Artigo 7 da Lei nº 13.709 de 14 de Agosto de 2018

Lei nº 13.709 de 14 de Agosto de 2018

Dispõe sobre a proteção de dados pessoais e altera a Lei nº 12.965, de 23 de abril de 2014 (Marco Civil da Internet).
Art. 7º O tratamento de dados pessoais somente poderá ser realizado nas seguintes hipóteses:
I - mediante o fornecimento de consentimento pelo titular;
II - para o cumprimento de obrigação legal ou regulatória pelo controlador;
III - pela administração pública, para o tratamento e uso compartilhado de dados necessários à execução de políticas públicas previstas em leis e regulamentos ou respaldadas em contratos, convênios ou instrumentos congêneres, observadas as disposições do Capítulo IV desta Lei;
IV - para a realização de estudos por órgão de pesquisa, garantida, sempre que possível, a anonimização dos dados pessoais;
V - quando necessário para a execução de contrato ou de procedimentos preliminares relacionados a contrato do qual seja parte o titular, a pedido do titular dos dados;
VI - para o exercício regular de direitos em processo judicial, administrativo ou arbitral, esse último nos termos da Lei nº 9.307, de 23 de setembro de 1996 (Lei de Arbitragem) ;
VII - para a proteção da vida ou da incolumidade física do titular ou de terceiro;
VIII - para a tutela da saúde, em procedimento realizado por profissionais da área da saúde ou por entidades sanitárias;
VIII - para a tutela da saúde, exclusivamente, em procedimento realizado por profissionais de saúde, serviços de saúde ou autoridade sanitária; (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência
IX - quando necessário para atender aos interesses legítimos do controlador ou de terceiro, exceto no caso de prevalecerem direitos e liberdades fundamentais do titular que exijam a proteção dos dados pessoais; ou
X - para a proteção do crédito, inclusive quanto ao disposto na legislação pertinente.
§ 1º Nos casos de aplicação do disposto nos incisos II e III do caput deste artigo e excetuadas as hipóteses previstas no art. 4º desta Lei, o titular será informado das hipóteses em que será admitido o tratamento de seus dados.
(Revogado pela Medida Provisória nº 869, de 2018)
§ 1º (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019)
§ 2º A forma de disponibilização das informações previstas no § 1º e no inciso I do caput do art. 23 desta Lei poderá ser especificada pela autoridade nacional.
(Revogado pela Medida Provisória nº 869, de 2018)
§ 2º (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência
§ 3º O tratamento de dados pessoais cujo acesso é público deve considerar a finalidade, a boa-fé e o interesse público que justificaram sua disponibilização.
§ 4º É dispensada a exigência do consentimento previsto no caput deste artigo para os dados tornados manifestamente públicos pelo titular, resguardados os direitos do titular e os princípios previstos nesta Lei.
§ 5º O controlador que obteve o consentimento referido no inciso I do caput deste artigo que necessitar comunicar ou compartilhar dados pessoais com outros controladores deverá obter consentimento específico do titular para esse fim, ressalvadas as hipóteses de dispensa do consentimento previstas nesta Lei.
§ 6º A eventual dispensa da exigência do consentimento não desobriga os agentes de tratamento das demais obrigações previstas nesta Lei, especialmente da observância dos princípios gerais e da garantia dos direitos do titular.
§ 7º O tratamento posterior dos dados pessoais a que se referem os §§ 3º e 4º deste artigo poderá ser realizado para novas finalidades, desde que observados os propósitos legítimos e específicos para o novo tratamento e a preservação dos direitos do titular, assim como os fundamentos e os princípios previstos nesta Lei. (Incluído pela Lei nº 13.853, de 2019) Vigência

LGPD e dados de saúde: explorando as implicações na privacidade do paciente

A Lei Geral de Proteçâo de Dados (Lei 13.709 /18) estabeleceu a categorização de dados relacionados à saúde como “sensíveis”, conferindo-lhes um status especial e resguardando a privacidade dessas…
2
0
Damiao Oliveira, Bacharel em Direito
há 8 meses

Primeira empresa ser multada pela ANPD é uma microempresa

E nada como uma multa para demonstrar que o brasileiro é igual a são Tomé, que só acredita vendo! Ou só acredita quando mexer em seu próprio bolso, e neste ponto a ANPD seguiu a risca a dosimetria…
1
0
Gisele Carvalho, Advogado
há 9 meses

ANPD divulga Enunciado sobre o tratamento de dados pessoais de crianças e adolescentes

Autoridade Nacional de Proteção de Dados publicou, no dia 24/05/2023, o seguinte Enunciado: "O tratamento de dados pessoais de crianças e adolescentes poderá ser realizado com base nas hipóteses…
8
2

Para especialistas, uso de prova de geolocalização fere direitos do trabalhador

Por José Higídio No último mês de março, a 2ª Turma do Tribunal Regional do Trabalho da 1ª Região (RJ) autorizou a produção de prova digital de geolocalização para averiguar a jornada de trabalho de…
3
0
Calza Neto, Advogado
há 2 anos

A ANPD emite nota técnica no sentido de que o INEP pode tratar microdados, mas sugere medidas à serem adotadas

Muito se debateu nos últimos dias sobre a possibilidade do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (INEP) compartilhar microdados do Censo Escolar e do Exame Nacional…
1
0
Consumidor News, Bacharel em Direito
há 2 anos

Portaria autoriza o Serpro a disponibilizar para terceiro dados e informações sob gestão da RFB

A Secretaria Especial da Receita Federal do Brasil (RFB) autorizou hoje (19/03) o Serpro a disponibilizar para terceiro dados e informações sob a sua gestão, por meio da Portaria RFB nº 167, de 14 de…
2
0

Regulamento LGPD para pequenas e médias empresas

Publicada no Diário Oficial da União, a Resolução CD/ANPD Nº 2, DE 27 DE JANEIRO DE 2022, que aprovou o Regulamento de aplicação da Lei nº 13.709 , de 14 de agosto de 2018, Lei Geral de Proteçâo de…
1
0

Advogado exerce o direito do Consentimento da LGPD na Receita Médica

O advogado paulista Dr. André Antunes (1) de Ribeirão Preto/SP, ao ser indagado por uma cliente que não gostaria que seus dados pessoais fossem usados por outras empresas que utilizam destes dados…
5
0
Andre Antunes, Advogado
há 3 anos

Advogado exerce o direito do Consentimento da LGPD na Receita Médica

O advogado paulista Dr. André Antunes (1) de Ribeirão Preto/SP, ao ser indagado por uma cliente que não gostaria que seus dados pessoais fossem usados por outras empresas que utilizam destes dados…
2
0

A nova Resolução do CFO, liberou o uso de imagens nas Redes Sociais?

Foi anunciado na data de 31/01/2019, a nova Resolução 196/2019 , pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), antes mesmo de chegar, elá já estava envolvida em grandes polemicas, boa parte dos…
3
0