Art. 804 da Lei 13105/15

Lei nº 13.105 de 16 de Março de 2015

Código de Processo Civil.
Art. 804. A alienação de bem gravado por penhor, hipoteca ou anticrese será ineficaz em relação ao credor pignoratício, hipotecário ou anticrético não intimado.
§ 1º A alienação de bem objeto de promessa de compra e venda ou de cessão registrada será ineficaz em relação ao promitente comprador ou ao cessionário não intimado.
§ 2º A alienação de bem sobre o qual tenha sido instituído direito de superfície, seja do solo, da plantação ou da construção, será ineficaz em relação ao concedente ou ao concessionário não intimado.
§ 3º A alienação de direito aquisitivo de bem objeto de promessa de venda, de promessa de cessão ou de alienação fiduciária será ineficaz em relação ao promitente vendedor, ao promitente cedente ou ao proprietário fiduciário não intimado.
§ 4º A alienação de imóvel sobre o qual tenha sido instituída enfiteuse, concessão de uso especial para fins de moradia ou concessão de direito real de uso será ineficaz em relação ao enfiteuta ou ao concessionário não intimado.
§ 5º A alienação de direitos do enfiteuta, do concessionário de direito real de uso ou do concessionário de uso especial para fins de moradia será ineficaz em relação ao proprietário do respectivo imóvel não intimado.
§ 6º A alienação de bem sobre o qual tenha sido instituído usufruto, uso ou habitação será ineficaz em relação ao titular desses direitos reais não intimado.
há 2 meses

Do Princípio Constitucional do Contraditório - Vertentes Material e Formal

Do Princípio Constitucional do Contraditório: Vertentes Material e Formal (à Luz da Evolução Jurisprudencial e Legislativa do Regramento Processual Civil) Reis Friede RESUMO: O presente artigo…

Exercício do direito real de habitação pelo cônjuge ou companheiro supérstites

Conforme orientação do Superior Tribunal de Justiça o direito real de habitação pode ser exercido tanto pelo cônjuge como pelo companheiro supérstite. Jurisprudência em Teses – Edição nº 133 Essa…

Validade da cláusula sobre obrigação de pagar comissão de corretagem nos contratos de promessa de compra e venda de unidade autônoma em regime de incorporação imobiliária

De acordo com o entendimento do Superior Tribunal de Justiça é válida cláusula contratual que transfere ao promitente-comprador a obrigação de pagar a comissão de corretagem nos contratos de promessa…

Possibilidade da cobrança de resíduos inflacionários em contrato de promessa de compra e venda firmado com construtora

Foi deliberado pelo Superior Tribunal de Justiça que a cobrança de resíduos inflacionários, em contrato de promessa de compra e venda firmado com construtora, só é possível na periodicidade anual e…

Usucapião e posse decorrente do contrato de promessa de compra e venda de imóvel

Para o Superior Tribunal de Justiça a posse decorrente do contrato de promessa de compra e venda de imóvel não induz usucapião, exceto se verificada a conversão da posse não própria em própria,…

Aplicabilidade da Súmula 308 do STJ aos contratos de aquisição de imóveis submetidos ao Sistema Financeiro de Habitação - SFH.

Para o Superior Tribunal de Justiça não é aplicável a Súmula nº 308 aos contratos de aquisição de imóveis não submetidos ao Sistema Financeiro de Habitação - SFH. Jurisprudência em Teses – Edição nº…

Preferência na execução de crédito relativo a cotas condominiais

Segundo o entendimento do Superior Tribunal de Justiça, na execução de crédito relativo a cotas condominiais, este tem preferência sobre o hipotecário. (Súmula n. 478/STJ) Jurisprudência em Teses –…

A retrovenda com o escopo de garantia e o negócio jurídico indireto

A RETROVENDA COM O ESCOPO DE GARANTIA E O NEGÓCIO JURÍDICO INDIRETO Rogério Tadeu Romano I – GENERALIDADES Caio Mário da Silva Pereira(Instituições de direito civil, volume III, 1975, pág. 181) via a…
ano passado

Do Periculum in Mora Inverso (Reverso) à Luz do CPC-2015

Por Reis Friede [1] e Adriano França [2] I. Introdução Ao registrar, de forma inédita, na literatura jurídico-brasileira, - quando da ocasião do lançamento da 1ª edição da nossa obra “Aspectos…
Aryella de Melo, Advogado
ano passado

Concepção In Vitro Post Mortem e o Direito Sucessório.

INTRODUÇÃO Nota-se que, é evidente o impacto causado pelos avanços da medicina reprodutiva nas relações sociais. Diante desse cenário, será analisado também o momento, referente à data da concepção…