Artigo 4A da Lei nº 6.019 de 03 de Janeiro de 1974

Lei nº 6.019 de 03 de Janeiro de 1974

Dispõe sobre o Trabalho Temporário nas Empresas Urbanas, e dá outras Providências.
Art. 4o-A. Empresa prestadora de serviços a terceiros é a pessoa jurídica de direito privado destinada a prestar à contratante serviços determinados e específicos. (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
Art. 4o-A. Considera-se prestação de serviços a terceiros a transferência feita pela contratante da execução de quaisquer de suas atividades, inclusive sua atividade principal, à pessoa jurídica de direito privado prestadora de serviços que possua capacidade econômica compatível com a sua execução. (Redação dada pela Lei nº 13.467, de 2017)
§ 1o A empresa prestadora de serviços contrata, remunera e dirige o trabalho realizado por seus trabalhadores, ou subcontrata outras empresas para realização desses serviços. (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
§ 2o Não se configura vínculo empregatício entre os trabalhadores, ou sócios das empresas prestadoras de serviços, qualquer que seja o seu ramo, e a empresa contratante. (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
Art. 4o-B. São requisitos para o funcionamento da empresa de prestação de serviços a terceiros: (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
I - prova de inscrição no Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ); (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
II - registro na Junta Comercial; (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
III - capital social compatível com o número de empregados, observando-se os seguintes parâmetros: (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
a) empresas com até dez empregados - capital mínimo de R$ 10.000,00 (dez mil reais); (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
b) empresas com mais de dez e até vinte empregados - capital mínimo de R$ 25.000,00 (vinte e cinco mil reais); (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
c) empresas com mais de vinte e até cinquenta empregados - capital mínimo de R$ 45.000,00 (quarenta e cinco mil reais); (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
d) empresas com mais de cinquenta e até cem empregados - capital mínimo de R$ 100.000,00 (cem mil reais); e (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
e) empresas com mais de cem empregados - capital mínimo de R$ 250.000,00 (duzentos e cinquenta mil reais). (Incluído pela Lei nº 13.429, de 2017)
Art. 4o-C. São asseguradas aos empregados da empresa prestadora de serviços a que se refere o art. 4o-A desta Lei, quando e enquanto os serviços, que podem ser de qualquer uma das atividades da contratante, forem executados nas dependências da tomadora, as mesmas condições: (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
I - relativas a: (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
a) alimentação garantida aos empregados da contratante, quando oferecida em refeitórios; (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
b) direito de utilizar os serviços de transporte; (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
c) atendimento médico ou ambulatorial existente nas dependências da contratante ou local por ela designado; (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
d) treinamento adequado, fornecido pela contratada, quando a atividade o exigir. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
II - sanitárias, de medidas de proteção à saúde e de segurança no trabalho e de instalações adequadas à prestação do serviço. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
§ 1o Contratante e contratada poderão estabelecer, se assim entenderem, que os empregados da contratada farão jus a salário equivalente ao pago aos empregados da contratante, além de outros direitos não previstos neste artigo. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)
§ 2o Nos contratos que impliquem mobilização de empregados da contratada em número igual ou superior a 20% (vinte por cento) dos empregados da contratante, esta poderá disponibilizar aos empregados da contratada os serviços de alimentação e atendimento ambulatorial em outros locais apropriados e com igual padrão de atendimento, com vistas a manter o pleno funcionamento dos serviços existentes. (Incluído pela Lei nº 13.467, de 2017)

Intimação - Recurso Ordinário Trabalhista - 0000549-14.2022.5.12.0023 - Disponibilizado em 20/05/2024 - TRT12

NÚMERO ÚNICO: 0000549-14.2022.5.12.0023 POLO ATIVO ESTADO DE SANTA CATARINA POLO PASSIVO ASSOC. DE PAIS E PROF.DA ESC.DE EDUC.B. BULCAO VIANA DALILA DOS SANTOS GONCALVES ADVOGADO(A/S) SANDRO BAUER…

Página 1569 da Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de 17 de Maio de 2024

INEXISTÊNCIA. CONTRATO DE FORNECIMENTO DE INSUMO E NÃO, DE PRESTAÇÃO DE SERVIÇO . Decisão regional em que se registrou que a relação havida entre as Reclamadas era de fornecimento de matéria-prima e…
0
0

Página 3760 da Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de 17 de Maio de 2024

Da simples leitura das razões do recurso de revista, verifica-se que a parte não indicou trecho algum do acórdão do TRT que demonstrasse o prequestionamento da controvérsia relativa à "Controvérsia…
0
0

Página 3905 da Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de 17 de Maio de 2024

Em 1983, quando a Constituição em vigor não punha em relevo a força normativa de direitos fundamentais, o Tribunal Superior do Trabalho interpretou os artigos 2º e 3º da CLT para afirmar que a…
0
0

Página 3906 da Judiciário do Tribunal Superior do Trabalho (TST) de 17 de Maio de 2024

constitucionalidade, declarando a parcial nulidade sem redução de texto do referido dispositivosem observar a cláusula de reserva de Plenário. AGRAVO PROVIDO. 4.O PLENÁRIO DA CORTE…
0
0

Página 4201 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT-12) de 17 de Maio de 2024

solidária ou subsidiária, pois não se pode falar, no caso, em contratação por pessoa interposta ou terceirização de atividades, na forma do Enunciado 331 da Súmula do TST e do art. 4º-A da Lei nº…
0
0

Página 4205 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 12ª Região (TRT-12) de 17 de Maio de 2024

Esse é o entendimento firmado na OJ nº 185 da SDI-1 do TST: CONTRATO DE TRABALHO COM A ASSOCIAÇÃO DE PAIS E MESTRES - APM. INEXISTÊNCIA DE RESPONSABILIDADE SOLIDÁRIA OU SUBSIDIÁRIA DO ESTADO…
0
0

Página 53 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-21) de 17 de Maio de 2024

Após o advento das Leis nº 13.429/17 e 13.467/17 (a reforma trabalhista), que alteraram profundamente a Lei 6.019/74, a terceirização passou a dispor de novos contornos e o seu conceito encontra-se,…
0
0

Página 61 da Judiciário do Tribunal Regional do Trabalho da 21ª Região (TRT-21) de 17 de Maio de 2024

RECURSO ORDINÁRIO DO RECLAMANTE. INDENIZAÇÃO POR DANO MORAL POR NÃO CONCESSÃO DE FÉRIAS. Admite-se a caracterização do dano moral pela não concessão de férias, quando ficar demonstrada uma situação…
0
0

Intimação - Recurso Ordinário Trabalhista - 0000493-80.2023.5.12.0011 - Disponibilizado em 17/05/2024 - TRT12

NÚMERO ÚNICO: 0000493-80.2023.5.12.0011 POLO ATIVO ESTADO DE SANTA CATARINA POLO PASSIVO LORENI SOTO ZEFERINO BRESSAN ADVOGADO(A/S) MELISSA BERTACO CRISTOFOLINI | 0040207/SC BRUNA CRISTINA NAGEL |…