Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
22 de julho de 2017
Artigo 57D da Lei nº 9.504 de 30 de Setembro de 1997

Art. 57D da Lei Eleitoral - Lei 9504/97

Lei nº 9.504 de 30 de Setembro de 1997

Estabelece normas para as eleições.

Art. 57-D. É livre a manifestação do pensamento, vedado o anonimato durante a campanha eleitoral, por meio da rede mundial de computadores - internet, assegurado o direito de resposta, nos termos das alíneas a, b e c do inciso IV do § 3o do art. 58 e do 58-A, e por outros meios de comunicação interpessoal mediante mensagem eletrônica. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 1o (VETADO) (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 2o A violação do disposto neste artigo sujeitará o responsável pela divulgação da propaganda e, quando comprovado seu prévio conhecimento, o beneficiário à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais). (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 3o Sem prejuízo das sanções civis e criminais aplicáveis ao responsável, a Justiça Eleitoral poderá determinar, por solicitação do ofendido, a retirada de publicações que contenham agressões ou ataques a candidatos em sítios da internet, inclusive redes sociais. (Incluído pela Lei nº 12.891, de 2013)

Art. 57-E. São vedadas às pessoas relacionadas no art. 24 a utilização, doação ou cessão de cadastro eletrônico de seus clientes, em favor de candidatos, partidos ou coligações. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 1o É proibida a venda de cadastro de endereços eletrônicos. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 2o A violação do disposto neste artigo sujeita o responsável pela divulgação da propaganda e, quando comprovado seu prévio conhecimento, o beneficiário à multa no valor de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais). (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Art. 57-F. Aplicam-se ao provedor de conteúdo e de serviços multimídia que hospeda a divulgação da propaganda eleitoral de candidato, de partido ou de coligação as penalidades previstas nesta Lei, se, no prazo determinado pela Justiça Eleitoral, contado a partir da notificação de decisão sobre a existência de propaganda irregular, não tomar providências para a cessação dessa divulgação. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Parágrafo único. O provedor de conteúdo ou de serviços multimídia só será considerado responsável pela divulgação da propaganda se a publicação do material for comprovadamente de seu prévio conhecimento. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Art. 57-G. As mensagens eletrônicas enviadas por candidato, partido ou coligação, por qualquer meio, deverão dispor de mecanismo que permita seu descadastramento pelo destinatário, obrigado o remetente a providenciá-lo no prazo de quarenta e oito horas. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Parágrafo único. Mensagens eletrônicas enviadas após o término do prazo previsto no caput sujeitam os responsáveis ao pagamento de multa no valor de R$ 100,00 (cem reais), por mensagem. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Art. 57-H. Sem prejuízo das demais sanções legais cabíveis, será punido, com multa de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais), quem realizar propaganda eleitoral na internet, atribuindo indevidamente sua autoria a terceiro, inclusive a candidato, partido ou coligação. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 1o Constitui crime a contratação direta ou indireta de grupo de pessoas com a finalidade específica de emitir mensagens ou comentários na internet para ofender a honra ou denegrir a imagem de candidato, partido ou coligação, punível com detenção de 2 (dois) a 4 (quatro) anos e multa de R$ 15.000,00 (quinze mil reais) a R$ 50.000,00 (cinquenta mil reais). (Incluído pela Lei nº 12.891, de 2013)

§ 2o Igualmente incorrem em crime, punível com detenção de 6 (seis) meses a 1 (um) ano, com alternativa de prestação de serviços à comunidade pelo mesmo período, e multa de R$ 5.000,00 (cinco mil reais) a R$ 30.000,00 (trinta mil reais), as pessoas contratadas na forma do § 1o. (Incluído pela Lei nº 12.891, de 2013)

Art. 57-I. A requerimento de candidato, partido ou coligação, observado o rito previsto no art. 96, a Justiça Eleitoral poderá determinar a suspensão, por vinte e quatro horas, do acesso a todo conteúdo informativo dos sítios da internet que deixarem de cumprir as disposições desta Lei. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 1o A cada reiteração de conduta, será duplicado o período de suspensão. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

§ 2o No período de suspensão a que se refere este artigo, a empresa informará, a todos os usuários que tentarem acessar seus serviços, que se encontra temporariamente inoperante por desobediência à legislação eleitoral. (Incluído pela Lei nº 12.034, de 2009)

Do Direito de Resposta

Andamento do Processo n. 167-02.2016.6.26.0300 - Representação - 21/07/2017 do TRE-SP

SENTENÇA Representação nº 167-02.2016.6.26.0300 – Classe 42 Natureza: Representação – Direito Eleitoral – Eleições 2016 Representante: Elson Banuth Barreto Adv: José Antonio Maurilio Milagre de

Andamento do Processo n. 65-43.2016.6.09.0141 - Recurso Eleitoral - 21/07/2017 do TRE-GO

6. RECURSO ELEITORAL Nº 65-43.2016.6.09.0141 PROTOCOLO Nº 106.882/2016 141ª ZONA ELEITORAL DE ANÁPOLIS/GO RELATOR: JUIZ FERNANDO DE CASTRO MESQUITA RECORRENTE: FACEBOOK SERVIÇOS ONLINE DO BRASIL LTDA

Pg. 168. Tribunal Regional Eleitoral de São Paulo TRE-SP de 21/07/2017

Gilson Pacheco”, atualmente denominado “Eleições Arealva 2016”, passou a divulgar pela rede social “Facebook” alguns fatos que não eram verdadeiros e caracterizavam desinformações, calunias,

Pg. 28. Tribunal Regional Eleitoral de Goiás TRE-GO de 21/07/2017

ADVOGADO: ROLDÃO IZAEL CASSIMIRO - OAB: 15153/GO ROSELANE MACHADO FAGUNDES - OAB: 13151/GO LAURO RODRIGO CARVALHO DE SOUSA - OAB: 39569/GO MANUEL TRAJANO DUIALIBI JÚNIOR - OAB: 44823/GO EMENTA

Pg. 30. Tribunal Regional Eleitoral de Goiás TRE-GO de 21/07/2017

determina a remoção de vídeo. Precedentes. 2. Decisão agravada mantida pelos próprios fundamentos. Agravo regimental desprovido. (TSE AgReg em AI n. 36849, Relator: Ministro Gilmar Mendes, publicado

Andamento do Processo n. 800-14.2016.6.06.0027 - Representação Eleitoral - 18/07/2017 do TRE-CE

REPRESENTAÇÃO ELEITORAL - ELEIÇÕES 2016 AUTOS Nr.: 800-14.2016.6.06.0027 REPRESENTAÇÃO ELEITORAL Representante: COLIGAÇÃO POR UM TEMPO NOVO COM A FORÇA DO POVO. Advogado (s): Dr. FRANCISCO LEOPOLDO

Pg. 25. Tribunal Regional Eleitoral do Ceará TRE-CE de 18/07/2017

REPRESENTAÇÃO ELEITORAL - ELEIÇÕES 2016 AUTOS Nr.: 800-14.2016.6.06.0027 REPRESENTAÇÃO ELEITORAL Representante: COLIGAÇÃO POR UM TEMPO NOVO COM A FORÇA DO POVO. Advogado(s): Dr. FRANCISCO LEOPOLDO

Pg. 380. Tribunal Regional Eleitoral de Minas Gerais TRE-MG de 18/07/2017

dessa espécie de recurso não configura infração às normas que exigem que a doação deva constituir produto do serviço ou da atividade econômica do doador ou, ainda, seja decorrente de prestação direta

Pg. 55. Tribunal Regional Eleitoral da Bahia TRE-BA de 17/07/2017

Trata-se de Representação Eleitoral formulada pela COLIGAÇÃO FIEL A NOSSA GENTE contra a FACEBOOK SERVIÇOS ONLINE DO BRASIL LTDA. Na Inicial, afirma a representante que uma página mantida junto ao

Recurso Eleitoral: RE 1610 BUTIÁ - RS

RECURSO. REPRESENTAÇÃO. PROPAGANDA ELEITORAL. DIREITO DE RESPOSTA. MULTA. ELEIÇÃO SUPLEMENTAR 2017. FACEBOOK. LEGITIMIDADE PASSIVA. COMPARTILHAMENTO DE PUBLICAÇÕES. MATÉRIA PREJUDICADA. ART. 57-D, § 2º, DA LEI 9.504/97. ELEIÇÃO 2016. Publicação de áudio na rede social do Facebook com propaganda alegadamente negativa à ...

×