Artigo 1 da Lei nº 12.409 de 25 de Maio de 2011

Lei nº 12.409 de 25 de Maio de 2011

Altera a legislação sôbre o Fundo Federal de Eletrificação e dá outras providências.
Art 1º O impôsto sôbre energia elétrica devido por KW h (quilowatt, hora) terá importância equivalente às seguintes percentagens da tarifa fiscal definida na lei:
I - para o exercício de 1963:
a) 10% para atividade rural;
b) 20% para os consumidores residenciais e industriais;
c) 30% para os demais consumidores.
II - para o exercício de 1964:
a) 10% para atividade rural;
b) 30% para os consumidores residenciais e industriais;
c) 35% para os demais consumidores.
Ill - a partir do exercício de 1965: (Vide Lei nº 5.073, de 1966)
a) 10% para atividade rural;
b) 35% para os consumidores residencais e industriais;
c) 40% para os demais consumidores.
§ 1º No fornecimento a forfait, impôsto será o de consumidor doméstico, cabendo a metade do seu valor ao consumidor e metade ao distribuidor, sôbre a conta da energia consumida.
(Revogado)
§ 1º No fornecimento a forfait, o impôsto será o mesmo do consumidor doméstico, calculado sôbre a conta da energia consumida, cabendo a metade do seu valor ao consumidor e metade ao distribuidor. (Redação dada pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
§ 2º O consumidor industrial que comprovar perante o Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica despesa com energia elétrica, em cada um dos dois anos imediatamente anteriores, superior a 4% do valor das suas vendas, terá direito à redução percentual do impôsto único que seria cobrado nos têrmos dêste artigo e seus parágrafos.
(Revogado)
§ 2º O consumidor industrial, assim qualificado pelas respectivas contas de fornecimento de energia elétrica, que comprovar perante o Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE), do Ministério das Minas e Energia, despesa com energia elétrica igual ou superior a 3% (três por cento) do valor de suas vendas, em cada um dos dois (2) anos civis imediatamente anteriores ao pedido, fará jus a uma redução percentual do impôsto único sôbre energia elétrica, que lhe seria cobrado nos têrmos da presente Lei. (Redação dada pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)
§ 3º A redução referida no parágrafo anterior será concedida por períodos de dois anos, em percentagem equivalente a 10 (dez) vêzes a relação entre a despesa demonstrada com energia elétrica e o valor das vendas do consumidor industrial, até o máximo de 80% (oitenta por cento).
(Revogado)
§ 3º A redução referida no parágrafo anterior será concedida por período de dois anos civis, em percentagem equivalente à relação entre a despesa demonstrada com energia elétrica e o valor das vendas do consumidor industrial, de acôrdo com a seguinte fórmula e até o máximo de 80% (oitenta por cento): (Redação dada pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)
R = 600 D + 23
V onde:
R - é o valor percentual da redução procurada;
D - é o valor em cruzeiros da despesa demonstrada com energia elétrica;
V - é o valor em cruzeiros das vendas efetuadas pelo consumidor industrial.
§ 4º No caso de emprêsa com menos de dois anos, de atividade e até que complete êsse prazo, a redução poderá ser concedida pelo Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica por estimativa, do valor das suas vendas e consumo de energia.
(Revogado)
§ 4º No caso da emprêsa com menos de 2 (dois) anos civis de atividade industrial, a redução do impôsto único poderá ser concedida pelo Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE), pelo tempo que restar para completar aquêle prazo, por estimativa do valor de suas vendas e consumo de energia elétrica. (Redação dada pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)
§ 5º No cômputo da despesa com energia elétrica, de consumidores também autoprodutores, para efeito de cálculo da redução percentual, de que trata o parágrafo terceiro dêste artigo, será considerado como despesa com energia elétrica o correspondente ao total de produção própria e energia comprada computada ao preço médio, mês a mês, desta última, desde que o consumidor industrial e autoprodutor não realize, simultâneamente, comércio de energia. (Incluído pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)
§ 6º A redução percentual do impôsto único, aprovada pelo Conselho Nacional de Águas e Energia Elétrica (CNAEE), será aplicada pelos concessionários distribuidores de energia elétrica, a partir do primeiro faturamento que se seguir à publicação do ato autorizativo no Diário Oficial. (Incluído pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)
§ 7º Os concessionários distribuidores de energia elétrica farão constar das contas de fornecimento, mediante carimbo ou impressão tipográfica, o número e a data do ato autorizativo da redução, bem como a percentagem desta última". (Incluído pela Lei nº 4.676, de 16.6.1965)
(Revogado pelo Decreto-Lei nº 644, de 1969) (Vigência)

Andamento do Processo n. 0731098-98.2018.8.02.0001 - Recurso Especial em Apelação Cível - 12/08/2022 do TJAL

Recurso Especial em Apelação Cível nº 0731098-98.2018.8.02.0001 Relator: Des. José Carlos Malta Marques Recorrente: Estado de Alagoas. Procurador: Filipe Castro de Amorim Costa (OAB: 6437/AL).

Página 57 da Jurisdicional e Administrativo do Diário de Justiça do Estado de Alagoas (DJAL) de 12 de Agosto de 2022

Corte firmou o entendimento de que não é possível o conhecimento do recurso especial interposto pela divergência jurisprudencial na hipótese em que o dissídio é apoiado em fatos, e não na…

Página 365 do Diário de Justiça do Estado de Pernambuco (DJPE) de 11 de Agosto de 2022

Capital - Núcleo de Justiça 4.0 - Seguro Habitacional/SFH Núcleo de Justiça 4.0 - Seguro Habitacional/SFH Juiz de Direito: Rafael Sindoni Feliciano (Cumulativo) José Alberto de Barros Freitas Filho…

Tribunal de Justiça do Estado da Bahia TJ-BA - Agravo de Instrumento: AI XXXXX-77.2018.8.05.0000

PODER JUDICIÁRIO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DA BAHIA 2ª Vice Presidência Processo: AGRAVO DE INSTRUMENTO n. XXXXX-77.2018.8.05.0000 Órgão Julgador: 2ª Vice Presidência AGRAVANTE: MARIA DAS…

Intimação - Petição Cível - 0003689-65.2022.8.16.0000 - Disponibilizado em 10/08/2022 - TJPR

NÚMERO ÚNICO: 0003689-65.2022.8.16.0000 POLO ATIVO CAIXA ECONOMICA FEDERAL POLO PASSIVO AILTON ANTONIO PAES EDIO MALAQUIAS LUIZ GOMES BARBOZA MARIA ELIZABET DA SILVA ADVOGADO(A/S) ALAN CLEITON DE…

Página 243 da Judiciario do Diário de Justiça do Estado do Ceará (DJCE) de 9 de Agosto de 2022

no mérito, negar-lhe provimento conforme acórdão lavrado. - por unanimidade. - EMENTA: EMBARGOS DE DECLARAÇÃO EM AGRAVO INTERNO EM AGRAVO DE INSTRUMENTO. SUPOSTAS OMISSÕES. TENTATIVA DE REJULGAR A…

Andamento do Processo n. 073007384.2017.8.02.0001 - Procedimento Comum Cível / Vícios de Construção - 08/08/2022 do TJAL

ADV: FELIPE SOUZA GALVÃO (OAB 73825/RS), ADV: MARCELO DOS REIS MARTELLI (OAB 11821BA/L), ADV: CARLOS ANTÔNIO HARTEN FILHO (OAB 19357/PE), ADV: MARCELO DOS REIS MARTELLI (OAB 11821-BAL) - Processo…

Página 142 da Jurisdicional - Primeiro Grau do Diário de Justiça do Estado de Alagoas (DJAL) de 8 de Agosto de 2022

de fls.125, bem como em análise aos documentos correlatos, depreende-se que o réu suspendeu os benefícios do autor sem ter sequer havido a perícia médica que pudesse atestar a suposta incapacidade da…

Tribunal de Justiça de Minas Gerais TJ-MG - Apelação Cível: AC XXXXX-66.2018.8.13.0713 MG

EMENTA: APELAÇAO CÍVEL - ADMINISTRATIVO - ADICIONAL DE INSALUBRIDADE - VALOR DA CAUSA INFERIOR A 60 (SESSENTA) SALÁRIOS MÍNIMOS - AÇAO AJUIZADA APÓS 23/06/2015 - COMPETÊNCIA ABSOLUTA DOS JUIZADOS…

Tribunal de Justiça de Santa Catarina TJ-SC - Agravo de Instrumento: AI XXXXX-08.2017.8.24.0000

Agravo de Instrumento Nº XXXXX-08.2017.8.24.0000/SC RELATOR: Desembargador EDIR JOSIAS SILVEIRA BECK AGRAVANTE: TRADITIO COMPANHIA DE SEGUROS AGRAVADO: BERTINA OLINDINA DANTAS AGRAVADO: SULMAR…

Termo ou Assunto relacionado