Carregando...
JusBrasil - Jurisprudência
05 de março de 2015

Página 1 de 162.718 resultados

Legislação direta

Artigo 33 da Lei nº 11.343 de 23 de Agosto de 2006
Art. 33. Importar, exportar, remeter, preparar, produzir, fabricar, adquirir, vender, expor à venda, oferecer, ter em depósito, transportar, trazer consigo, guardar, prescrever, ministrar, entregar a consumo ou fornecer drogas, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar:
Pena - reclusão de 5 (cinco) a 15 (quinze) anos e pagamento de 500 (quinhentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa.
§ 1o Nas mesmas penas incorre quem:
I - importa, exporta, remete, produz, fabrica, adquire, vende, expõe à venda, oferece, fornece, tem em depósito, transporta, traz consigo ou guarda, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, matéria-prima, insumo ou produto químico destinado à preparação de drogas;
II - semeia, cultiva ou faz a colheita, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, de plantas que se constituam em matéria-prima para a preparação de drogas;
III - utiliza local ou bem de qualquer natureza de que tem a propriedade, posse, administração, guarda ou vigilância, ou consente que outrem dele se utilize, ainda que gratuitamente, sem autorização ou em desacordo com determinação legal ou regulamentar, para o tráfico ilícito de drogas.
§ 2o Induzir, instigar ou auxiliar alguém ao uso indevido de droga: (Vide ADI nº 4.274)
Pena - detenção, de 1 (um) a 3 (três) anos, e multa de 100 (cem) a 300 (trezentos) dias-multa.
§ 3o Oferecer droga, eventualmente e sem objetivo de lucro, a pessoa de seu relacionamento, para juntos a consumirem:
Pena - detenção, de 6 (seis) meses a 1 (um) ano, e pagamento de 700 (setecentos) a 1.500 (mil e quinhentos) dias-multa, sem prejuízo das penas previstas no art. 28.
§ 4o Nos delitos definidos no caput e no § 1o deste artigo, as penas poderão ser reduzidas de um sexto a dois terços, vedada a conversão em penas restritivas de direitos, desde que o agente seja primário, de bons antecedentes, não se dedique às atividades criminosas nem integre organização criminosa. (Vide Resolução nº 5, de 2012)

STF - HABEAS CORPUS HC 122429 RS (STF)

Data de publicação: 31/07/2014

Ementa: EMENTA Habeas corpus. Processo Penal. Tráfico de drogas. Artigo 33 , caput, da Lei11.343 /06. Revogação da prisão preventiva. Alegação de falta de fundamentação idônea. Impetração dirigida contra decisão em que o Superior Tribunal de Justiça indeferiu medida liminar requerida pelo impetrante. Incidência da Súmula nº 691 da Suprema Corte. 1. A Súmula nº 691 do Supremo Tribunal Federal somente admite mitigação na presença de flagrante ilegalidade, abuso de poder ou teratologia, o que não se verifica na hipótese em exame. Precedentes. 2. Habeas corpus extinto.

TJ-SP - Apelação APL 00009897320138260576 SP 0000989-73.2013.8.26.0576 (TJ-SP)

Data de publicação: 24/02/2015

Ementa: Apelação. Crime de Tráfico de Drogas (artigo 33, "caput", da Lei11.343/06). Sentença condenatória. Recurso da defesa. 1. Quadro probatório suficiente a ensejar a condenação. 2. Penas que não comportam reparo. 3. Circunstâncias judiciais desfavoráveis que justificam a fixação da pena-base acima do mínimo legal. Majoração, na segunda fase, em razão da reincidência, que se mostra escorreita, sem que se divise "bis in idem" face aos maus antecedentes reconhecidos na primeira fase. 4. Regime inicial fechado para a pena privativa de liberdade que se impõe. Recurso desprovido.

STF - HABEAS CORPUS HC 122626 SP (STF)

Data de publicação: 14/11/2014

Ementa: EMENTA Habeas corpus. Substitutivo de recurso ordinário constitucional. Inadmissibilidade. Precedente. Condenação transitada em julgado. Manejo do writ como sucedâneo de revisão criminal. Objetivo. Redimensionar a pena. Descabimento. Precedentes. Presença, contudo, de ilegalidade flagrante. Óbices processuais superados. Tráfico de drogas. Artigo 33 , caput, da Lei11.343 /06. Paciente primária e de bons antecedentes. Ausência de prova de que se dedique a atividades criminosas ou de que integre organização criminosa. Artigo 33, § 4º, da Lei de Drogas. Incidência afastada com base em ilações ou conjecturas. Inadmissibilidade. Precedentes. Regime inicial fechado. Imposição, na sentença, com amparo no art. 2º , § 1º , da Lei nº 8.072 /90. Manutenção, pelo tribunal local, com base na mera opinião do julgador sobre a gravidade do crime. Súmulas nºs 718 e 719 do Supremo Tribunal Federal. Deficiência de motivação. Suprimento, pelo Superior Tribunal de Justiça, em sede de habeas corpus, com fundamentos inovadores. Inadmissibilidade. Precedentes. Constrangimento ilegal manifesto. Ordem concedida. 1. A Primeira Turma do Supremo Tribunal Federal não admite habeas corpus substitutivo de recurso ordinário constitucional (art. 102 , II , a , da Constituição Federal ). Precedente. 2. Não se admite o manejo de habeas corpus como sucedâneo de revisão criminal nem como meio de se revolver o conjunto fático-probatório, a fim de se redimensionar a pena imposta. Precedentes. 3. A existência de flagrante ilegalidade autoriza a superação de óbices processuais ao conhecimento do writ. 4. A mera conjectura ou ilação de que a ré se dedicava a atividades criminosas ou integrava organização criminosa não autoriza afastar-se a causa de diminuição de pena do art. 33 , § 4º , da Lei11.343 /06, máxime diante de sua primariedade e bons antecedentes. Precedentes. 5. É vedada, em habeas corpus, a utilização de fundamentos inovadores, para suprir vício de motivação das instâncias antecedentes...

Encontrado em: LTX-2006 LEI- 011343 ANO-2006 ART- 00033 "CAPUT" PAR-00004 ART- 00040 INC-00001 ART- 00042 LEI... LET- A CONSTITUIÇÃO FEDERAL LCH-1990 LEI- 008072 ANO-1990 ART- 00002 PAR-00001 LEI DE CRIMES HEDIONDOS

TJ-RJ - APELAÇÃO APL 00074056320138190055 RJ 0007405-63.2013.8.19.0055 (TJ-RJ)

Data de publicação: 17/11/2014

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL. TRÁFICO DE DROGAS. ARTIGO 33, CAPUT, DA LEI11.343/06. Pena fixada em 06 (seis) anos de reclusão de multa. Preliminar de inépcia da denúncia. Inocorrência. Denúncia que narra fatos que configuram crime em tese. Preenchimento dos requisitos previstos no artigo 41 do CPP, viabilizando o exercício do contraditório e da ampla defesa. Rejeição do pleito defensivo para absolvição do apelante por insuficiência probatória, detido na posse de 31,40 gramas de cocaína, acondicionadas em vinte e cinco sacos plásticos. Autoria e materialidade evidenciadas pelo conjunto probatório dos autos. Especial fim de agir. Não se exige a comercialização da droga. O artigo 33, da Lei11.343/06 é tipo penal misto alternativo, cuja configuração se dá pela prática de quaisquer das condutas nele previstas. Provas idôneas a ensejar a condenação. Depoimentos dos policiais que efetuaram a prisão, seguros e coerentes, afirmando terem sido informados por populares que teriam visto e ouvido o réu comentar que estava de posse da droga para venda, droga essa encontrada em poder do apelante após revistarem o carro em que este se encontrava. Aplicação do verbete nº 70 da Súmula de Jurisprudência desta Corte. Forma de acondicionamento, quantidade de drogas e circunstâncias em que estas foram apreendidas a evidenciar que eram destinadas à comercialização pelo apelante. Por sua vez, a quantidade de droga apreendida não se mostra suficiente para justificar a majoração da pena-base. Provimento parcial do recurso defensivo.

TJ-RJ - APELAÇÃO APL 00890501520128190001 RJ 0089050-15.2012.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 17/12/2014

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL. TRÁFICO DE DROGAS. ARTIGO 33, CAPUT, DA LEI11.343/06. Pena fixada em 01 (um) ano e 08 (oito) meses de reclusão e multa no regime aberto. Pena privativa de liberdade substituída por duas penas restritivas de direito. Preliminar de nulidade da sentença por cerceamento de defesa que se afasta. Pedido de quebra do sigilo telefônico, elaborado quando do requerimento para concessão de liberdade do réu, que não foi renovado no decorrer da instrução criminal nem quando a defesa foi instada a se manifestar na AIJ acerca de diligências a requerer, acarretando a preclusão. Indeferimento à continuidade de pergunta da defesa devidamente fundamentado. O artigo 400, § 1º, do CPP permite ao magistrado indeferir as provas que entender irrelevantes ou impertinentes. Rejeição do pleito defensivo para absolvição do apelante por insuficiência probatória, detido na posse de vinte e quatro gramas de cocaína, acondicionadas em sessenta e oito sacos plásticos. Autoria e materialidade evidenciadas pelo conjunto probatório dos autos. Especial fim de agir. Não se exige a comercialização da droga. O artigo 33, da Lei11.343/06 é tipo penal misto alternativo, cuja configuração se dá pela prática de quaisquer das condutas nele previstas. Admite-se a condenação baseada nos depoimentos de policiais, com aplicação do verbete nº 70 da Súmula de Jurisprudência desta Corte, quando estes são seguros e estremes de dúvidas, o que é evidente no caso dos autos. Validade do depoimento dos policiais como prova idônea para a condenação. Forma de acondicionamento, quantidade de drogas e circunstâncias em que estas foram apreendidas a evidenciar que eram destinadas à comercialização pelo apelante. Recurso defensivo a que se nega provimento.

TJ-PA - APELAÇÃO APL 201230230950 PA (TJ-PA)

Data de publicação: 05/08/2014

Ementa: APELAÇÃO CRIMINAL TRÁFICO DE DROGAS ARTIGO 33, CAPUT, DA LEI11.343/06 - REVISÃO DA DOSIMETRIA ALEGAÇÃO DE INEXISTÊNCIA DE CIRCUNSTÂNCIAS JUDICIAIS DESFAVORÁVEIS IMPROVIMENTO PLEITO DE SUBSTITUIÇÃO DA PENA PRIVATIVA DE LIBERDADE POR RESTRITIVA DE DIREITOS. IMPOSSIBILIDADE. RECURSO IMPROVIDO. 1 - Correta a dosimetria da pena aplicada pelo magistrado a quo, que observou rigorosamente o sistema trifásico previsto no art. 68 do Código Penal, levando em consideração para sua fixação a presença de circunstância judicial desfavorável ao réu. 2 Presente 01 circunstância desfavorável ao apelante, qual seja: a culpabilidade, entendo correta a fixação da pena-base em 06 anos e 06 meses de reclusão, tornada em definitivo em 04 anos de reclusão e 400 dias-multa, por reputá-la branda e adequada, considerando que a pena cominada ao delito de tráfico de drogas é muito elevada de 5 a 15 anos de reclusão e a presença de uma única circunstância judicial desfavorável já implica em sanção concreta expressiva. 3 Indevida a substituição da pena por restritiva de direitos, seja pelo não preenchimento dos requisitos legais, seja pela considerável quantidade de droga apreendida (quase 05 kg de maconha), logo suficiente à reprovação do ilícito o cumprimento de pena privativa de liberdade, com vistas a coibir que o recorrente aja como 'aviãozinho do tráfico'. 4 Apelação conhecida e improvida.

TJ-RS - Apelação Crime ACR 70034973347 RS (TJ-RS)

Data de publicação: 12/03/2012

Ementa: CRIME DE TRÁFICO DE DROGAS (ARTIGO 33 , CAPUT, DA LEI11.343 /06). 1. PRELIMINAR Nulidade do processo por ilegalidade da busca domiciliar. Sem razão a apelante ao trazer novamente à baila a alegada nulidade, por duas vezes, rechaçada no processo, quando a própria Carta Magna , em seu artigo 5º , inciso XI , autoriza a busca domiciliar na hipótese de flagrante delito, como é o caso. 2. MÉRITO. Materialidade e autoria comprovadas. Confissão corroborada pelo acervo probatório. Pena-base. Como se verifica da análise realizada, a maioria dos vetores tidos como negativos pelo juízo a quo, na...

TJ-RJ - APELAÇÃO APL 01040398920138190001 RJ 0104039-89.2013.8.19.0001 (TJ-RJ)

Data de publicação: 24/09/2014

Ementa: APELAÇÃO. DELITO DE TRÁFICO DE DROGAS. ARTIGO 33, CAPUT, DA LEI11.343/06. IRRESIGNAÇÃO DEFENSIVA, EM QUE SE REQUER A SUBSTITUIÇÃO DA PRESTAÇÃO PECUNIÁRIA IMPOSTA NA SENTENÇA. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO. Com o fim da instrução criminal, restou incontroverso que o acusado foi preso em flagrante na Comunidade Pavão-Pavãozinho, quando trazia consigo, para fins de mercancia ilícita, nada menos do que 300g de cocaína, acondicionados em 600 embalagens plásticas, cada uma delas com a inscrição ¿R$10,00¿. Do objeto recursal: as circunstâncias da prisão em flagrante do acusado, aliadas à quantidade e à natureza devastadora da cocaína, evidenciam a sua dedicação à atividade criminosa, o que, por si só, afastaria a aplicação da causa de diminuição reconhecida na sentença. Não obstante a Unidade de Polícia Pacificadora implantada na Comunidade Pavão-Pavãozinho, o local onde se deram os fatos continua sendo um notório ponto de vendas de drogas, razão pela qual a Polícia Militar fazia um patrulhamento na localidade quando da prisão do acusado, cuja dedicação ao tráfico revela-se, pois, irrefutável. No entanto, em razão da ausência de recurso do Ministério Público, a sentença permanece inalterada, em observância ao princípio da vedação à reformatio in pejus. Diante dessa realidade, dúvida não há de que a sanção penal foi fixada de forma tímida e insuficiente para atender a finalidade da pena, cujos aspectos repressivos e preventivos restaram mitigados pela eminente Magistrada, ante a possibilidade de o apelante não ser suficientemente intimidado a não mais delinquir. Por derradeiro, o apelante ainda foi agraciado pelo parcelamento da prestação pecuniária, cujo valor não se afigura desproporcional a sua capacidade econômica, sobretudo diante da possiblidade de fracionar-se o pagamento, conforme se depreende da sentença impugnada. RECURSO A QUE SE NEGA PROVIMENTO.

TJ-MS - Apelação APL 00580871920128120001 MS 0058087-19.2012.8.12.0001 (TJ-MS)

Data de publicação: 12/09/2014

Ementa: E M E N T A-APELAÇÃO CRIMINAL - TRÁFICO DE DROGAS (ARTIGO 33, CAPUT, DA LEI N. 11.343/06) - PEDIDO DE DESCLASSIFICAÇÃO PARA A CONDUTA DESCRITA NO ARTIGO 28 DA LEI N. 11.343/06 - POSSIBILIDADE - ELEMENTOS INSUFICIENTES PARA DEMONSTRAR A TRAFICÂNCIA - PROVA ORAL INCONCLUSIVA - RECURSO PROVIDO. Se os elementos de convicção carreados ao feito são inconclusivos quanto a destinação da droga apreendida, não ficando comprovado que a apelante praticava a mercancia, de rigor a desclassificação do crime de tráfico para o de posse para uso, previsto no art. 28 da Lei nº. 11.343/2006. Recurso provido. CONTRA O PARECER DA PGJ

TJ-MS - Apelação APL 00023577220128120017 MS 0002357-72.2012.8.12.0017 (TJ-MS)

Data de publicação: 23/07/2014

Ementa: E M E N T A - APELAÇÃO CRIMINAL DEFENSIVA - TRÁFICO DE DROGAS (ARTIGO 33 , CAPUT, DA LEI N. 11.343 /06)- PEDIDO DE ABSOLVIÇÃO - NÃO ACOLHIDO - AUTORIA E MATERIALIDADE COMPROVADAS - CONJUNTO PROBATÓRIO ROBUSTO - RECURSO IMPROVIDO. Incabível falar em absolvição se o acervo probatório produzido no curso da persecução penal e as circunstâncias fáticas do delito em questão, demonstram a autoria do apelante do crime de tráfico de drogas noticiado na denúncia. Recurso improvido. Com o parecer.

1 2 3 4 5 999 1000 Próxima
Buscar em:
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais
  • Selecionar tribunais Todos os tribunais

ou

×

Fale agora com um Advogado

Oi, está procurando um advogado ou correspondente jurídico? Podemos te conectar com Advogados em qualquer cidade do Brasil.

Escolha uma cidade da lista
Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/jurisprudencia/busca