Carregando...
JusBrasil - Notícias
16 de abril de 2014

Câmara rejeita recurso de empresa de vigilância que pedia exclusão da responsabilidade da segunda ré

de dispensa por justa causa juntados aos autos pela empresa. Em audiência, esclareceu a relatora, manifestou-se reiterando os termos da inicial e apresentando razões finais remissivas, tão somente.

Academia Brasileira de Direito - 10/10/2012

TRT15 - Câmara rejeita recurso de empresa de vigilância que pedia exclusão da responsabilidade da segunda ré

de dispensa por justa causa juntados aos autos pela empresa. Em audiência, esclareceu a relatora, manifestou-se reiterando os termos da inicial e apresentando razões finais remissivas, tão somente.

Nota Dez - 10/10/2012

Câmara rejeita recurso de empresa de vigilância que pedia exclusão da responsabilidade da segunda ré

razões finais remissivas'", tão somente. "A impugnação em grau recursal se revela inovatória e, por isso, não pode ser considerada", concluiu Erodite. (Processo 000347-54.2011.5.15.0018 RO)

Tribunal Regional do Trabalho da 15ª Região - 09/10/2012

Nulidade deve ser questionada de imediato, conforme art. 794 e 795 da CLT

apresentadas razões finais remissivas pelo reclamante sem arguição de nulidade, “sendo certo que nos termos do art. 794 e 795 , da CLT , quando a parte vislumbrar nulidade deve argui-la de imediato”.

Associação dos Advogados de São Paulo - 29/07/2011

3ª Turma: nulidade deve ser questionada de imediato, conforme art. 794 e 795 da CLT

em cerceamento probatório, já que haviam sido apresentadas razões finais remissivas pelo reclamante sem arguição de nulidade, sendo certo que nos termos do art. 794 e 795 , da CLT , quando a parte

Portal Nacional do Direito do Trabalho - 01/08/2011

3ª Turma: nulidade deve ser questionada de imediato, conforme art. 794 e 795 da CLT

apresentadas razões finais remissivas pelo reclamante sem arguição de nulidade, “sendo certo que nos termos do art. 794 e 795 , da CLT , quando a parte vislumbrar nulidade deve argui-la de imediato”.

Tribunal Regional do Trabalho da 2ª Região - 29/07/2011

Justiça do Trabalho manda indenizar mulher demitida por suspeita de câncer

sem mais provas, nada mais sendo requerido, encerrou-se a instrução. Sem mais provas, nada mais sendo requerido, encerrou-se a instrução. Razões finais remissivas, por ambas as partes. Não houve acordo.

Correio Forense - 21/12/2008

Telemar é condenada a pagar indenização por procrastinação na tramitação de ação trabalhista.

e ouvidas as testemunhas indicadas. Sem mais provas a produzir, foi encerrada a instrução processual com a concordância das partes.. Produziram as partes razões finais remissivas, permanecendo... e as razões que o levaram a ...

Associação Brasileira de Advogados Trabalhistas - 08/04/2010

Juiz reconhece acordo e extingue processo da Fiesp contra Simpi

as partes que não pretendiam produzir provas, pelo que foi declarado o encerramento da instrução processual. Razões finais remissivas. Frustradas as tentativas de conciliação. É o relatório. Decido.

Consultor Jurídico - 02/10/2008

Improcedente reclamação de neto que processou espólio do avô após receber herança

e inquiridas duas testemunhas, encerrando-se a instrução processual. Razões finais remissivas. Inconciliados. É o relatório. II �- FUNDAMENTAÇÃO Impugnação ao valor atribuído ao feito O reclamado... processual, sob protestos dos ...

Associação dos Registradores de Pessoas Naturais do Estado de São Paulo - 26/05/2000

ou

Disponível em: http://www.jusbrasil.com.br/noticias/busca