Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
20 de Julho de 2024
    Adicione tópicos

    ANÁLISE DA AOJESP SOBRE O PRESIDENTE ELEITO DO TJ, DES. IVAN SARTORI E O NOVO CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA, DES. JOSÉ RENATO NALINI.

    VEJA TAMBÉM: VÍDEO EXCLUSIVO COM A PRIMEIRA ENTREVISTA DO DES. IVAN SARTORI.

    VEJA VÍDEO EXCLUSIVO

    JOVEM DESEMBARGADOR ELEITO PRESIDENTE DO TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO ESTADO DE SÃO PAULO: DESEMBARGADOR IVAN SARTORI

    Tradicionalmente, no Tribunal de Justiça de São Paulo eram eleitos os desembargadores com mais tempo de serviço e consequentemente os mais idosos. Houve momentos em que todos sabíamos, antecipadamente, quais seriam os dirigentes do Tribunal. Os mais idosos e os Corregedores Gerais: era feito um rodízio entre eles.

    Hoje, 7 de dezembro de 2011, a situação mudou. Quantos anos se passaram para os ventos da democracia trazerem um Conselho Nacional de Justiça e magistrados progressistas. Foi eleito um jovem desembargador, com 54 anos, no auge dos conhecimentos jurídicos aliados à energia para mudar o paquidérmico e conservador Poder Judiciário brasileiro.

    Deva-se isso, em parte, às mudanças trazidas pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ) e à magistratura com olhar e leitura jovens e dinâmicas sobre este Poder, do qual a população tanto espera, já que os demais, o Executivo e o Legislativo estão desacreditados.

    O presidente Ivan Ricardo Garisio Sartori, detentor de enormes poderes, assegurados pelas Constituições Federal e Estadual e outras leis, é membro do Órgão Especial, composto por 25 desembargadores e componente do Conselho Superior da Magistratura.

    É dele que saem as decisões sobre a vida dos servidores do Judiciário.

    Terá ele a coragem de exigir os 6% de verba para o Judiciário? Terá o pulso firme para exigir do governador Geraldo Alckmin o pagamento da verba devida aos servidores do Judiciário?

    Terá ele a firmeza para ajuizar ação judicial contra a Fazenda Pública (o governador), exigindo o quanto o governador deve aos trabalhadores do Judiciário?

    Terá o presidente Ivan Sartori a firmeza de exigir a verba devida pelo governador e pagar as dívidas que têm para com os servidores?

    Se isto acontecer, também afirmamos: daqui a dois anos, ele será reeleito.

    OFICIAIS DE JUSTIÇA NA AGENDA DO PRESIDENTE IVAN SARTORI

    Em 2008, a presidenta da AOJESP esteve reunida com o Desembargador Ivan Sartori, pedindo-lhe ajuda para solucionar o problema das diligencias que em parte, foram excluídas, da lei nº 4.952 de 27 de dezembro de 1985, e substituída pela lei nº 11.608 de 29 de dezembro de 2003,. Eram os 20% para o custeio das diligências dos oficiais de Justiça. O Tribunal no mês de dezembro de 2003, excluiu 10%, tirando, portanto, 50% dos valores de reembolso das diligências para os mandados da justiça gratuita.

    Do encontro resultou a elaboração do PL nº 11, de 2009, que dispõe sobre a alteração da destinação e forma de recolhimento da taxa judiciária e dos emolumentos.

    Yvone, nesta reunião contribuiu para a redação do art. 1º que altera o art. da lei nº 11.608, de 29 de dezembro de 2003 que devolve os 10% da taxa judiciária, somando 20% destinados ao custeio das diligências, atualmente assegurados no PL nº 11, de 2009, remetido à Assembléia Legislativa, aos 29 de dezembro de 2008, pelo presidente do Tribunal de Justiça, Roberto Antonio Vallim Bellocchi.

    CORREGEDOR GERAL DA JUSTIÇA: DESEMBARGADOR JOSÉ RENATO NALINI

    Este é um cargo de alta responsabilidade, em que os titulares são assessorados por juízes de Direito que nem sempre levam os problemas aos seus superiores hierárquicos. Na ânsia de mostrar trabalho perante a cúpula dirigente, alguns magistrados prejudicam os trabalhadores do Judiciário, no afã de controlar a verba do poder, obviamente para sobrar mais para a Instituição que ainda é retrograda e comete toda sorte de injustiças contra servidores públicos.

    Os milhões de procedimentos administrativos e processos judiciais comprovam o autoritarismo imposto, por decisões administrativas, sejam por parte da Corregedoria Geral, seja por parte da presidência do Tribunal.

    Foi eleito para o espinhoso cargo o desembargador José Renato Nalini, magistrado intelectualizado, que tem idéias progressistas, professor-doutor em Direito Constitucional pela USP, professor de Ética e Filosofia.

    • Publicações1697
    • Seguidores29
    Detalhes da publicação
    • Tipo do documentoNotícia
    • Visualizações102
    De onde vêm as informações do Jusbrasil?
    Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
    Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/analise-da-aojesp-sobre-o-presidente-eleito-do-tj-des-ivan-sartori-e-o-novo-corregedor-geral-da-justica-des-jose-renato-nalini/2958635

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)