Carregando...
Jusbrasil - Tópicos
20 de junho de 2018
Arma de Fogo Editar Foto
×

Alterar Imagem

Envie uma imagem

Arma de Fogo

Arma de fogo

Arma de fogo é um artefato utilizado para propulsão de projéteis sólidos por meio de uma rápida expansão de gases obtidos pela queima controlada de um propelente, geralmente sólido que na maioria dos casos é a pólvora, contido em uma câmara fechada por todos os lados exceto por aquele que conduz o projétil através de um orifício cilíndrico denominado cano ou tubo. É imprescindível para o funcionamento da arma de fogo também a munição. Como exemplo de armas de fogo temos o revólver o fuzil e a metralhadora, entre outros.

Portar munição sem arma de fogo é crime?

Por Bruna Lima e Victória Maia O Estatuto do Desarmamento tipifica criminalmente a conduta de possuir, deter, portar, adquirir, fornecer, receber, ter em depósito, transportar, ceder, ainda que

Andamento do Processo n. 0005123.64.2014.8.13.0708 - 15/05/2018 do TJMG

00010 - 0005123.64.2014.8.13.0708 Indiciado: R.S.A. Vistos, etc...Considerando os termos da promoção retro, dê-se vista ao (à) representante do Ministério Público. Havendo nos autos defesa técnica do

Andamento do Processo n. 0017166.96.2015.8.13.0708 - 11/05/2018 do TJMG

00081 - 0017166.96.2015.8.13.0708 Indiciado: A.A. Tomar ciência/manifestar sobre o inteiro teor do despacho/decisão: Vistos, etc...Considerando os termos da promoção retro, dê-se vista ao(à)

Evinis Talon

Evinis Talon -

O roubo impróprio

Leia o artigo diretamente no meu site ( leia aqui ). Grupos de Whats sobre Penal, cursos, artigos e vídeos ( clique aqui ). O roubo próprio está previsto no art. 157, “caput”, do Código Penal: “Art.

Lei 13.654/18: as alterações no Código Penal quanto aos crimes de furto e roubo

Foi sancionada a Lei 13.654/18, a qual trouxe alterações no Código Penal, especialmente nos crimes de furto (artigo 155) e de roubo (artigo 157), ou seja, a referida Lei Altera o Decreto-Lei nº

Como funcionam o porte e a posse de armas de fogo no Brasil?

A lei 10.826 /2003, conhecida como lei do desarmamento , dispõe sobre registro, posse e comercialização de armas de fogo, munição, explosivos, acessórios de armas, sobre o Sistema Nacional de Armas –

Jota Info

Jota Info -

É necessária a apreensão e perícia da arma de fogo para aumento da pena?

O Superior Tribunal de Justiça (STJ) vai analisar, como recurso repetitivo, se é ou não necessária a apreensão e perícia da arma de fogo para a incidência da majorante do artigo 157, parágrafo 2º, I,

4 teses defensivas no porte de arma

Por Bruna Andrino de Lima e Victória Martins Maia A utilização de arma de fogo é assunto recorrente em todo lugar. Seja em postagens em redes sociais, seja no âmbito acadêmico, seja nas conversas

Mais Armas, Menos Crimes ou Menos Armas, Menos Crimes? Uma reflexão sobre o armamento da sociedade civil

Autores: Eduardo Luiz Santos Cabette, Delegado de Polícia, Mestre em Direito Social, Pós – graduado em Direito Penal e Criminologia, Professor de Direito Penal, Processo Penal, Criminologia e

Resultados da busca Jusbrasil para "Arma de Fogo"

STF - HABEAS CORPUS HC 110298 SP (STF)

Data de publicação: 14/12/2012

Ementa: HABEAS CORPUS. PORTE DE ARMA DE FOGO. ABOLITIO CRIMINIS TEMPORÁRIA. INOCORRÊNCIA. ARMA DE FOGO DE USO RESTRITO COM NUMERAÇÃO RASPADA E FORA DA VACATIO LEGIS. IMPOSSIBILIDADE DE REGULARIZAÇÃO. PRECEDENTES.. 1. Firme a jurisprudência deste Supremo Tribunal no sentido de que a Medida Provisória n. 417 , que deu nova redação ao art. 30 da Lei n. 10.826 /2003, promoveu a prorrogação do prazo para o dia 31 de dezembro de 2008 para os possuidores de arma de fogo de uso permitido ainda não registrada, não abarcando, por conseguinte, a conduta de possuir arma de fogo de uso proibido ou restrito ou com numeração raspada. Precedentes. 2. Além da tipicidade do crime de porte ilegal de arma de uso restrito com numeração raspada perpetrado pelo Paciente ter se configurado na espécie, a causa extintiva de punibilidade temporária sequer alcançaria a conduta do Paciente, pois ela ocorreu em junho de 2009, fora do período de abrangência da vacatio legis definida em lei. 3. Ordem denegada.

STF - RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS RHC 113835 DF (STF)

Data de publicação: 06/03/2013

Ementa: RECURSO ORDINÁRIO EM HABEAS CORPUS. PORTE DE ARMA DE FOGO. ABOLITIO CRIMINIS TEMPORÁRIA. INAPLICABILIDADE AO DELITO DE PORTE DE ARMA DE FOGO. EXCLUDENTE DE ILICITUDE NÃO RECONHECIDA. REEXAME DE FATOS E PROVAS. A jurisprudência deste Tribunal pacificou-se no sentido de que a atipicidade temporária ou vacatio legis especial prevista nos artigos 30 e 32 da Lei nº 10.826 /2003 se restringe ao crime de posse de arma de fogo no interior de residência ou local de trabalho, o que não é caso dos autos. Consignado pelo Tribunal de Justiça o não preenchimento dos requisitos necessários à configuração do estado de necessidade, não merece reparo a compreensão de que entendimento diverso demandaria o reexame da matéria fático-probatória, impróprio na via estreita do habeas corpus. Recurso ordinário a que se nega provimento.

STJ - AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1298314 RS 2012/0000197-1 (STJ)

Data de publicação: 22/04/2013

Ementa: PENAL. AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. PORTE DE ARMA DE FOGO. CONDUTA TÍPICA. 1. O porte ilegal de arma de fogo é delito de perigo abstrato, em que se busca punir, de forma preventiva, as condutas descritas no tipo penal. 2. Consuma-se o porte ilegal pelo ato de alguém levar consigo arma de fogo sem autorização ou em desacordo com determinação legal, sendo irrelevante aferir a eficácia da arma para a configuração do tipo penal. 3. Agravo regimental a que se nega provimento.

Encontrado em: 1279765 AL 2011/0222270-0 Decisão:11/04/2013 USO DE ARMA DE FOGO - CONFIGURAÇÃO DO TIPO PENAL -

×