Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
26 de Fevereiro de 2024
    Adicione tópicos

    MPF/AM denuncia russos presos com mais de R$ 7 milhões em moeda venezuelana

    Os quatro homens foram denunciados pelos crimes de associação criminosa e lavagem de dinheiro

    há 7 anos

    O Ministério Público Federal no Amazonas (MPF/AM) denunciou quatro cidadãos russos pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. Segundo a denúncia, o grupo atuou no período de dezembro de 2015 a julho de 2016, de forma organizada e planejada, viajando periodicamente à Venezuela para comprar no câmbio negro milhões de bolívares venezuelanos para levá-los à Europa sem declaração adequada de valores à Receita Federal Brasileira.

    As investigações que levaram à prisão dos russos mostraram que o grupo movimentava e transportava os valores de forma clandestina e ilegal, sem qualquer registro pelo sistema bancário oficial, ocultando assim a origem e os reais proprietários do dinheiro. O Brasil era usado como rota para a movimentação do dinheiro.

    As prisões em flagrante ocorreram em dois momentos distintos. No final de junho, dois russos foram presos quando embarcavam no aeroporto de Manaus com destino a Helsinque, na Finlândia, com quatro malas contendo cerca de 7.358.600,00 bolívares venezuelanos adquiridos ilegalmente. Dias depois, a polícia encontrou outros dois integrantes do grupo, hospedados em um hotel de luxo na zona oeste de Manaus. Com eles foram encontrados mais 14.171.700,00 em moeda venezuelana, que também seriam levados para a Europa nos dias que se seguiram. O total dos valores apreendidos em moeda estrangeira equivale a R$ 7.069.135,61.

    Segundo as investigações, é possível que a moeda seja destinada à falsificação de dólares e euros, porque o papel-moeda dos bolívares venezuelanos é de excelente qualidade e as cédulas de cem bolívares são quase do mesmo tamanho das de cem dólares. Uma segunda hipótese seria a de que, após branqueamento do capital, a moeda seja utilizada para revenda em câmbio oficial por valor superior ao que foi adquirida no câmbio negro venezuelano ou, ainda, que seja utilizada para a lavagem de dinheiro de outros crimes.

    Cooperação internacional - A Secretaria de Cooperação Internacional (SCI) da Procuradoria-Geral da República atuou no caso porque a Embaixada da Rússia apresentou ao Ministério das Relações Exteriores (MRE) questionamentos sobre supostas violações dos direitos e garantias fundamentais dos nacionais russos durante a fase do inquérito policial e da fase processual. O MRE solicitou informações à SCI para esclarecer os fatos, informar o atual estágio de tramitação dos processos, bem como as condições em que os russos estariam submetidos.

    O MPF/AM explicou à SCI que as prisões em flagrante de todos os russos foram legais, mediante parecer fundamentado do Ministério Público e homologação pelo Juízo Federal competente. Depois, após contato pessoal com os investigados em audiência de custódia e mediante a imposição de medidas cautelares diversas da prisão, foi concedida a eles a liberdade provisória.

    Sobre as alegações de ofensas físicas, morais, violações de outros direitos de preso, a PR/AM informou que, até o presente momento, nenhum dos denunciados, apesar de bem assistidos inicialmente por advogado particular e depois por representante da Defensoria Pública da União, apresentaram ao MPF ou nos respectivos autos judiciais qualquer notícia nesse sentido.

    O MPF/AM pede à Justiça Federal a condenação dos quatro acusados pelos crimes de lavagem de dinheiro e associação criminosa. A ação tramita na 2ª Vara Federal no Amazonas, sob o número 0011856-37.2016.4.01.3200.













    Procuradoria da República no Amazonas
    (92) 2129-4679 / 2129-4734
    camilagabriel@mpf.mp.br

    Secretaria de Comunicação Social
    Procuradoria-Geral da República
    (61) 3105-6404/6408
    Twitter: MPF_PGR
    facebook.com/MPFederal



    • Publicações37267
    • Seguidores702
    Detalhes da publicação
    • Tipo do documentoNotícia
    • Visualizações490
    De onde vêm as informações do Jusbrasil?
    Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
    Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/mpf-am-denuncia-russos-presos-com-mais-de-r-7-milhoes-em-moeda-venezuelana/385793219

    5 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)

    Aqui, nos comentários, há todos os documentos que mostram as mentiras da polícia federal e MPF - https://www.facebook.com/CPLCRB/posts/840982769410009
    A quantia de dinheiro (o salário de um dos presos) não excedeu 2000 dólares. Todo o dinheiro era uma declaração oficial. Funcionários de autoridades fiscais e alfandegários atuam do lado da proteção! Dois dos presos nunca visitaram a Venezuela! Não houve sinais de um crime e todos os turistas foram absolvidos pelo tribunal. Na Rússia, o que aconteceu é considerado um ato de terrorismo de Estado.

    Reacao da Russia a repressao dos turistas russos em Manaus:
    https://www.youtube.com/watch?v=q4JV-EGEbMQ
    https://www.youtube.com/watch?v=G8IJ8ZBwMW0&
    https://obzor.press/russian/2017062150095
    http://www.kremlinrus.ru/news/164/70207/
    https://www.facebook.com/CPLCRB/
    A resposta da midia brasileira:
    http://www.aconteceuemitu.org/2017/10/os-turistas-russosecaca-mafia-russa.html

    Apos as prisoes ilegais de turistas russos na Amazonia, Putin criou um grupo de trabalho para proteger os direitos dos russos no exterior https://iz.ru/664940/2017-10-30/putin-odobril-sozdanie-pri-mid-rf-gruppy-dlia-zashchity-prav-rossiian-za-rubezhom continuar lendo

    Foi assim que a "O Globo" e o MPF mentiram para justificar as imensas detenções arbitrárias (sem sinais de crime) de turistas russos durante o impeachment. Era importante convencer a população de que Dilma havia engendrado a "máfia russa". https://www.facebook.com/jardenes.marques.5/posts/1148188441957734 http://www.mpf.mp.br/pgr/noticias-pgr/mpf-am-denuncia-russos-presos-com-mais-der7-milhoes-em-moeda-venezuelana-1

    Refutação de mentiras:
    A taxa de câmbio real do bolívar - www,dolartoday.com - 231334; Isso significa que o russo tinha apenas 93 US $ !!! Em todo o dinheiro havia declarações oficiais: https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.840995892742030/840995892742030/?type=3&theater
    https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.925950467579905/925950467579905/?type=3&theater
    https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.925950597579892/925950597579892/?type=3&theater
    https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.925950847579867/925950847579867/?type=3&theater Os funcionários da alfândega confirmaram que todas as declarações foram devidamente emitidas e não tiveram queixas com os russos: https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.840994812742138/840994812742138/?type=3&theater https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.840995029408783/840995029408783/?type=3&theater A Polícia Federal do Brasil foi feita de idiota.
    Eles sabem que a palavra "declarar" é um antônimo da palavra "esconder"? https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.904352809739671/904352809739671/?type=3&theater A corte recebeu contratos, segundo os quais esses US $ 90 foram recebidos, mas o tribunal não os considerou - a corte não tem autoridade para verificar fontes de renda de turistas fora do Brasil. O juiz e o promotor não encontraram sinais de crime:
    https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.840983449409941/840983449409941/?type=3&theater "Hotel de luxo" com uma cama, onde viviam dois russos:
    https://www.facebook.com/CPLCRB/photos/p.840993296075623/840993296075623/?type=3&theater Os dois acusados nunca foram à Venezuela e nunca viram a moeda deste país. Eles estavam na prisão quando tentavam proteger os direitos de seus amigos, que foram seqüestrados (eles não tinham permissão para telefonar) pela polícia, porque eles levavam seus salários (eles trabalhavam na Venezuela) para sua casa em Moscou. continuar lendo