30 dias após o nascimento ou adoção. O direito

Fornecimento de medicamentos – Direito do cidadão e dever do Estado

A Constituição Federal do Brasil traz a proteção ao direito à saúde, sendo este um dos direitos mais importantes tutelados pela carta constitucional da República Brasileira. Ocorre que na maioria das

Home Care (internação domiciliar)
Home Care (internação domiciliar)

O home-care (ou internação domiciliar) é a cobertura na qual o plano de saúde monta um quarto de hospital na residência do paciente, disponibilizando enfermeiros 24 horas por dia, ...

Ic n. Idea - 075.9.129182/2017 do TJBA

PROCESSOS DEFERIDOS PELA PROCURADORA-GERAL DE JUSTIÇA ANA EMANUELA CORDEIRO ROSSI MEIRA, Promotor(a) de Justiça da Capital. Defiro o pedido nos termos do artigo 15, inciso XXXVIII, da Lei

União deve fornecer tratamento para Síndrome de Dravet
União deve fornecer tratamento para Síndrome de Dravet

A União terá que fornecer tratamento para Síndrome de Dravet, um raro tipo de epilepsia, a um jovem de 18 anos. O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve, na última s...

Andamento do Processo n. 0202289-23.2013.8.06.0001 - Apelação / Remessa Necessária - 21/06/2017 do DJCE

Total de feitos: 1 Coordenadoria de Direito Público - 1ª Câmara EMENTA E CONCLUSÃO DE ACÓRDÃO 0202289-23.2013.8.06.0001 - Apelação / Remessa Necessária . Autor: Maria Medeiros Dantas. Curador Esp.:

Andamento do Processo n. 0102774-10.2016.8.06.0001 - Apelação / Remessa Necessária - 20/06/2017 do DJCE

Total de feitos: 1 Coordenadoria de Direito Público - 1ª Câmara EMENTA E CONCLUSÃO DE ACÓRDÃO 0102774-10.2016.8.06.0001 - Apelação / Remessa Necessária . Apelante: Defensoria Pública do Estado do

Resultados da busca Jusbrasil para "Direito Subjetivo à Saúde"

TJ-PE - Agravo AGV 123635420128170000 PE 0016838-53.2012.8.17.0000 (TJ-PE)

Data de publicação: 25/09/2012

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. DIREITO HUMANO À DIGNIDADE E À SAÚDE. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS A CIDADÃO HIPOSSUFICIENTE. DEVER DO PODER PÚBLICO. I - O direito subjetivo à saúde está, no ordenamento jurídico pátrio, garantido por meio de norma programática insculpida no art. 196 da Constituição Federal. II - Constitui dever do Poder Público, em qualquer de suas esferas, assegurar a todas as pessoas o direito à manutenção da saúde, consequência indissociável do direito à vida. Precedentes do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça. III - Comprovada a necessidade do tratamento associada à falta de condições de adquirir o medicamento necessário, o cidadão poderá, sim, buscar proteção junto ao Poder Judiciário para que sejam disponibilizados pelo Estado os meios necessários ao adequado tratamento da enfermidade. IV - Mostra-se irrelevante o fato do medicamento postulado não está presente nas listas de medicamentos fornecidos pelo Sistema Único de Saúde - SUS, posto que tem o Estado o dever de garantir o direito subjetivo à saúde do cidadão. Súmula do TJPE, enunciado nº 18. V - Agravo Legal desprovido.

Encontrado em: do relator. 1ª Câmara de Direito Público 182 Agravo AGV 123635420128170000 PE 0016838-53.2012.8.17.0000 (TJ-PE) Jorge Américo Pereira de Lira

TJ-PE - Agravo AGV 72459720128170000 PE 0016855-89.2012.8.17.0000 (TJ-PE)

Data de publicação: 09/10/2012

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. FUNGIBILIDADE RECURSAL. DIREITO HUMANO À DIGNIDADE E À SAÚDE. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS A CIDADÃO HIPOSSUFICIENTE. DEVER DO PODER PÚBLICO. I-Em respeito ao princípio da fungibilidade recursal, recebido o Agravo Legal como Regimental. Súmula do TJPE, enunciado nº 42. II-O direito subjetivo à saúde está, no ordenamento jurídico pátrio, garantido por meio de norma programática insculpida no art. 196 da Constituição Federal . III-Constitui dever do Poder Público, em qualquer de suas esferas, assegurar a todas as pessoas o direito à manutenção da saúde, consequência indissociável do direito à vida. Precedentes do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça. IV-Comprovada a necessidade do tratamento associada à falta de condições de adquirir o medicamento necessário, o cidadão poderá, sim, buscar proteção junto ao Poder Judiciário para que sejam disponibilizados pelo Estado os meios necessários ao adequado tratamento da enfermidade. V-Mostra-se irrelevante o fato do medicamento postulado não está presente nas listas de medicamentos fornecidos pelo Sistema Único de Saúde - SUS, posto que tem o Estado o dever de garantir o direito subjetivo à saúde do cidadão. Súmula do TJPE, enunciado nº 18. VI-Recurso que se nega provimento.

Encontrado em: de Direito Público 192 Agravo AGV 72459720128170000 PE 0016855-89.2012.8.17.0000 (TJ-PE) Jorge Américo Pereira de Lira

TJ-PE - Mandado de Segurança MS 198622620118170000 PE 0019862-26.2011.8.17.0000 (TJ-PE)

Data de publicação: 23/10/2012

Ementa: CONSTITUCIONAL. ADMINISTRATIVO. DIREITO HUMANO À DIGNIDADE E À SAÚDE. FORNECIMENTO DE MEDICAMENTOS A CIDADÃO HIPOSSUFICIENTE. DEVER DO PODER PÚBLICO. I - O direito subjetivo à saúde está, no ordenamento jurídico pátrio, garantido por meio de norma programática insculpida no art. 196 da Constituição Federal . II - Constitui dever do Poder Público, em qualquer de suas esferas, assegurar a todas as pessoas o direito à manutenção da saúde, consequência indissociável do direito à vida. Precedentes do Supremo Tribunal Federal e do Superior Tribunal de Justiça. III - Comprovada a necessidade do tratamento associada à falta de condições de adquirir o medicamento necessário, o cidadão poderá, sim, buscar proteção junto ao Poder Judiciário para que sejam disponibilizados pelo Estado os meios necessários ao adequado tratamento da enfermidade. IV - Mostra-se irrelevante o fato do medicamento postulado não está presente nas listas de medicamentos fornecidos pelo Sistema Único de Saúde - SUS, posto que tem o Estado o dever de garantir o direito subjetivo à saúde do cidadão. Súmula do TJPE, enunciado nº 18. V - Segurança concedida.

×