Artigo 235D do Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943

CLT - Decreto Lei nº 5.452 de 01 de Maio de 1943

Aprova a Consolidação das Leis do Trabalho.
Art. 235-D. Nas viagens de longa distância com duração superior a 7 (sete) dias, o repouso semanal será de 24 (vinte e quatro) horas por semana ou fração trabalhada, sem prejuízo do intervalo de repouso diário de 11 (onze) horas, totalizando 35 (trinta e cinco) horas, usufruído no retorno do motorista à base (matriz ou filial) ou ao seu domicílio, salvo se a empresa oferecer condições adequadas para o efetivo gozo do referido repouso. (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
I - intervalo mínimo de 30 (trinta) minutos para descanso a cada 4 (quatro) horas de tempo ininterrupto de direção, podendo ser fracionados o tempo de direção e o de intervalo de descanso, desde que não completadas as 4 (quatro) horas ininterruptas de direção;
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
I - revogado; (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
II - intervalo mínimo de 1 (uma) hora para refeição, podendo coincidir ou não com o intervalo de descanso do inciso I;
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
II - revogado; (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
III - repouso diário do motorista obrigatoriamente com o veículo estacionado, podendo ser feito em cabine leito do veículo ou em alojamento do empregador, do contratante do transporte, do embarcador ou do destinatário ou em hotel, ressalvada a hipótese da direção em dupla de motoristas prevista no § 6o do art. 235-E.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
III - revogado. (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 1o É permitido o fracionamento do repouso semanal em 2 (dois) períodos, sendo um destes de, no mínimo, 30 (trinta) horas ininterruptas, a serem cumpridos na mesma semana e em continuidade a um período de repouso diário, que deverão ser usufruídos no retorno da viagem. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 2o A cumulatividade de descansos semanais em viagens de longa distância de que trata o caput fica limitada ao número de 3 (três) descansos consecutivos. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 3o O motorista empregado, em viagem de longa distância, que ficar com o veículo parado após o cumprimento da jornada normal ou das horas extraordinárias fica dispensado do serviço, exceto se for expressamente autorizada a sua permanência junto ao veículo pelo empregador, hipótese em que o tempo será considerado de espera. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 4o Não será considerado como jornada de trabalho, nem ensejará o pagamento de qualquer remuneração, o período em que o motorista empregado ou o ajudante ficarem espontaneamente no veículo usufruindo dos intervalos de repouso. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 5o Nos casos em que o empregador adotar 2 (dois) motoristas trabalhando no mesmo veículo, o tempo de repouso poderá ser feito com o veículo em movimento, assegurado o repouso mínimo de 6 (seis) horas consecutivas fora do veículo em alojamento externo ou, se na cabine leito, com o veículo estacionado, a cada 72 (setenta e duas) horas. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 6o Em situações excepcionais de inobservância justificada do limite de jornada de que trata o art. 235-C, devidamente registradas, e desde que não se comprometa a segurança rodoviária, a duração da jornada de trabalho do motorista profissional empregado poderá ser elevada pelo tempo necessário até o veículo chegar a um local seguro ou ao seu destino. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 7o Nos casos em que o motorista tenha que acompanhar o veículo transportado por qualquer meio onde ele siga embarcado e em que o veículo disponha de cabine leito ou a embarcação disponha de alojamento para gozo do intervalo de repouso diário previsto no § 3o do art. 235-C, esse tempo será considerado como tempo de descanso. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 8o Para o transporte de cargas vivas, perecíveis e especiais em longa distância ou em território estrangeiro poderão ser aplicadas regras conforme a especificidade da operação de transporte realizada, cujas condições de trabalho serão fixadas em convenção ou acordo coletivo de modo a assegurar as adequadas condições de viagem e entrega ao destino final. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
Art. 235-E. Ao transporte rodoviário de cargas em longa distância, além do previsto no art. 235-D, serão aplicadas regras conforme a especificidade da operação de transporte realizada.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
Art. 235-E. Para o transporte de passageiros, serão observados os seguintes dispositivos: (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
I - é facultado o fracionamento do intervalo de condução do veículo previsto na Lei no 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro, em períodos de no mínimo 5 (cinco) minutos; (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
II - será assegurado ao motorista intervalo mínimo de 1 (uma) hora para refeição, podendo ser fracionado em 2 (dois) períodos e coincidir com o tempo de parada obrigatória na condução do veículo estabelecido pela Lei no 9.503, de 23 de setembro de 1997 - Código de Trânsito Brasileiro, exceto quando se tratar do motorista profissional enquadrado no § 5o do art. 71 desta Consolidação; (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
III - nos casos em que o empregador adotar 2 (dois) motoristas no curso da mesma viagem, o descanso poderá ser feito com o veículo em movimento, respeitando-se os horários de jornada de trabalho, assegurado, após 72 (setenta e duas) horas, o repouso em alojamento externo ou, se em poltrona correspondente ao serviço de leito, com o veículo estacionado. (Incluído pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 1o Nas viagens com duração superior a 1 (uma) semana, o descanso semanal será de 36 (trinta e seis) horas por semana trabalhada ou fração semanal trabalhada, e seu gozo ocorrerá no retorno do motorista à base (matriz ou filial) ou em seu domicílio, salvo se a empresa oferecer condições adequadas para o efetivo gozo do referido descanso.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 1o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 2o (VETADO). (Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
§ 3o É permitido o fracionamento do descanso semanal em 30 (trinta) horas mais 6 (seis) horas a serem cumpridas na mesma semana e em continuidade de um período de repouso diário.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 3o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 4o O motorista fora da base da empresa que ficar com o veículo parado por tempo superior à jornada normal de trabalho fica dispensado do serviço, exceto se for exigida permanência junto ao veículo, hipótese em que o tempo excedente à jornada será considerado de espera.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 4o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 5o Nas viagens de longa distância e duração, nas operações de carga ou descarga e nas fiscalizações em barreiras fiscais ou aduaneira de fronteira, o tempo parado que exceder a jornada normal será computado como tempo de espera e será indenizado na forma do § 9o do art. 235-C.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 5o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 6o Nos casos em que o empregador adotar revezamento de motoristas trabalhando em dupla no mesmo veículo, o tempo que exceder a jornada normal de trabalho em que o motorista estiver em repouso no veículo em movimento será considerado tempo de reserva e será remunerado na razão de 30% (trinta por cento) da hora normal.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 6o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 7o É garantido ao motorista que trabalha em regime de revezamento repouso diário mínimo de 6 (seis) horas consecutivas fora do veículo em alojamento externo ou, se na cabine leito, com o veículo estacionado.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 7o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 8o (VETADO). (Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
§ 9o Em caso de força maior, devidamente comprovado, a duração da jornada de trabalho do motorista profissional poderá ser elevada pelo tempo necessário para sair da situação extraordinária e chegar a um local seguro ou ao seu destino.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 9o (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 10. Não será considerado como jornada de trabalho nem ensejará o pagamento de qualquer remuneração o período em que o motorista ou o ajudante ficarem espontaneamente no veículo usufruindo do intervalo de repouso diário ou durante o gozo de seus intervalos intrajornadas.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 10. (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 11. Nos casos em que o motorista tenha que acompanhar o veículo transportado por qualquer meio onde ele siga embarcado, e que a embarcação disponha de alojamento para gozo do intervalo de repouso diário previsto no § 3o do art. 235-C, esse tempo não será considerado como jornada de trabalho, a não ser o tempo restante, que será considerado de espera.
(Revogado)
§ 11. (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
§ 12. Aplica-se o disposto no § 6o deste artigo ao transporte de passageiros de longa distância em regime de revezamento.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
§ 12. (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
Art. 235-F. Convenção e acordo coletivo poderão prever jornada especial de 12 (doze) horas de trabalho por 36 (trinta e seis) horas de descanso para o trabalho do motorista, em razão da especificidade do transporte, de sazonalidade ou de característica que o justifique. (Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
Art. 235-F. Convenção e acordo coletivo poderão prever jornada especial de 12 (doze) horas de trabalho por 36 (trinta e seis) horas de descanso para o trabalho do motorista profissional empregado em regime de compensação. (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
Art. 235-G. É proibida a remuneração do motorista em função da distância percorrida, do tempo de viagem e/ou da natureza e quantidade de produtos transportados, inclusive mediante oferta de comissão ou qualquer outro tipo de vantagem, se essa remuneração ou comissionamento comprometer a segurança rodoviária ou da coletividade ou possibilitar violação das normas da presente legislação.
(Revogado)
(Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
Art. 235-G. É permitida a remuneração do motorista em função da distância percorrida, do tempo de viagem ou da natureza e quantidade de produtos transportados, inclusive mediante oferta de comissão ou qualquer outro tipo de vantagem, desde que essa remuneração ou comissionamento não comprometa a segurança da rodovia e da coletividade ou possibilite a violação das normas previstas nesta Lei. (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)
Art. 235-H. Outras condições específicas de trabalho do motorista profissional, desde que não prejudiciais à saúde e à segurança do trabalhador, incluindo jornadas especiais, remuneração, benefícios, atividades acessórias e demais elementos integrantes da relação de emprego, poderão ser previstas em convenções e acordos coletivos de trabalho, observadas as demais disposições desta Consolidação.” (Incluída pela Lei nº 12.619, de 2012) (Vigência)
(Revogado)
Art. 235-H. (Revogado). (Redação dada pela Lei nº 13.103, de 2015) (Vigência)

Andamento do Processo n. 0001690-59.2015.5.20.0001 - Rot - 16/10/2020 do TRT-20

. Assim, inegável a violação do artigo 195 da Consolidação de Leis do Trabalho, que por sua vez diz o seguinte... da direção em dupla de motoristas (art. 235-D, I a III, da CLT). Quanto ao …

Andamento do Processo n. 0001690-59.2015.5.20.0001 - Rot - 16/10/2020 do TRT-20

da Consolidação de Leis do Trabalho, que por sua vez diz o seguinte: (...) Ademais, bom esclarecer que o laudo pericial busca..., do embarcador ou do destinatário ou em hotel, ressalvada a hipótese …

Andamento do Processo n. 0001690-59.2015.5.20.0001 - Rot - 16/10/2020 do TRT-20

, do embarcador ou do destinatário ou em hotel, ressalvada a hipótese da direção em dupla de motoristas (art. 235-D, I a III, da CLT.... 3.2 - DA SUPRESSÃO DO INTERVALO INTRAJORNADA Quanto ao …

Andamento do Processo n. 0010518-35.2019.5.18.0009 - ROT - 16/10/2020 do TRT-18

- além da omissão, quanto à não consideração acerca da aplicação das leis 13.105/15 e dos artigos 235-A e seguintes... com os tempos de parada obrigatórios, na forma disposta no §3º do art. 235-C, …

Andamento do Processo n. 0010518-35.2019.5.18.0009 - ROT - 16/10/2020 do TRT-18

- além da omissão, quanto à não consideração acerca da aplicação das leis 13.105/15 e dos artigos 235-A e seguintes... com os tempos de parada obrigatórios, na forma disposta no §3º do art. 235-C, …

Andamento do Processo n. 0000480-07.2019.5.09.0011 - ATOrd - 16/10/2020 do TRT-9

), consoante jurisprudência consolidada na Súmula TST 437, item I, em cada um dos dias trabalhados. Observem... Intervalo intersemanal Nos termos do artigo 235-D da CLT, tem o empregado direito a …

Andamento do Processo n. 0000480-07.2019.5.09.0011 - ATOrd - 16/10/2020 do TRT-9

, da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) a petição inicial deve conter, dentre outros requisitos, uma breve exposição dos fatos...), consoante jurisprudência consolidada na Súmula TST 437, …

Andamento do Processo n. 0001431-89.2019.5.09.0014 - ATOrd - 16/10/2020 do TRT-9

sobre as verbas tributáveis, excluindo-se férias indenizadas (art. 43, do CTN, Súmula 125 do STJ, art. 5º, V da IN SRF . 15/01... mensal da época da apuração e deduções legais, conforme previsto …

Página 773 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) de 16 de Outubro de 2020

, a previsão do artigo 235-D, da CLT[...] Assim, quando o recorrido se ativava em viagens de longa duração... deverá considerar a redução prevista no artigo 235-D, da CLT, supra, com o repouso de 24 …

Página 789 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 18ª Região (TRT-18) de 16 de Outubro de 2020

o previsto no artigo 71, §5º, CLT, na redação dada pela Lei 13.103, de 2015 [...] Para a apuração de referido intervalo... o período em que haviam as viagens longas, a previsão do artigo 235-D, …