Artigo 7 da Lei nº 13.709 de 14 de Agosto de 2018

Lei nº 13.709 de 14 de Agosto de 2018

Dispõe sobre a proteção de dados pessoais e altera a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 (Marco Civil da Internet).
Art. 7º O tratamento de dados pessoais somente poderá ser realizado nas seguintes hipóteses:
I - mediante o fornecimento de consentimento pelo titular;
II - para o cumprimento de obrigação legal ou regulatória pelo controlador;
III - pela administração pública, para o tratamento e uso compartilhado de dados necessários à execução de políticas públicas previstas em leis e regulamentos ou respaldadas em contratos, convênios ou instrumentos congêneres, observadas as disposições do Capítulo IV desta Lei;
IV - para a realização de estudos por órgão de pesquisa, garantida, sempre que possível, a anonimização dos dados pessoais;
V - quando necessário para a execução de contrato ou de procedimentos preliminares relacionados a contrato do qual seja parte o titular, a pedido do titular dos dados;
VI - para o exercício regular de direitos em processo judicial, administrativo ou arbitral, esse último nos termos da Lei nº 9.307, de 23 de setembro de 1996 (Lei de Arbitragem) ;
VII - para a proteção da vida ou da incolumidade física do titular ou de terceiro;
VIII - para a tutela da saúde, em procedimento realizado por profissionais da área da saúde ou por entidades sanitárias;
VIII - para a tutela da saúde, exclusivamente, em procedimento realizado por profissionais de saúde, serviços de saúde ou autoridade sanitária; (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência
IX - quando necessário para atender aos interesses legítimos do controlador ou de terceiro, exceto no caso de prevalecerem direitos e liberdades fundamentais do titular que exijam a proteção dos dados pessoais; ou
X - para a proteção do crédito, inclusive quanto ao disposto na legislação pertinente.
§ 1º Nos casos de aplicação do disposto nos incisos II e III do caput deste artigo e excetuadas as hipóteses previstas no art. 4º desta Lei, o titular será informado das hipóteses em que será admitido o tratamento de seus dados.
(Revogado pela Medida Provisória nº 869, de 2018)
§ 1º (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019)
§ 2º A forma de disponibilização das informações previstas no § 1º e no inciso I do caput do art. 23 desta Lei poderá ser especificada pela autoridade nacional.
(Revogado pela Medida Provisória nº 869, de 2018)
§ 2º (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência
§ 3º O tratamento de dados pessoais cujo acesso é público deve considerar a finalidade, a boa-fé e o interesse público que justificaram sua disponibilização.
§ 4º É dispensada a exigência do consentimento previsto no caput deste artigo para os dados tornados manifestamente públicos pelo titular, resguardados os direitos do titular e os princípios previstos nesta Lei.
§ 5º O controlador que obteve o consentimento referido no inciso I do caput deste artigo que necessitar comunicar ou compartilhar dados pessoais com outros controladores deverá obter consentimento específico do titular para esse fim, ressalvadas as hipóteses de dispensa do consentimento previstas nesta Lei.
§ 6º A eventual dispensa da exigência do consentimento não desobriga os agentes de tratamento das demais obrigações previstas nesta Lei, especialmente da observância dos princípios gerais e da garantia dos direitos do titular.
§ 7º O tratamento posterior dos dados pessoais a que se referem os §§ 3º e 4º deste artigo poderá ser realizado para novas finalidades, desde que observados os propósitos legítimos e específicos para o novo tratamento e a preservação dos direitos do titular, assim como os fundamentos e os princípios previstos nesta Lei. (Incluído pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência

1. Introdução - 16. Inovações na Interação Entre Poder Público e Sociedade Civil - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: 1 INTRODUÇÃO 2 SOCIEDADE DA INFORMAÇÃO 3 PODER PÚBLICO E SOCIEDADE CIVIL 3.1 ATENDIMENTO AOS PRINCÍPIOS DA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 3.1.1 Princípio da legalidade na administração pública 3.1.2…
0
0

Introdução - 19. Inovação na Educação Pública: Desafios e Boas Práticas para Implementação à Lgpd - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: INTRODUÇÃO 1 HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO NO BRASIL 2 DESAFIOS TECNOLÓGICOS NA EDUCAÇÃO PÚBLICA 3 OS REFLEXOS DA PANDEMIA DA COVID-19 NA EDUCAÇÃO 4 BREVES CONSIDERAÇÕES A RESPEITO DA LEI GERAL DE…
0
0

1. Estado e Vigilância - 7. Monitoramento dos Cidadãos em Contexto de Pandemia: Limites e Possibilidades - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: 1 Estado e vigilância 2 Limites de atuação do poder público diante dos aspectos relevantes da privacidade e proteção de dados 2.1 Desafios à manutenção dos princípios de privacidade e…
0
0

Introdução - 8. Proteção de Dados Pessoais e a Lei de Acesso à Informação - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: Introdução Acesso à informação Proteção de dados pessoais A compatibilidade entre a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais e a Lei de Acesso à Informação Conclusão Referências…
0
0

Introdução - 11. Videovigilância, Setor Público e Proteção de Dados - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: Introdução 1 Privacidade e Proteção de Dados 2 GDPR e LGPD 3 Evolução legislativa no Brasil 4 Evolução legislativa na União Europeia 5 Videovigilância 5.1 Videovigilância em escolas 5.2…
0
0

Referências Bibliográficas - 12. Vazamento de Dados Pessoais na Administração Pública - Direito Digital Aplicado 5.0 - Ed. 2022

Sumário: Referências bibliográficas Livros: Eduarda Horta Eloá Caixeta O ano de 2021 foi marcado, para além do cenário da pandemia, por diversos incidentes de segurança envolvendo dados pessoais e…
0
0

22. Acesso Físico e Remoto a Banco de Dados de Saúde para Recrutamento de Participantes de Pesquisa Clínica em Conformidade com a Lgpd - Lgpd na Saúde Digital

Nicole Recchi Aun 1 1.Introdução A identificação de voluntários para pesquisas clínicas integra uma das etapas mais importantes e potencialmente desafiadoras para os centros de pesquisa e equipes…
0
0

27. Entre Cookies e Taggins: Segurança Cibernética, Vulnerabilidades e Penetrabilidades da Era Pós-Covid - Parte III - Temas Práticos de Saúde Digital e Adequação à Lgpd

Solano de Camargo 1 1.Introdução O crescente uso da inteligência artificial (IA) e do aprendizado de máquina no setor da saúde, bem como o crescente número de parcerias destinadas a reunir diferentes…
0
0

11. Uso de Big Data em Saúde no Brasil: Perspectivas e Desafios de Conformidade com a Lgpd - Lgpd na Saúde Digital

Alexandre Dias Porto Chiavegatto Filho 1 Isabela Ferrari 2 Introdução O aumento da quantidade de dados coletados em todos os momentos do contato do paciente com o sistema de saúde traz o potencial do…
0
0

13. O Impacto da Lgpd no Rastreamento de Dispositivos Médicos: O Momento de Delimitar as Responsabilidades - Lgpd na Saúde Digital

Alexandre Nemer Elias 1 Introdução O mercado brasileiro de produtos e materiais para a saúde teve sua regulação atualizada após o Plano de Reforma do Estado, editado pelo então Presidente Fernando…
0
0