Busca sem resultado
jusbrasil.com.br
4 de Março de 2024
    Adicione tópicos

    Prédio do Centro Cultural Justiça Federal completa 100 anos nesta terça-feira, 31

    há 15 anos

    O centenário de construção do prédio que hoje abriga o Centro Cultural Justiça Federal é festejado nesta terça-feira, dia 31 de março de 2009. A obra de construção do edifício teve início em 1905 e fez parte do projeto de reformulação da cidade, então Capital Federal, na administração do prefeito Pereira Passos. Originalmente foi erguido para dar lugar à Mitra Arquiepiscopal do Rio de Janeiro, mas logo foi adquirido pelo Governo Federal e tornou-se sede do Supremo Tribunal Federal. Sua inauguração, prevista para o dia 31 de março de 1909, deu-se, na verdade, no dia 03 de abril daquele ano. Um imenso aguaceiro se abateu sobre a cidade no dia marcado, impossibilitando qualquer atividade, mas o dia 31 permaneceu como data oficial, como consta da placa inaugural.

    O Supreminho, como os cariocas o batizaram, foi projetado pelo arquiteto sevilhano Adolpho Morales de Los Rios, sendo um dos mais belos exemplares da arquitetura eclética, em voga no Brasil no início do século XX. Com a mudança do STF para Brasília, em 1960, o prédio foi ocupado, sucessivamente, por varas de Fazenda Pública e pela Justiça Federal.

    Após sete anos de restauração e adaptações de seus espaços internos à nova finalidade, o prédio foi reaberto ao público, em 04 de abril de 2001, como o primeiro centro cultural do Brasil ligado ao Poder Judiciário. Desde então, vem sofrendo sucessivas restaurações, que visam assegurar a integridade física do prédio, e a recuperação de seus elementos decorativos originais. A última intervenção foi a reforma da fachada, concluída no último dia 19.

    As portas monumentais da entrada, a escadaria em ferro fundido e degraus em mármore de Carrara, os vitrais, as pinturas murais e a imponente Sala de Sessões, que mantém o mobiliário do Supremo, confeccionado em 1920, são, por si só, um atrativo para o visitante.

    Em setembro último, a exposição Um soneto para Carolina, cartas e lembranças dos últimos anos da vida de Machado de Assis inaugurou as comemorações oficiais do centenário do prédio. Em 05 de dezembro de 2008, foi inaugurado o Espaço Linha do Tempo do Judiciário no Brasil. A sala, com equipamento interativo e audiovisual, oferece ao público um panorama histórico acerca dos fatos e momentos que marcaram a consolidação das estruturas jurídicas brasileiras, desde o surgimento das ordenações do Reino, no século XV. Além disso, no mesmo local, uma tela de LCD de 42 polegadas, ligada a um terminal, permite ao público acesso ao acervo de matérias do Programa Via Legal, transmitido pela TV Justiça. O acervo tem assuntos variados, com ênfase na temática Justiça & Cidadania.

    A solenidade contará com a presença de diversas autoridades, dentre as quais, já confirmadas: o Presidente do STF, Ministro Gilmar Mendes; o Presidente do TRF-2ª Região, Desembargador Federal Castro Aguiar; e o Diretor-Geral do CCJF, Desembargador Federal Sérgio Schwaitzer.

    A comemoração será, também, marcada pela inauguração da nova instalação da antiga Sala de Sessões do STF, que receberá o que há de mais moderno em equipamento de projeção e vai contar sua trajetória em imagens projetadas sobre uma tela invisível que tornará o espaço um misto de antigo e moderno, perfeitamente harmonizados. Dentre as imagens exibidas estará uma foto da primeira sessão ocorrida na sala, em 1909.

    Ainda hoje, haverá o lançamento do livro Memórias da Justiça Federal Depoimentos do Projeto História Oral da Justiça Federal, resultado do Projeto Memória, iniciado na gestão do Desembargador Federal Paulo Barata. O livro fornece uma visão técnica e, ao mesmo tempo, afetiva das atividades do Judiciário em especial da Justiça Federal de Primeira Instância , na medida em que está baseado na vivência de magistrados e servidores que participaram da fase inicial de sua implantação. O livro reúne entrevistas com o Desembargador Federal Paulo Barata, o Desembargador Federal Silvério Luiz Nery Cabral e o servidor Hilário dos Santos Pimentel, além de textos de Paulo Knauss, Diretor-Geral do Arquivo Público do Estado do Rio de Janeiro, de Lucia Grinberg, professora da UniRio, e do Diretor-Geral do CCJF Sérgio Schwaitzer.

    • Publicações8754
    • Seguidores134
    Detalhes da publicação
    • Tipo do documentoNotícia
    • Visualizações35
    De onde vêm as informações do Jusbrasil?
    Este conteúdo foi produzido e/ou disponibilizado por pessoas da Comunidade, que são responsáveis pelas respectivas opiniões. O Jusbrasil realiza a moderação do conteúdo de nossa Comunidade. Mesmo assim, caso entenda que o conteúdo deste artigo viole as Regras de Publicação, clique na opção "reportar" que o nosso time irá avaliar o relato e tomar as medidas cabíveis, se necessário. Conheça nossos Termos de uso e Regras de Publicação.
    Disponível em: https://www.jusbrasil.com.br/noticias/predio-do-centro-cultural-justica-federal-completa-100-anos-nesta-terca-feira-31/973440

    0 Comentários

    Faça um comentário construtivo para esse documento.

    Não use muitas letras maiúsculas, isso denota "GRITAR" ;)