A Persuasão No Discurso (2013)

ELISABETE RIBEIRO CENTRO UNIVERSITÁRIO NOSSA SENHORA DO PATROCÍNIO FACULDADE DE DIREITO – (CRUZEIRO DO SUL EDUCACIONAL) Resumo: O objetivo desse artigo é tecer algumas reflexões sob a ótica do poder…

Falar bem é fundamental.

Diversas pesquisas comprovam que falar em publico é a principal fobia que existe no planeta, ultrapassando inclusive, o medo da morte. Diante desse medo avassalador, muitas pessoas acabam perdendo…
Thiago Venco, Diretor Geral
há 2 anos

Por quê a "Comunicação Não-Violenta" funciona?

A "Comunicação Não-Violenta" (CNV) é um método de conversação com resultados surpreendentes, capaz de dissipar a agressividade e facilitar a transição de um conflito para uma negociação. Ou só…
Gustavo Rocha, Consultor Jurídico
há 4 anos

Persuasão e negociação

Quem nunca, diria a expressão popular, teve que persuadir alguém ou negociar. Fizemos isto o tempo todo, seja na vida do dia a dia, seja na vida profissional, especialmente quando falamos do advogado…
Felipe Asensi, Advogado
há 4 anos

É preciso saber persuadir no direito!

A atividade jurídica consiste, essencialmente, em saber argumentar. Essa questão se torna ainda mais importante se olharmos para o panorama do sistema jurídico atual, que tem uma necessidade…
Roberta Vieira, Estudante de Direito
há 4 anos

Argumentação jurídica

Roberta Vieira “Eles são em seus discursos homens de mil giros, de inúmeros apêndices, flexíveis e ondulantes; com suas palavras constroem um tecido vivo de ‘filhotes de condor’; com suas estratégias…
Roberta Vieira, Estudante de Direito
há 4 anos

Argumentação jurídica, persuasão e metáfora

Introdução Cada profissão desfruta de uma terminologia própria sem a qual a execução satisfatória de determinadas formas de trabalho mais complexas seriam impossíveis. Dessa forma, cabe ao…

Dicas de Redação Jurídica

A redação jurídica é o desafio diário de muitos advogados, em especial aos de início de carreira. Por isso, é fundamental se apropriar das técnicas de elaboração do texto escrito. Em regra, a…

Dicas de Redação jurídica

A redação jurídica é o desafio diário de muitos advogados, em especial aos de início de carreira. Por isso, é fundamental se apropriar das técnicas de elaboração do texto escrito. Em regra, a…
Felipe Asensi, Advogado
há 5 anos

Doutrina se concentra em luta de interpretações e argumentos

O direito é o único campo do conhecimento em que o autor não é chamado de autor, mas de doutrinador. Mas por quê? O que está por trás desta diferença de nomenclaturas? Em que medida isso impacta na…
Resultados da busca Jusbrasil para "Persuasão"
Um manual de uso da lógica e das técnicas de persuasão
Notícias11/02/2013Consultor Jurídico
O Direito é uma ciência; a advocacia, uma arte, cujo instrumento principal é a lógica, com o auxílio da retórica e da dialética. Assim define o advogado e professor Edmundo Dantès Nascimento, de volta às livrarias com a 6ª edição de Lógica Aplicada à Advocacia Técnica de Persuasão , pela Editora Saraiva. O livro não tem a pretensão de se apresentar como um curso de lógica jurídica, mas é exatamente nessa aparente restrição que reside sua importância e o torna uma obra essencial para estudantes e...
Psicologia do sim pode melhorar persuasão nos tribunais
Notícias30/10/2013Consultor Jurídico
O dom da palavra é o atributo que mais bem distingue os bons profissionais do Direito. Não necessariamente aqueles que falam ou escrevem "bonito", mas os que usam a palavra para desenvolver a arte da persuasão. Essa é a arte dos vencedores no tribunal do júri e em sessões nos tribunais superiores. Ela se expressa não pela verborragia, mas na formação de imagens nas mentes dos julgadores. Perfeccionismo? Advogados e promotores têm de se familiarizar com as leis da Psicologia para atuar? O advogad...
De mecanismo de persuasão a instrumento de autolesão: a palavra do corretor de seguros
Atendendo a pedidos de nossos costumeiros leitores (sim, nós também acompanhamos vossos comentários) e tendo em vista que o dia do corretor é, sem sombra de dúvidas, uma data que merece ser memorada neste exótico mercado, vamos tratar de um tema um tanto quanto já rebatido. Na mesma intensidade que a profissão merece ter seus direitos enaltecidos em seu dia, também deve atentar-se quanto aos deveres decorrentes de seu exercício. Na hipótese de um cliente sofrer prejuízos de ordem moral ou patrim...
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1032425 MT 2008/0035350-6 (STJ)
Jurisprudência25/11/2014Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PROCESSUAL CIVIL. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. REINTEGRAÇÃO DE POSSE. SISTEMA DA PERSUASÃO RACIONAL. LIVRE CONVENCIMENTO MOTIVADO. REEXAME DE CONTEÚDO FÁTICO-PROBATÓRIO. IMPOSSIBILIDADE. SÚMULA N. 7/STJ. DECISÃO MANTIDA. 1. No sistema da persuasão racional, adotado pelo Código de Processo Civil (arts. 130 e 131 do CPC), o magistrado é livre para examinar o conjunto fático-probatório produzido nos autos para formar sua convicção, desde que indique de forma fundamentada os elementos de seu convencimento. 2. O recurso especial não comporta o exame de questões que impliquem revolvimento do contexto fático-probatório dos autos (Súmula n. 7 do STJ). 3. No caso concreto, o Tribunal de origem examinou a prova dos autos, mormente a prova pericial e documental, para concluir que o recorrente não comprovou exercer a posse da área litigiosa. Em tais condições, o exame da pretensão recursal, no sentido de verificar que a prova testemunhal corroboraria a tese do recorrente, encontra óbice na mencionada súmula. 4. Agravo regimental a que se nega provimento.
Estante Legal: Um manual de uso da lógica e das técnicas de persuasão
Notícias11/02/2013JusPodivm
O Direito é uma ciência; a advocacia, uma arte, cujo instrumento principal é a lógica, com o auxílio da retórica e da dialética. Assim define o advogado e professor Edmundo Dantès Nascimento, de volta às livrarias com a 6ª edição de Lógica Aplicada à Advocacia - Técnica de Persuasão, pela Editora... Leia notícia na íntegra: Regra de três na sustentação oral ajuda na persuasão dos julgadores
Notícias26/02/2013JusPodivm
Oradores, escritores e formadores de opinião sonham em perpetuar suas palavras na memória de seus ouvintes, de seus leitores, de seu público-alvo. Advogados e promotores se esforçam para perpetuar seus melhores argumentos nas mentes dos jurados. Entre eles, apenas os mestres da palavra conhecem, ... Leia notícia na íntegra: Técnicas de persuasão em vendas podem ajudar em tribunal do júri
Notícias16/07/2012Consultor Jurídico
O escritor Jeffrey Gitomer, uma autoridade em vendas nos EUA, consagrou uma declaração: "As pessoas não gostam que você tente lhes vender o que for, mas elas adoram comprar". A ideia se aplica à técnica de sustentação oral no tribunal do júri, ao final do julgamento, diz o advogado e professor de Direito, Elliot Wilcox. Se você tentar "empurrar" uma conclusão aos jurados, poderá encontrar resistências. Mas, se você apenas mostrar a eles os pontos fortes de seu caso, eles poderão chegar sozinhos ...
AGRAVO DE INSTRUMENTO EM RECURSO DE REVISTA AIRR 18501020115150116 (TST)
Jurisprudência10/10/2014Tribunal Superior do Trabalho
Ementa: AGRAVO DE INSTRUMENTO. PROCESSO DE EXECUÇÃO. NULIDADE DO ACÓRDÃO REGIONAL. CERCEAMENTO DE DIREITO DE DEFESA. PROVA TESTEMUNHAL. INDEFERIMENTO. PRINCÍPIO DA PERSUASÃO RACIONAL. VIOLAÇÃO DE NORMA CONSTITUCIONAL. INEXISTÊNCIA. IMPROVIMENTO. Deve ser negado seguimento a recurso de revista interposto contra acórdão regional prolatado em processo de execução (agravo de petição) que validou o indeferimento de produção de prova testemunhal pelo juízo de primeiro grau porque as demais provas já produzidas eram suficientes para a persuasão racional do juízo quanto à descaracterização do imóvel penhorado como bem de família porque não servia de residência, não configurando cerceamento de direito de defesa, pois os juízos de primeiro e segundo graus formaram suas convicções com base nas provas produzidas nos autos, considerando desnecessária a produção de prova testemunhal, não havendo que se falar em violação de norma constitucional. Agravo de instrumento improvido.
AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL AgRg no AREsp 377092 SP 2013/0244005-0 (STJ)
Jurisprudência25/09/2013Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PROCESSUAL CIVIL E PREVIDENCIÁRIO. CERCEAMENTO DE DEFESA. NECESSIDADE DE PROVAS. REEXAME DE MATÉRIA FÁTICO-PROBATÓRIA. SÚMULA 7 DO STJ. PRINCÍPIO DA PERSUASÃO RACIONAL DO MAGISTRADO. 1. O Tribunal de origem, soberano na análise das circunstâncias fáticas e probatórias da causa, ao negar provimento à apelação, entendeu pela ausência da moléstia alegada, razão pela qual a autora não faz jus aos benefícios da lei acidentária 2. Portanto, modificar o acórdão recorrido, como pretende a recorrente, no sentido de reconhecer a existência da doença alegada e o direito ao benefício, demandaria o reexame de todo o contexto fático-probatório dos autos, o que é defeso a esta Corte em vista do óbice da Súmula 7/STJ. 3. a jurisprudência desta Corte é no sentido de que, para avaliar a necessidade de prova técnica, ou da necessidade de produção de novas provas ou de insuficiência destas, demandaria necessariamente o revolvimento de matéria fático-probatória, encontrando-se óbice no enunciado da Súmula 7 desta Corte. 4. No sistema de persuasão racional adotado pelos arts. 130 e 131 do CPC , cabe ao magistrado determinar a conveniência e a necessidade da produção probatória, mormente quando, por outros meios, já esteja persuadido acerca da verdade dos fatos. Agravo regimental improvido.
AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO DE INSTRUMENTO AgRg no Ag 1406633 RS 2011/0101743-8 (STJ)
Jurisprudência17/02/2014Superior Tribunal de Justiça
Ementa: AGRAVO REGIMENTAL. DIREITO PROCESSUAL CIVIL COLETIVO. AÇÃO CIVIL PÚBLICA. INVERSÃO DO ÔNUS DA PROVA. CABIMENTO. CERCEAMENTO DE DEFESA. NÃO OCORRÊNCIA. PERSUASÃO RACIONAL. INCIDÊNCIA DA SÚMULA 7/STJ. 1. Não há óbice a que seja invertido o ônus da prova em ação coletiva - providência que, em realidade, beneficia a coletividade consumidora -, cabendo ao magistrado a prudente análise acerca da verossimilhança das alegações do ente substituto. Precedentes. 2. No sistema de persuasão racional adotado pelo Código de Processo Civil nos arts. 130 e 131 , em regra, não cabe compelir o magistrado a autorizar a produção desta ou daquela prova, se por outros meios estiver convencido da verdade dos fatos, tendo em vista que o juiz é o destinatário final da prova, a quem cabe a análise da conveniência e necessidade de sua produção. Com efeito, entendendo o Tribunal recorrido que ao deslinde da controvérsia seriam desnecessárias as provas cuja produção o recorrente buscava, tal conclusão não se desfaz sem o revolvimento de provas, o que é vedado pela Súmula 7/STJ. 3. Agravo regimental não provido.
Buscar mais 220.774 resultados sobre "Persuasão" na busca Jusbrasil