Ainda não há documentos separados para este tópico.
Resultados da busca Jusbrasil para "Confissão em Processo Penal"
Espécies de Confissão no Processo Penal
Artigos19/08/2015Gerson
Espécies de confissão A confissão pode ser simples, complexa ou qualificada. I. Quanto ao conteúdo a. Confissão simples O réu apenas confessa uma prática delituosa. b. Confissão complexa O réu reconhece a prática de diversos atos delituoso. c. Confissão qualificada O réu reconhece a prática do ilícito, mas o faz invocando causa excludente de ilicitude ou de culpabilidade. Exemplo: réu confessa homicídio, mas alega legítima defesa. II. Quanto ao momento a. Confissão extrajudicial É aquela feita f...
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1467133 RS 2014/0170719-4 (STJ)
Jurisprudência09/03/2015Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PENAL E PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL. RECURSO ESPECIAL. FURTO. CONFISSÃO EM SEDE POLICIAL NÃO UTILIZADA NA FUNDAMENTAÇÃO DA SENTENÇA CONDENATÓRIA. INAPLICABILIDADE DA ATENUANTE GENÉRICA. 1. É cabível a aplicação da atenuante da confissão espontânea ainda que confessada a prática do delito apenas em sede policial e haja sua posterior retratação em juízo, mas desde que tenha sido utilizada para embasar a condenação. 2. Agravo regimental improvido.
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1481052 RS 2014/0236543-3 (STJ)
Jurisprudência30/04/2015Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL. OFENSA AO ART. 65 , III , D, DO CP . CONFISSÃO ESPONTÂNEA NÃO CONSIDERADA NA CONDENAÇÃO. INAPLICABILIDADE DA ATENUANTE. A atenuante do art. 65 , III , d , do Código Penal , só tem aplicabilidade quando há efetiva utilização da confissão espontânea para o embasamento da sentença condenatória (precedentes). Agravo regimental desprovido.
RECURSO ESPECIAL REsp 1340709 RJ 2012/0178312-0 (STJ)
Jurisprudência18/11/2014Superior Tribunal de Justiça
Ementa: RECURSO ESPECIAL. PENAL E PROCESSO PENAL. CRIME CONTRA A ORDEM TRIBUTÁRIA. SENTENÇA ABSOLUTÓRIA. PEDIDO DO MINISTÉRIO PÚBLICO ACOLHIDO. APELAÇÃO MINISTERIAL COM PEDIDO CONDENATÓRIO. POSSIBILIDADE. INTERESSE DE RECORRER. CONFLITO PERMANENTE DE INTERESSES NO PROCESSO PENAL. DOSIMETRIA DA PENA. CONFISSÃO. IRRELEVÂNCIA. INAPLICABILIDADE DA ATENUANTE. RECURSO ESPECIAL NÃO PROVIDO. 1. O Ministério Público, instituição a que o constituinte de 1988 incumbiu, privativamente, de promover a ação penal pública (art. 129, I, da C.R.), possui o dever de deduzir, presentes os pressupostos processuais e as condições da ação, a pretensão punitiva estatal, compromissado com a descoberta da verdade e a realização da justiça. 2. Ao contrário de outros sistemas, em que o Ministério Público dispõe, por critérios de discricionariedade, da ação, no processo penal brasileiro o Promotor de Justiça não pode abrir mão do dever de conduzir a actio penalis até seu desfecho, quer para a realização da pretensão punitiva, quer para, se for o caso, postular a absolvição do acusado, hipótese, aliás, que não obriga o juiz natural da causa, consoante disposto no art. 385 do Código de Processo Penal, a atender ao pleito ministerial. 3. Isso porque, em um modelo processual clássico, tal qual o que adotou nosso código, influenciado - bem ou mal - por seu congênere italiano, sempre haverá duas situações, como observa Giovani Leoni: uma imanente, de conflito entre o direito punitivo do Estado e o direito de liberdade do indivíduo; e outra, contingente, de relação entre o Ministério Público e o acusado, que pode reproduzir a primeira situação ou divorciar-se integralmente dela. 4. Daí por que o Ministério Público não carecerá de interesse de agir - e de recorrer - ao postular, mediante razões jurídicas, a reforma ou a anulação de sentença absolutória, ainda que, como ocorreu neste caso, tenha anteriormente requerido a absolvição do réu. 5. Demais disso, o interesse de recorrer, que decorre da sucumbência, não se há de limitar apenas ao prejuízo ou gravame sofrido pela parte com a edição do ato impugnado, mas ao benefício ou vantagem, material ou processual, que a futura decisão a ser proferida, por força do recurso, venha a aportar para a parte interessada. 6. A atenuante da confissão espontânea somente será aplicada quando essa for determinante para a condenação do réu. Precedentes. 7. Recurso especial não provido....
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1386525 SP 2013/0169780-0 (STJ)
Jurisprudência04/02/2015Superior Tribunal de Justiça
Ementa: AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. PENAL E PROCESSO PENAL. GESTÃO FRAUDULENTA. PENA-BASE. CIRCUNSTÂNCIAS NEGATIVAS. FUNDAMENTAÇÃO IDÔNEA. CONFISSÃO. INEXISTÊNCIA. NÃO INCIDÊNCIA DA ATENUANTE. NÃO INDICAÇÃO DOS DISPOSITIVOS VIOLADOS. FUNDAMENTAÇÃO DEFICIENTE. SÚMULA 284/STF. ANÁLISE DE CONSTITUCIONALIDADE DE LEI E OFENSA A DISPOSITIVO CONSTITUCIONAL. USURPAÇÃO DA COMPETÊNCIA DO STF. 1. A redução da empresa ao estado de insolvência constitui motivação idônea para justificar a valoração negativa do vetor relativo às 'consequencias', assim como a reiteração é fundamento idôneo para valoração negativa do vetor 'circunstâncias, sendo uniforme a jurisprudência desta Corte no sentido de que, tratando-se de crime habitual impróprio, uma só ação basta para configurar o delito de gestão fraudulenta. 2. A valoração negativa de duas circunstâncias judiciais constituem causas bastantes para justificar concretamente a fixação da pena-base em 18 meses acima do mínimo legal, razão pela qual a reprimenda fixada efetivamente conta com motivação concreta, proporcional e individualizada nas circunstâncias judiciais, não havendo ilegalidade manifesta qualquer. 3. Não tem incidência a atenuante da confissão espontânea se a sentença condenatória se embasou no conjunto probatório produzido, notadamente os extratos bancários obtidos junto ao BACEN na liquidação extrajudicial da empresa e na Comissão de Inquérito instalada no BACEN que comprovam as transferências de recursos da empresa de consórcio para a gestora, bem como nos depoimentos colhidos dos consorciados e demais testemunhas, mormente porque, se confissão houve, foi meramente em relação à qualidade de gestora e não em relação à prática do delito. 4. A ausência de particularização dos artigos supostamente violados, bem como a falta das razões de vulneração inviabiliza a compreensão da controvérsia em face da deficiência da fundamentação do apelo raro, nos termos do enunciado nº 284 da Súmula do Supremo Tribunal Federal. 5. Nos termos do artigo 105, inciso III, alínea 'a', da Constituição Federal, este Superior Tribunal de Justiça tem a missão constitucional de uniformizar e interpretar a lei federal, não lhe competindo, em sede de recurso especial, o exame dos fatos da causa e do processo, à moda de recurso ordinário ou de apelação, como se terceira instância fosse, tampouco a análise de constitucionalidade de lei ou de ofensa a dispositivo constitucional, ainda que para fins de prequestionamento, sob pena de usurpação da competência do Pretório Excelso. 6. Agravo regimental improvido....
Assumindo os próprios erros: a importância da confissão espontânea no processo penal
Notícias24/03/2013Superior Tribunal de Justiça
Reconhecer a autoria do crime é atitude de especial relevância para o Judiciário. O réu pode contar com a atenuante da pena e colaborar com as investigações em curso. Pode contribuir ainda com um julgamento mais célere e com a verdade dos fatos. Mas em que circunstâncias a admissão do crime implica realmente benefício para o culpado e qual a posição do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o assunto? O artigo <a href="http://www.jusbrasil.com/topicos/10632120/artigo-65-do-decreto-...
Assumindo os próprios erros: a importância da confissão espontânea no processo penal
Notícias25/03/2013Direito Legal
Reconhecer a autoria do crime é atitude de especial relevância para o Judiciário. O réu pode contar com a atenuante da pena e colaborar com as investigações em curso. Pode contribuir ainda com um julgamento mais célere e com a verdade dos fatos. Mas em que circunstâncias a admissão do crime implica realmente benefício para o culpado e qual a posição do Superior Tribunal de Justiça (STJ) sobre o assunto? O artigo 65 , inciso III , alínea d , do Código Penal dispõe que a confissão espontânea de au...
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1416247 GO 2013/0363342-4 (STJ)
Jurisprudência15/05/2014Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PENAL E PROCESSO PENAL. AGRAVOS REGIMENTAIS NO RECURSO ESPECIAL. DISSÍDIO JURISPRUDENCIAL E VIOLAÇÃO AO ART. 65 , III , D, DO CP . CONFISSÃO QUALIFICADA. ALEGAÇÃO DE EXCLUDENTE DE ILICITUDE. RECONHECIMENTO DA ATENUANTE. ACÓRDÃO EM CONFORMIDADE COM A JURISPRUDÊNCIA DESTA CORTE. SÚMULA 83/STJ. AGRAVOS REGIMENTAIS A QUE SE NEGA PROVIMENTO. 1. É firme o entendimento desta Corte Superior de Justiça no sentido de que a confissão qualificada, isto é, aquela na qual o agente agrega teses defensivas discriminantes ou exculpantes, enseja a aplicação da atenuante prevista na alínea d do inciso III do artigo 65 do Código Penal . Incidência do enunciado 83 da Súmula deste STJ. 2. Agravos regimentais a que se nega provimento.
AGRAVO REGIMENTAL NO RECURSO ESPECIAL AgRg no REsp 1119302 MG 2009/0013334-8 (STJ)
Jurisprudência03/10/2012Superior Tribunal de Justiça
Ementa: AGRAVO REGIMENTAL EM RECURSO ESPECIAL. VIOLAÇÃO AO PRINCÍPIO DACOLEGIALIDADE. INOCORRÊNCIA. RECURSO MANIFESTAMENTE IMPROCEDENTE.PENAL E PROCESSO PENAL. CONFISSÃO ESPONTÂNEA NÃO CONSIDERADA NACONDENAÇÃO. NÃO INCIDÊNCIA DA ATENUANTE. 1. Não há ofensa ao princípio da colegialidade quando a decisãomonocrática é proferida em obediência ao artigo 557 do Código deProcesso Civil, que franqueia ao relator a possibilidade de negarseguimento ao recurso quando manifestamente inadmissível eimprocedente. 2. A atenuante da confissão espontânea não tem incidência nashipóteses em que a confissão não concorreu para a condenação do réu. 3. Agravo regimental desprovido.
AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL AgRg no AREsp 210246 SP 2012/0157637-5 (STJ)
Jurisprudência01/08/2013Superior Tribunal de Justiça
Ementa: PENAL E PROCESSO PENAL. AGRAVO REGIMENTAL NO AGRAVO EM RECURSO ESPECIAL. OFENSA AO ART. 65 , III , D, DO CP . OCORRÊNCIA. CONFISSÃO QUALIFICADA. ALEGAÇÃO DE EXCLUDENTE DE CULPABILIDADE. RECONHECIMENTO DA ATENUANTE. AGRAVO REGIMENTAL A QUE SE NEGA PROVIMENTO. 1. É assente neste Tribunal Superior o entendimento de que "a invocação de excludente de ilicitude não obsta a incidência da atenuante da confissão espontânea". (HC 142.853/SP, de minha relatoria, SEXTA TURMA, DJe 16/11/2010) 2. Agravo regimental a que se nega provimento.
Buscar mais 566.834 resultados sobre "Confissão em Processo Penal" na busca Jusbrasil

Tópico relacionado